Kristen Bell escreve artigo sobre diferenças de gênero: “Por que ‘menininha’ é um adjetivo negativo?”

Foto: Adrian Sanchez-Gonzalez/AFP
Foto: Adrian Sanchez-Gonzalez/AFP

Em uma entrevista no programa de Ellen Degeneres em 2012, Kristen Bell disse que chora por qualquer motivo, triste ou feliz. A atriz, conhecida por seu papel como Veronica Mars e pela voz da princesa Anna de Frozen, não tem medo de abraçar seu lado emocional, “feminino”. E ela defendeu essa pensamento em um artigo publicado no Medium, nessa terça, 14.

Kristen-1-1436968671

“Muitas pessoas no mundo acreditam que mulheres não são iguais a homens. E eu sei que essa pode ser uma opinião polêmica, mas terei que concordar”, escreve Kristen. Ela continua dizendo que, sim, mas mulheres devem ter poderes iguais, ganhar os mesmos salários e serem ouvidas igualmente. Porém, biologicamente, mulheres e homens não são iguais. O problema, então, não está nas diferenças, mas na forma pejorativa com que se enxergam as qualidades femininas.

“Por que ‘menininha’ é um adjetivo negativo?” ela se pergunta. “Eu gostaria de me juntar àquelas pessoas que resolveram mudar essa narrativa e enxergar essas diferenças como bonitas, inconquistáveis e inspiradoras”.

Kristen continua citando características tradicionalmente associadas à feminilidade: ser emocional, sensível e não gostar de confrontos. Para a atriz, tudo isso deveria ser considerado como lados bons de ser mulher: “Nossa sensibilidade e empatia nos dão uma capacidade de compreensão. Elas nos permitem ser generosas material e espiritualmente, porque podemos priorizar nossas necessidades e as dos outros. Não gostar de confronto não significa que fugimos de conflitos, mas que chegamos a uma resolução de uma maneira diferente”.

:: Escolas britânicas adotam uniformes sem gênero
:: Garotinho escolhe usar fantasia de princesa Elsa, de “Frozen”, no Halloween – e pai dá a melhor justificativa
:: Menino também pode! Empresa gaúcha cria brinquedo neutro e acende debate sobre gêneros

A atriz ainda destacou a importância de lembrar que nem todas as mulheres são iguais e que não devemos colocar as pessoas em caixas. Cada mulher tem uma qualidade que é só dela e, nessa luta pela equidade, as mulheres devem aceitar suas diferenças e valorizar elas como superpoderes.

“Chegando nessa época super emocionante, eu tenho esperança que o futuro nos traga um pensamento mais aberto, poder pela inclusão e uma generosidade de espírito. Você sabe, todas essas coisas de menininha”, Kristen finalizou.

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna