Bruna Linzmeyer, Daniela Mercury e mais: artistas celebram Dia da Visibilidade Lésbica e pedem respeito

Foto: Reprodução/Instagram
Foto: Reprodução/Instagram

O Dia da Visibilidade Lésbica no Brasil é celebrado nesta quarta-feira, 29. Por isso, atrizes, ativistas e outras artistas lembraram a data em suas redes sociais e pediram, em geral, respeito ao direito à liberdade.

A atriz Bruna Linzmeyer publicou uma foto com a namorada, a artista visual Priscila Visman. “Que vida linda a gente tem”, escreveu ela na legenda.

A cantora Daniela Mercury também fez um post sobre o tema. “Todas as pessoas têm o direito de constituir uma família, independentemente da sua orientação sexual ou identidade de gênero”, escreveu ela. A esposa da baiana, a jornalista Malu Verçosa, publicou a mesma imagem em seu Instagram.

A atriz Nanda Costa publicou um vídeo com a namorada, a cantora Lan Lanh. “O amor salva. E nada mais digno que compartilhar e celebrar o nosso amor com vocês no dia mundial da visibilidade Lésbica e Bissexual. Hoje e sempre”, escreveu na legenda.

Lan Lanh também fez uma homenagem à amada.

“Toque como uma garota” Todo dia é dia, mas hoje especialmente é o #diadavisibilidadelesbica

Uma publicação compartilhada por Lan Lanh (@lanlanhoficial) em

A atriz transgênero Maria Clara Spinelli, que esteve na novela A Força do Querer, também se manifestou nas redes sociais pela data. Ela compartilhou o cartaz de uma campanha pela liberdade.

#LIBERDADE #Amor #DiadaVisibilidadeLésbica #MariaClaraSpinelli @DriLondono @AntroPositivo

Uma publicação compartilhada por Maria Clara Spinelli 🅾+ (@mariaclaraspinelli) em

A cantora paraense Aíla fez um post onde lembrou o lançamento do clipe da canção Lesbigay, há exatamente um ano. “Onde o amor não tem cor, nem nome, nem pressa”, diz a letra da música.

Há 1 ano eu lançava o clipe LESBIGAY, dia da visibilidade lésbica… Em tempos nefastos de ódio, intolerância e retrocesso de direitos, é fundamental escancarar posicionamentos libertários, ter coragem, escancarar amor, seja ele do jeito que for. O dia nacional da visibilidade lésbica marca e reflete momentos de luta e resistência. E nós sabemos que mesmo dentro dos debates LGBT, a invisibilização das mulheres lésbicas é constante. Portanto visibilizar a nossa existência já é resistir. A nossa luta consiste em visibilizar quem somos, que existimos, e que temos questões urgentes para debater e transformar. É importante assumir o quanto de violência sofremos, diariamente, pois dentro dos índices de violência contra a população LGBT, se percebemos bem, somos o grupo com menos dados, mas não porque não sofremos violência, e sim porque a sociedade, e nós mesmas, omitimos grande parte da violência que sofremos, como os estupros corretivos, organizados inclusive por familiares. Outro ponto fundamental é que nós também precisamos entrar nas prioridades da saúde pública, termos direito a orientação para prevenção de DSTs entre mulheres, por exemplo. É imprescindível entrarmos nas estatísticas, nos estudos, nas pesquisas, nos debates, sermos reconhecidas. E assumirmos também quem somos e todas as violências que sofremos, não calar, expor. Não é fácil ser mulher lésbica em qualquer meio, nós ainda temos muito pra conquistar, pra transformar. O combate é diário, é cansativo, mas enxergo a arte como um forte canal de diálogo para essa transformação. Não existe mais tolerância com o preconceito, queremos direitos iguais, queremos a mesma liberdade. No nosso agora, no nosso hoje, não tem mais espaço para desinformação e discursos vazios. Viva as sapatão TUDO! Vivas, sempre, seguimos! >> Nas fotos, com meu amor @robertacarvalhooo ❤️ << #visibilidadelesbica #diadavisibilidadelesbica #lesbica #lesbian

Uma publicação compartilhada por Aíla (@ailamusic) em

No Twitter, a atriz Fernanda Paes Leme citou o post da DJ Lela Gomes com a frase: “Que a gente consiga seguir derrotando os preconceitos em um mundo tão pequeno”.

O Dia da Visibilidade Lésbica foi instituído no país em 1996.

Leia mais:
:: Dia Nacional da Visibilidade Lésbica: a representatividade além dos clichês e do preconceito
:: Orgulho LGBTQI+: cinco mulheres celebram as conquistas e apontam no que é preciso avançar

Leia mais
Comente

Hot no Donna