Robin Wright revela que “brigou” com a Netflix para ganhar o mesmo que Kevin Spacey em “House of Cards”

Justin Tallis/AFP
Justin Tallis/AFP

Já podemos colocar Robin Wright na lista de mulheres que vêm lutando por pagamentos iguais em Hollywood.

Em um evento na Rockefeller Foundation nesta terça, a atriz revelou que teve que pressionar a Netflix para receber um salário igual ao de Kevin Spacey em House of Cards. Segundo a notícia do The Huffington Post, ela contou a história ao ser perguntada sobre as barreiras que encontra como mulher em sua carreira.

:: Quatro dos cinco atores mais rentáveis de Hollywood são mulheres: veja a lista
:: 7 motivos que fizeram de Jennifer Lawrence a estrela mais valiosa de Hollywood
:: Olivia Wilde revela que foi considerada “velha demais” para viver par romântico de Leo DiCaprio

A atriz que interpreta Claire Underwood na série disse que resolveu pedir a mudança no salário ao reparar que, por um certo tempo, sua personagem era bem mais popular do que a do colega.

– Eu resolvi capitalizar em cima disso – explicou. – Eu falei: “Ou vocês me pagam, ou vou ir a público falar sobre isso”. E eles me pagaram.

A atriz de 50 anos, que também é produtora e diretora de alguns episódios da série, ainda explicou porque está no contexto ideal para a exigência.

– Há muito poucos filmes ou séries em que o homem, o patriarca, e a matriarca são iguais. E eles são em House of Cards.

house of cards

A diferença não era novidade, visto que a filha de Robin, Dylan Penn, revelou à Marie Claire no final do ano passado que o salário de Kevin Spacey era mais alto, mesmo com ambos personagens sendo protagonistas.

Não se sabe exatamente quanto os atores ganham na série, porém, em 2014, era estimado que o ator ganhava em torno de 500 mil dólares por episódio, enquanto a atriz ganharia 420 mil dólares.

Assista ao vídeo da entrevista abaixo:

Leia mais:
:: Em ação contra desigualdade salarial, restaurante cobra 30% a mais de homens
:: Mulher negra ganha menos de 40% do que homem branco no Brasil
:: Mulheres precisam trabalhar 103 dias a mais para ganhar o mesmo que homens em comércio

Leia mais
Comente

Hot no Donna