“Você acha que seria melhor se estivéssemos mortos?”, pergunta Ellen Page para policial homofóbico brasileiro

Desde que tornou pública sua orientação sexual, a atriz Ellen Page assumiu o papel de uma espécie de porta-voz da comunidade LGBT. Agora, ela se prepara para lançar o programa Gaycation, do canal Viceland, onde junta do amigo, Ian Daniel (gay também), viajam por vários países falando sobre os problemas enfrentados por homossexuais e transgêneros. Em passagem pelo Rio de Janeiro, Ellen entrevistou um policial brasileiro que diz já ter matado gays. O motivo?

— Pra mim, ele [o gay] é pior do que um bicho. Eu acho que todo chiqueiro tem que ser limpo, entendeu? Se entrar na minha frente, eu pego — disse o homem, que esconde o rosto no vídeo.

:: 10 frases que um filho ouve dos pais quando conta que é gay
:: Fenômeno das drag queens conquista espaço cativo na noite de Porto Alegre

Visivelmente aterrorizada, a atriz questiona a produção se seria seguro dizer que era gay e responde ao policial com outra pergunta:

Nós somos gays e eu queria saber se você acha que seria melhor para o mundo se estivéssemos mortos?

Assista (a partir de 6:21):

O vídeo acima foi apresentado a jornalistas numa coletiva de imprensa que aconteceu em Los Angeles, onde a atriz, que também é ativista da causa LGBT, disse que a entrevista com o policial na passagem pelo Rio de Janeiro foi um momento bastante traumático. As informações são do site The Wrap.

— Provavelmente foi um dos momentos mais amedrontadores e desesperadores que já vivi. No estado em que eu estava, eu só podia torcer, talvez ingenuamente, para que tudo acabasse bem — disse Ellen ao ser pergunta se ficou tensa com a situação.

Em 2014, a atriz canadense, que ficou conhecida pelos filmes Juno e A Origem, assumiu ser homossexual em uma conferência LGBT, em Las Vegas, nos Estados Unidos.

— Eu estou aqui hoje porque sou gay. E porque talvez eu possa fazer alguma diferença — disse na época.

 

Leia mais
Comente

Hot no Donna