Serviços de mulher para mulher: elas também são prestadoras de serviços usualmente feitos por homens

Foto: Mateus Bruxel
Foto: Mateus Bruxel

Natasha Heinz, especial

Existem profissões de homem e profissões de mulher? Pense em salões de beleza, por exemplo ou em obras: a probabilidade de ver mais mulheres no primeiro e mais homens no segundo é muito grande. Mas isso não é uma regra, tampouco significa que uma mulher não possa colocar – literalmente – a mão na massa e trabalhar em construção, reparos e afins.

De olho em quem não está interessado em chamar um desconhecido para fazer um conserto em casa ou simplesmente se sente mais à vontade em contratar mulheres, surgem cada vez mais prestadoras de serviço e iniciativas voltadas para um atendimento exclusivamente feminino.

Leia também
:: Negocie com mulheres: empresas que valorizam a mão de obra feminina crescem em Porto Alegre

 

S.O.S GURIAS

Reprodução Facebook

Reprodução Facebook

Morando em um apartamento longe dos pais, Sabrina Figueiredo e Daniani Thozeski decidiram pesquisar e aprender a fazer os mais diferentes tipos de serviço que uma casa precisa de quando em quando, desde fixar um quadro na parede a fazer reparos na parte elétrica. Depois, tiveram a experiência de colocar literalmente a mão na massa para construir a casa onde vivem hoje. Quando já haviam concluído o trabalho, uma amiga comentou sobre o projeto paulista Manas à obra, que reúne prestadoras de serviço em consertos, reformas, decoração e manutenção de residências, voltado para o público feminino. Foi o estalo que faltava para criarem o S.O.S Gurias, lançado em janeiro deste ano: desde então, elas disponibilizam seus serviços para mulheres da Grande Porto Alegre.
O que oferece: Pequenos reparos na parte elétrica e hidráulica, montagem e fixação de pequenos móveis, fixação de quadros, prateleiras, espelhos, porta-chaves e afins.
Onde encontrar: No grupo do Facebook

PROJETO ENTREVISTE UMA MULHER

entrevisteumamulher

Baseado em uma pesquisa de 2010 da revista Superinteressante que mostrou que apenas 25% das fontes para matérias jornalísticas eram mulheres, o projeto feminista Think Olga montou um banco de dados interativo com especialistas mulheres. A ideia é que, principalmente em temáticas voltadas às mulheres (mas também nas outras áreas), elas ganhem voz e possam falar de mulher para mulher através dos jornalistas.
O que oferece: Um documento aberto e gratuito com contatos de mulheres especialistas em diferentes áreas e trabalhos publicados, que podem auxiliar em reportagens e pesquisas ou mesmo dar palestras. Profissionais que desejarem se cadastrar na plataforma podem fazê-lo pelo link abaixo.
Onde encontrar: thinkolga.com/projeto-entreviste-uma-mulher

Ufa!

Foto: Carlos Macedo

Foto: Carlos Macedo

Uma reportagem sobre serviços de mulher para mulher em São Paulo foi a inspiração para a arquiteta Gabriela da Siqueira criar sua própria empresa em Porto Alegre. Recém-saída de uma sociedade e com dificuldade de encontrar novos trabalhos, ela estava na casa da família em Santa Catarina, reformando tudo o que encontrava. Para começar, procurou a ONG Mulher em Construção e fez um curso. Então, abriu a Ufa! e começou a trabalhar em obras e com reparos em casa, sempre que possível com parceiras que conheceu na ONG. Às vezes, as clientes – na maioria mulheres de mais idade – ficam inseguras quanto a uma mulher fazer um trabalho mais pesado, mas ao fim, conta ela, acabam elogiando o capricho e, principalmente, a segurança e o respeito.
O que oferece: Reparos em parede, preparação e pintura, instalação de interruptores e tomadas, conserto de chuveiros e torneiras, troca de peças, trabalhos pontuais em hidráulica e elétrica, instalação de prateleiras, montagem e desmontagem de móveis, organização de closets e cozinhas e gerenciamento de obras.
Onde encontrar: Pelo telefone (51) 9993-3723 e em facebook.com/Ufamdofeminina

AMIGAS DE ALUGUEL

Foto: André Avila

Foto: André Avila

Ao encarar uma mudança de casa, a psicóloga Luciana Dorfman teve que deixar alguns reparos para depois enquanto planejava a reforma do apartamento. Uma amiga ajudou durante o processo e, nos dias em que cuidou do filho de Luciana, foi consertando o que faltava, com o conhecimento adquirido na escola e com os irmãos. Ver uma mulher fazendo sozinha um trabalho considerado masculino deu a Luciana a ideia para uma virada profissional. Assim surgiu a Amigas de Aluguel, que reúne prestadoras de serviços gerais com foco no público feminino. Por segurança, as clientes recebem fotos e informações de todas as funcionárias, que chegam uniformizadas na casa.
O que oferece: Consertos em hidráulica e elétrica, pequenas reformas e pintura, reparos em canos, troca de chuveiro, colocação de carpetes, rodapés, lustres e cortinas e instalação de lâmpadas.
Onde encontrar: No Facebook e pelo telefone (51) 8118-2740.

DIOSA MÃO DE OBRA FEMININA

As menina do Diosa (Reprodução Facebook)

As menina do Diosa (Foto: Igor Pires Fotografia)

Maira Russo morava sozinha e ficava desconfortável toda vez que precisava receber um prestador de serviço. Ao buscar alternativas, descobriu que havia muitas mulheres nesse mercado. Então, juntou-se com as amigas Camila Camargo, Larissa Blessman, Ana Schwendler e Bruna De Angeli para fundar a Diosa, uma plataforma de divulgação de mão de obra feminina, que também oferece qualificação tanto para quem quer se tornar uma prestadora de serviço quanto para aquelas que querem aprender a se virar.
O que oferece: Divulgação de prestadoras de serviço de manutenção de residências, qualificação e formação técnica. Entre os cursos, estão elétrica, instalação de split e instalação de azulejos.
Onde encontrar: diosa.me e facebook.com/diosamaodeobrafeminina

CADÊ AMÉLIA

Adriana Franciosi_TATOO

Foto: Adriana Franciosi

Um dia, a tatuadora Brenda Sloczuk e o namorado, Raviel Carvalho, decidiram testar uma ideia no Facebook: a proposta de um estúdio de tatuagem mais focado em um conceito do que na figura do tatuador. Como resposta, em apenas dois dias de chamada no Facebook conseguiram um mês de agenda cheia para Brenda. A proposta: atender somente mulheres. Então, os dois se uniram com mais duas sócias, Juliana Cunningham e Lara Almeida, para criar um estúdio, focando em atendimento, acesso facilitado e envolvimento com a cliente. O Cadê Amélia é um espaço tão exclusivo para mulheres que nem o próprio sócio homem pode entrar na sala quando elas estão se tatuando. Tudo para oferecer às clientes a privacidade necessária.
O que oferece: Tatuagens e piercings para mulheres.
Onde encontrar: Av. Diário de Notícias, 200/1.511, site cadeamelia.com.br e pelo tel. (51) 3574-0629

ONG MULHER EM CONSTRUÇÃO

Foto: Mateus Bruxel

Foto: Mateus Bruxel

Com o objetivo de oferecer formação profissional para mulheres de baixa renda, Bia Kern criou a ONG que desenvolve cursos na área de construção civil para elas. Após uma experiência com maus profissionais, Bia percebeu a necessidade de mulheres aprenderem a fazer reparos na própria casa. Muitas vezes, elas são as chefes de casa, mas dependem de um homem para consertos. Assim, há 10 anos, os cursos ensinam serviços gerais para quem quer dar conta das demandas domésticas, ajudar as vizinhas e amigas e até mesmo aprender uma profissão.
O que oferece: Cursos de formação na área de construção civil. São três propostas, duas delas gratuitas para mulheres de baixa renda: uma oficina de curta duração, com foco em serviços gerais, e um curso longo para formação em elétrica, pintura e hidráulica, alvenaria, cerâmica, entre outros. O terceiro, chamado Criadoras na Obra, para o público geral, é teórico e prático com dicas em temas como troca de tomada e chuveiro, cerâmica e assentamento de piso.
Onde encontrar: mulheremconstrucao.org.br

:: Tudo natural: mulheres fazem produtos de beleza em casa. Veja receitas
:: Finanças no feminino: mitos e verdades sobre como as mulheres lidam com dinheiro
:: Por que as mulheres praticam esporte mais para entrar em forma do que se divertir?

Leia mais
Comente

Hot no Donna