Conversamos com Lore Reis, do blog Vida dos Solteiros

A lindinha Lore Reis, 21 anos, é mais uma blogueira a se juntar ao time do Kzuka. É ela quem escreve o Vida de Solteiros, popular na web por falar de um tema que agrada muita gente: a solteirice! Superconselheira das amigas, ela mostra que desapegar não é um bicho de sete cabeças! Confira tudo que ela pensa no www.vidadossolteiros.com.br.

Você é uma solteira convicta?
Lore:
Na realidade, foi o meu amigo, Filipe Emerik, que começou o blog. Apesar do nome, ele não é apenas voltado para os solteiros, mas sim para todas as pessoas que queiram se desapegar, seja de um sentimento ruim, de um relacionamento ruim, de uma situação chata. No blog, tento passar a todos que o importante é ter amor próprio antes de qualquer coisa. Sou a favor da felicidade, de qualquer forma, seja sozinho ou na companhia de alguém.

Por que ser solteiro é melhor do que namorar?
Lore:
Acredito que na vida é importante passarmos pelas duas fases. Ter uma vida de solteiro é importante para o crescimento pessoal, como se fosse um treinamento para um dia termos um grande relacionamento. Sozinhos, acabamos nos conhecendo, conhecendo o mundo, pessoas de todos os tipos e gêneros… é uma bagagem para a vida!

Já que você manja, qual a dica pra “desapegar”?
Lore: Desapego não é uma coisa que se pratica de um dia pro outro. Tem de ser trabalhado. Temos que procurar nossa felicidade, nunca botar em cima de alguém. É preciso desapegar para viver com intensidade. Desapegar é viver bem, ser livre, olhar um filme sozinha por prazer, ler um livro, sair sozinha. Ser desapegado é muito mais que flertar com muitas pessoas, viver em festas. É aprender a ficar com alguém quando você realmente tem interesse, é se sentir bem quando você está em sua companhia, saber se curtir, aproveitar, pegar a mochila e sair viajando por aí…

As leitoras pedem conselhos?
Lore: Recebo vários e-mails pedindo conselhos, eu adoro receber! Adoro poder ajudar. Não que eu saiba tudo, pois estou em um grande aprendizado, mas com certeza me ponho no lugar delas e respondo sempre como eu agiria na situação – e com o meu coração.