Donas do campinho: conheça 4 mulheres que foram pioneiras nos gramados

Foto: CBF/Divulgação
Foto: CBF/Divulgação

Donna contou a história de Alessandra Huff Mello, 34 anos, uma gaúcha que é treinadora de um time gay de futebol. O Magia Sport Club está entre as principais equipes brasileiras da Liga Nacional de Futebol Gay (LiGay). É uma prova de que, mesmo que aos poucos, as mulheres estão cada vez mais ocupando posições antes dominadas pelos homens.

Conheça outras quatro mulheres que, assim como Alessandra, mostram que o lugar delas também pode ser entre as quatro linhas, sim!

Corinne Diacre

Foto: AFP

Foto: AFP

Aos 39 anos, a francesa foi a primeira mulher da história a treinar um time de futebol masculino profissional. Corinne comandou o Clermont Foot 63, time que estava na segunda divisão do futebol francês, por três anos. Em 2017, a técnica – que foi jogadora profissional por 25 anos – assumiu a seleção feminina do país.

Emily Lima

Foto: CBF/Divulgação

Foto: CBF/Divulgação

Após três décadas de dinastia masculina, a seleção feminina de futebol teve sua primeira treinadora, Emily Lima, em 2016. Ao sair, a técnica desabafou: “Não sei se existe lobby por técnico homem, mas acho bem difícil outra mulher assumir o cargo”. De fato, quem assumiu o time e permanece até hoje é o treinador Vadão. Atualmente, Emily comanda o time de futebol feminino do Santos, as Sereias da Vila.

Leia mais:

:: Torcedora de verdade! Presidente da Croácia rouba a cena na final da Copa
:: Treinadora do Santos desabafa sobre vídeo machista: “Isso não é surpresa para nós que trabalhamos com futebol feminino”
:: Piangers: “Minha filha me perguntou se mulheres PODEM jogar futebol. Claro que podem”

Bibiana Steinhaus

Foto: AFP

Foto: AFP

Em 2017, a alemã tornou-se a primeira mulher a arbitrar um jogo de um dos grandes campeonatos europeus. Bibiana Steinhaus dirigiu a partida entre os times Hertha Berlim e Werder Bremen e apareceu entre os 24 árbitros da Bundesliga. Antes dela, algumas árbitras exerceram funções como bandeirinhas em jogos do primeiro escalão na França e na Inglaterra.

Marta

Foto: AFP

Foto: AFP

Impossível não citar o maior ícone do futebol feminino: a nossa brasileira Marta. Entre os feitos da “Rainha Marta”, estão as cinco vitórias consecutivas como melhor jogadora do mundo – mesmo número de títulos que nomes como Cristiano Ronaldo e Lionel Messi.

Há três anos, Marta também se tornou a maior artilheira da história da Seleção Brasileira, superando o jogador Pelé.

Leia mais:

:: Futebol feminino e desigualdade de gênero: por que o gramado sintético sempre sobra pra gente?
:: Fernanda Gentil fala sobre machismo nos estádios de futebol: “Se perdem, te chamam de piranha”

Leia mais
Comente

Hot no Donna