Primeira Mulher Maravilha, Lynda Carter revela ter sofrido assédio no set do seriado

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Entre tantas denúncias de assédio na indústria cinematográfica, foi a vez da atriz Lynda Carter, 66 anos, a primeira intérprete da Mulher Maravilha falar sobre o que viveu durante as gravações do seriado. Em entrevista ao The Daily Beast, ela contou que também foi vítima de violência sexual.

A atriz desabafou que ainda não superou o trauma, mas não divulgou o nome do agressor, disse que ele já foi punido por outros crimes antes. De acordo com Lynda, o homem violentou outras pessoas e na época, ela cogitou denunciá-lo mas apenas se conformou, por “ser apenas um rosto na multidão”.

Durante as gravações do seriado, um cinegrafista abriu um buraco na parede do camarim para observá-la trocando de roupa. Ela contou que o pegaram no ato, demitiram e expulsaram da indústria. Mas este foi um caso de exceção.

– Você ouvia das pessoas: ‘Fique longe de tal sujeito’, ‘Fique de olho naquele diretor de casting’,’Cuidado com fulano de tal’. Era assim que a gente se protegia: avisando e sendo avisada por amigas. Fazíamos parte do movimento feminista. Não íamos tolerar ser destratadas por ninguém. Então nos sentíamos fortes dentro desse movimento, mas não havia muitos papéis para nós.

Leia mais:
:: Assédio sexual: o que é, o que diz a lei e como denunciar se ocorrer com você
:: No trabalho, na aula, no consultório, na rua e em casa: mulheres compartilham histórias de assédio sexual
:: #MeToo: Ashley Graham conta história do assédio que sofreu aos 17 anos

Leia mais
Comente

Hot no Donna