Milhas do bem: amigas lançam projeto para ajudar pessoas doando pontos de programas de milhagens

Foto: Diego Vara
Foto: Diego Vara

Por Natasha Heinz, especial

Você sabe o destino com as milhas que ganhou na última viagem que fez? Ou quantos pontos ganha com cada compra no cartão de crédito? Em um levantamento de 2014, o Banco Central descobriu que os brasileiros acumularam 200 bilhões de pontos por ano, mas 24% deles expiram. São exatamente esses pontos “perdidos” que estão na mira do projeto Milhas do Bem. A iniciativa de três amigas de Porto Alegre propõe que os créditos sem uso sejam direcionados para uma boa causa. A ideia surgiu quando as publicitárias Luciana Russowsky e Celina Spolaor e a analista de sistemas Patrícia Flores buscavam uma oportunidade de empreendedorismo que fosse, ao mesmo tempo, inovadora e com impacto social.

:: Prêmio Donna: no sorriso da irmã Maria do Carmo, imigrantes encontraram conforto e cidadania
:: Survivor: Clarice Falcão lança cover das Destiny’s Child e remete renda a ONG feminista

– Muita gente tem interesse em fazer doações para pessoas ou instituições, mas de que outra maneira poderíamos ajudar neste processo? – pergunta-se Patrícia, que sempre se envolveu em causas sociais e tinha em mente a questão da possível desconfiança por parte de quem costuma doar dinheiro vivo a entidades: – As pessoas querem saber se o que elas estão doando realmente está sendo usado e fazendo diferença.

Seria preciso, então, possibilitar uma forma de ajudar sem que fosse preciso tirar ainda mais dinheiro do bolso. A ideia surgiu a partir de uma conversa sobre as milhas aéreas acumuladas em programas de fidelidade.

– O estalo veio quando nos demos conta de que tinha um monte sobrando, mas que não era suficientes para nada. O quanto se acumula com uma viagem pra Europa dá para ir até o Rio de Janeiro, por exemplo. E indo até o Rio não se ganha quase nada. É dinheiro, só que perdido. Dava agonia ter aquilo parado: um monte de gente precisa e ali tem um dinheiro que é teu e não pode ser usado – compara Celina.

Na maioria dos programas de milhagens, os pontos que não são suficientes para uma nova passagem podem ser trocados por outros produtos, como eletrodomésticos, por exemplo. Com base nesta ideia foi organizada a primeira versão do Milhas do Bem: as pessoas trocam suas milhas excedentes por itens disponíveis nos sites das companhias e doam para o bazar do projeto, onde são vendidos por preços de custo. Esse dinheiro, então, é doado para uma causa específica (veja abaixo como ajudar).

Como doar

Transações com cartão de crédito, compra de passagens aéreas e abastecimento de combustível em postos são algumas das principais formas de gerar pontos. É possível contribuir com o Milhas do Bem de duas formas:

– Trocando suas milhas por produtos em sites de programas de fidelidade e doando para o bazar virtual do Milhas do Bem (milhasdobem.com)

– Comprando produtos em milhasdobem.iluria.com (loja virtual)

Quem será ajudado

Para a primeira causa do projeto, as amigas escolheram reverter o dinheiro das trocas de todas as milhas para Bárbara Penna (foto abaixo), jovem porto-alegrense que, aos 19 anos, foi vítima de violência doméstica e perdeu os dois filhos.

Arquivo pessoal/Instagram

Arquivo pessoal/Instagram

Ela foi espancada pelo ex-namorado, que também despejou álcool no corpo dela e no chão de casa e ateou fogo. As consequências foram diversas fraturas e 40% do corpo queimado. Bárbara já passou por mais de 200 cirurgias e agora busca ajuda financeira para colocar uma prótese na perna esquerda. As doações para Bárbara serão a primeira ação do Milhas do Bem. Após esta, outras causas serão selecionadas no futuro e divulgadas no site do projeto.

Leia mais:
:: Projeto Pode Gritar dá voz a vítimas de abuso, transformando desabafos em relatos literários
:: Movimento “Vamos Juntas?” vira livro com depoimentos sobre assédio e lições de sororidade
:: 5 famosas que não se calaram e revelaram terem sido abusadas

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna