My pussy é o poder! Funkeira feminista vira super-heroína que combate machistas e homofóbicos em clipe

Se você ainda não ouviu falar da funkeira MC Mayara, talvez tenha chegado a hora de dar o play. Mesmo que você não seja lá muito fã do estilo, a gente garante: o novo clipe da curitibana é uma aula de empoderamento feminino (em uma versão bem pop, claro!). 

Veja também
:: Entrevista! Valesca Popozuda se declara feminista e dispara: “quem é diva brilha até no escuro”
:: O caminho do feminismo de Simone de Beavouir até Beyoncé e Valesca Popozuda

:: Revelações do funk, Ludmilla e MC Mayara são as novas representantes do girl power

Em Ai Como Eu Sou Bandida 2, a jovem de 24 anos encarna uma super-heroína cujo poder vem de uma parte, bem, diferente do corpo: a vagina. Também lembrou do já clássico My Pussy é o Poder, da Valesca Popozuda? A gente sim!

Com um raio supersônico, a funkeira combate inimigos como o Super Machista e o Super Homofóbico. Quer mais? Com a ajuda das amigas, ela ainda dribla a Super Racista e a Super Recalcada.

y5pxZe

O melhor? Cada vilão vencido pela Super Mayara se transforma em nada menos do que um diamante. Justo, não é? Olha só um trechinho da letra:

Amar por mais um dia é falta de educação/ Não nasci pra compromisso, não quero perturbação/ Eu não sofro por homem, é só mais um na minha lista/ Agora eu tô vacinada.

Mas essa não é a primeira vez que MC Mayara aborda o feminismo em suas músicas. Em Ela Sabe Rebolar, a cantora brada para quem quiser ouvir: “Mulher é tudo poderosa/É rainha/Trocaram o vestidinho de princesa/Por sainha”. Vale lembrar que a cantora, uma das caras do eletrofunk do Paraná, também foi a primeira funkeira a exibir o barrigão de grávida em um videoclipe.

Assista:

Leia mais
Comente

Hot no Donna