O Melhor Daqui: de moda a gastronomia, um passeio por lugares imperdíveis de Canoas

Foto: Pedro Schein/ Divulgação
Foto: Pedro Schein/ Divulgação

Textos
Nathália Carapeços
Thamires Tancredi

Em mais uma parada da série O Melhor Daqui, nosso destino da vez é Canoas, na Região Metropolitana de Porto Alegre. Por lá, seguimos garimpando o que há de mais bacana em moda, lifestyle e cultura em diferentes cidades do Estado. E, claro, gastronomia: não faltam lugares para comer bem na Capital do Xis. No nosso roteiro, você encontra também dicas do que comprar e curtir, mesmo a distância.

Leia mais:
:: Um passeio por lugares imperdíveis de Caxias do Sul
:: De moda a gastronomia, saiba onde passear em Pelotas

 

Para vestir

Hype Fashion

Quem é antenada em moda sustentável e consumo consciente tem parada certa em Canoas. Na Hype Fashion, a sustentabilidade presente no DNA da marca se reflete em três segmentos: além das araras com peças novas, a loja ainda conta com um brechó e um armário compartilhado. Não à toa, a multimarcas de Ângela Marks é pioneira em consciência fashion na cidade.

– No início, tinha uma certa dificuldade em explicar o nosso conceito – explica a sócia-fundadora da Hype Fashion. – Mas muita gente adotou um estilo mais slow a partir do conhecimento que ganhou aqui.

Foto: Ângela Marks/ DivulgaçãoFoto: Ângela Marks/ Divulgação

Por lá, você encontra novidades de 40 marcas autorais e slow fashion como a Carina Brendler Ecoclothing, Brisa Slow Fashion, Humanus e Shieldmaiden. Vale conhecer também a proposta do armário coletivo, com foco em moda festa. A ideia é prolongar a vida útil de roupas que, afinal, acabamos usando poucas vezes. Além de encontrar peças incríveis para alugar, você também pode ceder aquele vestido incrível para o acervo da loja – e receber um percentual por locação.

  • Rua Caramuru, 11, loja 3 – Centro
  • (51) 3059-4466
  • @hypecanoas

 

Grupo Canoa

Pelas habilidosas mãos de artesãs, materiais que teriam o lixo como destino certo se transformam em acessórios com design cool e contemporâneo. Tudo acontece no galpão do Grupo Canoa, que, em parceria com o Sebrae, ajuda mulheres a complementarem a renda por meio de uma moda sustentável, ética e com preocupação ambiental.

– Nossa ideia sempre foi reaproveitar os excessos da indústria e produzir acessórios bonitos, que pudessem gerar emprego e renda e também dar oportunidade de trabalho a quem não tinha – conta Edy Ferreira Ribeiro, coordenadora do Grupo Canoa.

Foto: Divulgação
Nada é desperdiçado: tecidos de guarda-chuvas viram bolsas, enquanto sobras de borracha transformam-se em pulseiras, brincos e colares. Até pneus e câmaras de ar ganham nova vida com o trabalho minucioso das 20 mulheres que integram o Canoa. As peças podem ser encontradas à venda também em Porto Alegre, na loja do Santander Cultural (Rua 7 de Setembro, 1028) e na Histórias na Garagem (Rua Félix da Cunha, 1167).

Foto: Divulgação

Märchen Rose

Feminilidade é a palavra-chave da Märchen Rose. Para a coleção de estreia da marca, criada no final de 2016, a estilista Glenda Mössner Mindov apostou em uma paleta de cores açucarada – com direito a tons de rosa, azul e branco. Tudo a ver com as peças, que mesclam a delicadeza das rendas com o corte impecável da alfaiataria.

– Minha ideia era uma alta-costura casual – explica a designer de moda. – Mas percebi que precisava dar um toque comercial. Hoje, trabalho com peças sofisticadas em tecido plano, que tenham um diferencial na modelagem.

Foto: Gabriel Schoenardie/ DivulgaçãoFoto: Gabriel Schoenardie/ Divulgação

Além da estamparia exclusiva – como o floral delicado do vestido ao lado, um spoiler da nova coleção –, a Märchen Rose investe em roupas atemporais, que funcionam bem em qualquer estação. Entre as novidades da etiqueta, que chegam ao e-commerce nas próximas semanas, estão peças como a saia de plumas e a jaqueta perfecto em vinil, tudo em preto, tom que é novidade na cartela de cores da grife canoense. Conectada com as tendências, mas sempre de olho no próprio DNA.

 

Pure

Rodrigo Dias Espinoza sempre teve o esporte no sangue. Skatista “desde moleque” e surfista nas horas vagas, o empresário buscava trazer o lifestyle esportivo para todas as áreas de sua vida – inclusive as aulas de Direito na universidade.

– Usava roupa de surfista durante o fíndi na Praia do Rosa e chegava nas audiências de Ralph Lauren – brinca Rodrigo.

Foto: DivulgaçãoFoto: Divulgação

Ali, teve a sacada: como seria uma marca que carregasse a leveza e o bem-estar no DNA, mas sem deixar de lado uma estética bacana? Assim nasceu a Pure, grife que prioriza peças discretas, com uma pegada minimalista, para quem não abre mão do conforto.

– Buscamos peças que deixem quem veste elegante, mas que não ultrapassem a personalidade. Priorizamos qualidade e o corte, e sempre uma paleta de cores neutras – explica o empresário, que também assina o estilo da marca, e é sócio de Bruno Gottardi e Tiago Trautenann.

Para a estação de frio, a Pure investiu em malhas e peças em tricô – para eles e para elas. Vale contar que a marca também preza pela sustentabilidade: a coleção mais recente traz peças em tecidos confeccionados a partir de garrafa pet.

  • Avenida Dr. Sezefredo Azambuja Vieira, 1602, bairro Moinhos de Vento
  • (51) 98199-5563
  • @use.pure

 

Para conhecer

A guria dos livros

Um dos principais nomes da nova geração de escritores brasileiros é de Canoas. Luisa Geisler, de 27 anos, já venceu dois Prêmios Sesc de Literatura (em 2010 e 2011, aos 19 e 20 anos, respectivamente), foi duas vezes finalista do Jabuti e semifinalista do Oceanos – além de patrona da 34ª Feira do Livro de Canoas. No início de julho, lançou De Espaços Abandonados (Alfaguara, R$ 59,90), seu terceiro romance. Contos de Mentira e Quiçá são algumas de suas obras premiadas.

Foto: Desirée Ferreira/ Divulgação

Foto: Desirée Ferreira/ Divulgação

 

As artes de Lorena

A artista visual Lorena Steiner trabalhou boa parte da vida como professora, mas sempre reservou seu tempo livre para as artes. Em paralelo às aulas, gostava de se aventurar pela pintura a óleo explorando cores terrosas, neutras e que remetiam ao industrial. O hobby virou coisa séria há cerca de duas décadas, quando Lorena se aposentou e passou a se dedicar integralmente ao seu ateliê caseiro. A obra da artista inclui gravura, têxtil, mosaico e pintura.

– Gosto de pintar com terra, e hoje tenho desenvolvido pintura com pó de pedra. Colhia terras dos bairros de Canoas porque tinham diferentes cores – conta a artista.

Foto: Jessica Fernanda/ Divulgação

Foto: Jessica Fernanda/ Divulgação

Lorena já participou de coletivas no Margs e no MACRS e expôs no Paço Municipal, em Porto Alegre. Atualmente, está com uma mostra sobre Canoas em cartaz. A artista de 72 anos foi convidada pela prefeitura para dar vida à sua relação com a cidade em uma exposição inédita – o destaque fica por conta da intervenção em um grande mapa representando o município (foto).

Foto: Derli Colomo Jr/ Divulgação

Foto: Derli Colomo Jr/ Divulgação

  • Exposição “Canoas de Lorena Steiner”
  • Casa dos Rosa (Av. Vitor Barreto, 2186)
  • Segunda a sexta-feira, das 9h às 18h. Até 31 de agosto
  • Visita ao ateliê da artista somente por agendamento em (51) 3472-7714

 

Casa das Artes Villa Mimosa

Construído há mais de um século, o prédio que abriga a Casa das Artes Villa Mimosa foi tombado como patrimônio histórico de Canoas em 2009, tornando-se o primeiro centro cultural público da cidade. O espaço – que nasceu como casa de veraneio do contador Frederico Ludwig e de sua mulher, Arminda Kessler, de apelido Dona Mimosa – passou a reunir exposições, recitais e atividades culturais gratuitas.

– As memórias do casal chamam a atenção dos visitantes. Nossa agenda cultural é voltada para todas as idades, privilegiando artistas da cidade – explica Rosângela Cardoso, gestora da programação cultural da casa.

Foto: Rodrigo Silveira/ Divulgação

Foto: Rodrigo Silveira/ Divulgação

 

Atualmente, está em cartaz a mostra coletiva No Coração do Olhar, inspirada na trajetória do professor Thiago Würth, alemão que se dedicou à educação especial e teve boa parte da sua atuação em Canoas. Quem visitar o local também pode conferir o memorial da Família Ludwig.

ParkShoppingCanoas e Parque Getúlio Vargas

Em 2017, Canoas ganhou um novo shopping que virou ponto turístico da cidade. Além de lojas de diferentes ramos, o ParkShoppingCanoas conta com arena de patinação, centro de eventos e uma ampla praça de alimentação com um telão gigante. O centro comercial também se conectou com o verde do entorno: há uma passarela que conecta o shopping ao Parque Getúlio Vargas. Conhecido como Capão do Corvo, o parque reúne minizoológico, campos de futebol, quadras poliesportivas, pista de atletismo, entre outras atrações.

Foto: Omar Freitas/ Agência RBS

Foto: Omar Freitas/ Agência RBS

  • ParkShoppingCanoas, em frente ao Parque Getúlio Vargas
  • Avenida Farroupilha, 4.545
  • (51) 3115-8107

Foto: Omar Freitas/ Agência RBS
Foto: Omar Freitas/ Agência RBS

 

Para comer e beber bem 

The Bronx Burger

Piloto de formação, Marcelo da Silva Schlüter, 29 anos, enfrentou dificuldades para se colocar no mercado após terminar os estudos. E o tempo livre acabou se transformando em negócio. Após uma viagem aos Estados Unidos, decidiu apostar na venda de hambúrgueres com a ajuda do irmão, Andreas, 23 anos. Em casa, os jovens começaram a fazer telentrega, e a empreitada caseira bombou.

– Ele ficava na chapa, e eu, no atendimento. Nossa rede de contatos espalhou nosso nome no boca a boca. Acho que nossa marca registrada, o carimbo no pão, sempre chamou a atenção, além da qualidade – explica Marcelo.

Foto: Pedro Schein/ Divulgação

Foto: Pedro Schein/ Divulgação

 

O The Bronx Burger completou dois anos em maio deste ano. Hoje, tem uma sede com decoração inspirada nos EUA e trabalha com 14 tipos de hambúrgueres. O Tio Sam, um hambúrguer tradicional com molho da casa, é um dos pratos mais pedidos do restaurante.

 

Parada para o café

Andresa Invernizzi Bassani, 28 anos, decidiu largar o emprego em uma grande empresa para investir no sonho do negócio próprio. O objetivo da administradora de Canoas era juntar duas áreas com as quais tinha afinidade: gastronomia e varejo. Um ano depois, em 2016, nasceu o Fomeria.

– Gosto de pessoas e de comida. Mas foi muito difícil ganhar a confiança do mercado para dar os primeiros passos no negócio em função da crise. Hoje, sei que valeu a pena – conta a jovem, que é sócia do irmão, Anderson.

Foto: Ricardo Jaeger/ DivulgaçãoFoto: Ricardo Jaeger/ Divulgação

O propósito do Fomeria é fazer da ida ao minimercado uma experiência expandida e agradável. Enquanto os clientes escolhem os produtos, dá para saborear um farroupilha ou um pão de queijo da casa.

– Nosso café tem o grão moído na hora. O suco também é feito na hora, assim como o corte dos frios. Os bolos, estilo da vovó, são superpedidos também – diz Andresa.

O estabelecimento conta com uma área externa que, volta e meia, abriga feiras de artesanato.

Leia mais
Comente

Hot no Donna