Plante sua lua: entenda o uso que a atriz Bianca Bin e outras mulheres fazem do sangue menstrual

Foto: Reprodução/Globo
Foto: Reprodução/Globo

A atriz Bianca Bin provocou barulho em suas redes sociais ao fazer um convite para suas seguidoras. No Stories do Instagram, a interprete de Clara, na novela O Outro Lado do Paraíso, explicou um ritual que ela mesma pratica: Plantar a sua lua. Trata-se de a mulher coletar seu sangue menstrual e depositá-lo sobre as plantas ou na terra para concluir o ciclo da natureza.

“Plantar a lua é devolver o sangue para a terra. Uso o coletor menstrual e coloco o sangue nas plantas, diluído em água. É uma forma de fechar o ciclo. Isso mudou minha relação com meu corpo e com me entender mulher. O universo é uma grande potência feminina e é com essa força que busco me conectar sempre”, postou Bianca na quarta-feira, 3.

Foto: Reprodução/Instagram Stories

Foto: Reprodução/Instagram Stories

Já tinha ouvido falar nisso? Saiba que muitos sites são dedicados a divulgar rituais como este. A própria Bianca citou um deles, o DanzaMedicina, mas existem outros como o Curandeiras de Si e Ginecologia Natural.

De acordo com DanzaMedicina, o sangue menstrual é uma fonte tica de nutrientes, minerais e hormônios e, por isso, é um poderoso fertilizante natural. Para aderir ao ritual, basta recolher o sangue com um coletor menstrual ou um absorvente de pano, misturá-lo com um pouco de água e encontrar um espaço em meio a natureza.

O site Saberes da Lua ainda fala sobre a prática: “Plantar a lua nada mais é do que retomar a tradição ancestral de devolver nosso sangue à terra, com a intenção de uma renovação para o próximo ciclo. Vale colocar no quintal de casa ou mesmo em um vaso de plantas, se você vive em apartamento”, um post do blog explica.

Em uma publicação no Instagram do DanzaMedicina, celebrou-se pela repercussão que a hashtag #PlanteSuaLua teve e pela discussão que Bianca levantou entre as mulheres.

O movimento #plantesualua está tomando a proporção que merece! Gratidão à @biancafbin pela coragem em se expressar sobre esse tesouro que é nosso útero alquímico e a força ancestral de nosso feminino. Estamos falando aqui de voltar os nossos olhos àquilo que nos pertence, honrando a si, como deve ser. Chegou o momento de nos empoderarmos como mulheres- não em uma batalha contra algo fora de nós, mas como um mergulho profundo dentro. Estamos resgatando nossa magia, nossa intuição, nosso poder visionário, nossa força instintiva, estamos resgatando nossa saúde… e isso não se reflete em separatismo, dogma, misticismo ou qualquer outro “ismo”. Isso se reflete na cura das nossas relações- com você mesma, entre mulheres, com o masculino, com seu corpo, com a Terra. Para quem deseja aprender mais sobre este e outros saberes ancestrais do feminino, é só acessar o blog do site (link do profile) e se deliciar com os artigos e inspirações, com toda a magia, beleza e mistério do nosso Ser Mulher ✨ Nós somos aquelas que estávamos esperando 🔥⚡️💗

Uma publicação compartilhada por Morena Cardoso☽◉☾ (@danzamedicina) em

No dia 6 de agosto mulheres de todo o mundo se unem para fazer o ritual juntas, em uma cerimônia para honrarem o ciclo.

Leia mais:
:: Por que muitas mulheres estão deixando de tomar a pílula anticoncepcional
:: Falar sobre higiene íntima ainda é um tabu para as mulheres, confirma pesquisa

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna