E as metas de 2017, hein? Saiba que ainda há tempo de riscar os objetivos do ano

Foto: Bruno Alencastro, Agência RBS
Foto: Bruno Alencastro, Agência RBS

Por Rossana Silva, especial

Lembra das cinco leitoras que compartilharam com Donna suas metas para 2017? Pois fomos ver o que elas já conseguiram (ou não) realizar. A boa notícia: ainda há tempo para elas e para você colocar em prática suas resoluções.

Embora a chegada à segunda metade do ano não tenha rito de passagem, o momento é propício para avaliar o que foi feito para concretizar os desejos propostos lá do comecinho de 2017. Suas resoluções já começaram a sair do papel?

Em janeiro, abrimos nossas páginas para mostrar a cinco leitoras como aproveitar o ano novinho em folha para atingir objetivos desde o planejamento financeiro até o consumo consciente. A partir do passo a passo montado com a ajuda de especialistas, cumprir cada resolução era uma expectativa viável. No decorrer dos meses, porém, o que parecia simples de ser colocado em prática muitas vezes foi adiado por imprevistos e pela rotina apertada.

Meio ano depois, voltamos a procurar Gabriela, Caroline, Simone, Larissa e Geanina. Descobrimos que todas já colocaram o plano em prática – mas ainda falta um tanto para que elas realizem suas metas. Novamente, fomos em busca de especialistas para orientá-las no que ainda é necessário para dar um “check” na lista de resoluções para 2017. Inspire-se você também, confira as dicas e monte um plano para ter a sensação de dever cumprido quando dezembro chegar.

Resolução: aprender a investir

Foto: Bruno Alencastro, Agência RBS

Foto: Bruno Alencastro, Agência RBS

A publicitária Gabriela Carminatti, 27 anos, decidiu que 2017 seria o ano para aprender sobre planejamento financeiro, juntar dinheiro e começar a investir. Tudo de olho no futuro, pois o sonho é conseguir, algum dia, viver de renda. E para colocar o plano em prática, primeiro ela precisou entender por onde o dinheiro escapava:

– Não sabia exatamente com o que gastava o dinheiro. Fiz uma tabela de objetivos de quanto poderia gastar com cada coisa e passei a colocar limites.

Em maio, Gabriela finalmente conseguiu “virar a chave”, equilibrando os gastos e poupando uma quantia mensal. As aulas do MBA em Gestão de Negócios ajudaram a entender o mercado de investimentos: Taxa Selic e outros jargões finalmente decifrados. Agora, só falta colocar os ensinamentos em prática e fazer a primeira aplicação.

Plano de ação

Confira as dicas da planejadora financeira Leticia Camargo e da coach financeira Leila Ghiorzi

• Antes do primeiro investimento, Leticia Camargo recomenda separar uma reserva de emergência. Calcule os gastos mensais e guarde de seis a 12 vezes este valor. Como esta quantia será para imprevistos, então a dica é deixá-la na poupança para resgatar quando quiser.

• Para um investidor de primeira viagem, é mais seguro escolher uma opção conservadora, que não ofereça riscos e que permita o resgate facilmente, como, por exemplo, o Certificado de Depósito Bancário (CDB).

• Defina o seu perfil de investidor. No site do Tesouro Direto, há um orientador financeiro que aponta o investimento mais adequado às suas necessidades. Depois de responder a um questionário, o site sugere a opção que mais se encaixa no seu perfil: zhora.co/TDperfil. Uma conversa com o gerente do seu banco pode ajudar.

• Pesquise as melhores taxas. Para investir em títulos do Tesouro Direto – uma das principais opções do mercado -, abrir uma conta em uma corretora de valores é inevitável. A taxa de custódia (quanto a instituição cobra para guardar esse título) varia e há até corretoras que não cobram taxa. Confira em bit.ly/TDranking.

• Aplicativos como Guia de Investimentos e Calculadora de Investimentos ajudam a escolher a modalidade e acompanhar os resultados.

Resolução: ter preparo físico para participar de corrida de rua

Foto: Bruno Alencastro, Agência RBS

Foto: Bruno Alencastro, Agência RBS

Ao se mudar de São Paulo para a Capital, a psicóloga Larissa Miranda Régis, 28 anos, conseguiu fazer o exercício físico virar hábito e diminuiu oito quilos na balança: começou a correr na esteira. Motivada por desafios, estabeleceu participar de uma corrida de rua como objetivo para 2017.

Nos primeiros meses do ano, comprou um tênis novo e deu as primeiras passadas rápidas ao ar livre. Por não encontrar um grupo de corrida nos horários que tinha livre, desestimulou-se e voltou para a esteira. O tempo chuvoso tampouco favoreceu a corrida ao ar livre.

– Continuo com a musculação e faço um treino funcional, que tem ajudado bastante no meu condicionamento físico. Mas ainda preciso melhorar meu rendimento na corrida – afirma.

Para cruzar a linha de chegada dos cinco quilômetros percorridos, Larissa precisa dar continuidade aos treinos sob as baixas temperaturas do inverno gaúcho (que não de vir) – um desafio até para corredores mais experientes.

Plano de ação

A ultramaratonista Daniela Santarosa, que há duas décadas encara treinos sob qualquer temperatura, dá dicas para vencer a resistência e sair para correr na rua durante o inverno.

• Agasalhe-se. Para correr no inverno, lance mão de casaco quebra-vento, manguito (mangas soltas que protegem os braços), touca e luvas. As lojas especializadas oferecem outros acessórios para proteger quem também sente frio em outras partes do corpo.

• Cuide da respiração. Golas que cobrem do pescoço ao nariz colaboram para quem tem problemas respiratórios correr de maneira mais confortável no frio. Além de proteger, elas impedem que o ar chegue gelado às narinas. Modelos específicos para a corrida são encontrados em lojas de esportes.

• Capriche no aquecimento. Para ativar a musculatura no frio e evitar lesões, pelo menos cinco minutos  e caminhada intensa ou trote são essenciais antes de engrenar a parte pesada do treino. Depois do treino, troque a roupa imediatamente e tome um banho quente para aquecer o corpo e evitar gripes e resfriados.

• Coloque um compromisso na agenda. Ao retomar os treinos, escolha uma corrida de rua nos próximos meses e faça a inscrição. Ter uma data em vista funciona para gerar compromisso e motivação com os treinos, pois você terá de estar preparada para o desafio.

Resolução: adotar uma alimentação mais saudável

Foto: Bruno Alencastro, Agência RBS

Foto: Bruno Alencastro, Agência RBS

Ela testou diferentes dietas até perceber que o filho era a maior motivação para adotar uma alimentação
saudável. Com dois anos e quatro meses, ele já quer experimentar o que está no prato dos pais – nem sempre tão saudável quanto o dele. Então, a analista de desenvolvimento Geanina Gomes, 35 anos, decidiu ter uma alimentação mais saudável e aderir ao “marmitismo”, preparando em casa o almoço
para levar ao trabalho. Neste ano, fez uma assinatura de produtos orgânicos, que chegam a sua casa fresquinhos, mas a marmita não rolou.

– Tive de escolher entre preparar o almoço ou passar mais tempo com meu filho. E o refeitório da empresa tem opções de saladas e legumes. Mas também tem a polenta e a carne frita. Às vezes, é difícil resistir.

Plano de ação

A nutricoach Denise Entrudo e a nutricionista Simone Bach acreditam que ainda há tempo para Geanina ter uma alimentação saudável. Veja as dicas:

• Reforce o café da manhã. Chegar ao almoço mais saciada ajuda a resistir à tentação de comer o que
não é saudável. Para isso, Denise aconselha investir em fibras e proteínas. A dica é incluir ovos com preparações rápidas como omelete ou panqueca.

• Um lanchinho é bem-vindo antes do almoço. Se sentir fome antes do meio-dia, coma uma fruta ou algumas oleaginosas, como amêndoas, castanhas ou nozes, que aumentam a sensação de saciedade.

• Prepare duas refeições de uma vez. Para levar a marmita para o almoço, a dica é começar aos poucos, uma ou duas vezes por semana. Para quem, como Geanina, já prepara o jantar em casa – e não se importa em repetir a comida –, vale aumentar a quantidade para que sobre o suficiente para o almoço do dia seguinte.

• Capriche na variedade. A nutricionista Simone Bach destaca que um almoço completo deve ter carboidratos (como arroz, aipim, batata, milho), proteína (carne, frango, peixe e ovos, ou proteínas vegetais como grão de bico e ervilha), leguminosas (feijões, lentilha, ervilha, grão de bico) e de três a quatro tipos de saladas. Veja as receitas no canal de Simone no YouTube: youtube.com/cozinhabach.

Resolução: melhorar a gestão do tempo

Foto: Bruno Alencastro, Agência RBS

Foto: Bruno Alencastro, Agência RBS

Dividida entre o cuidado dos dois filhos pequenos e os trabalhos do curso de Engenharia Civil, Caroline
Machado Martins, 33 anos, já tinha autoridade para falar sobre administração do tempo. Ainda assim, o
plano para 2017 era organizar melhor a agenda. Passou a usar a do Google, sincronizou-a com a do marido, no celular e no computador, e mapeou as atividades e compromissos de toda a família, que
aumentou em 28 de maio, quando ela deu à luz Isadora. Desde então, tudo mais ficou secundário.

– Fui até o final da gestação estudando e mantendo a rotina normal. Mas, por mais que tenha me planejado, algumas coisas tiveram de ser adiadas, como o cronograma de provas.

Caroline pretende retomar a faculdade em setembro. Enquanto isso, planeja o aniversário dos filhos maiores e as férias de janeiro.

Plano de ação

Veja as dicas das coachs Mileine Vargas e Tathiane Deândhela,
autora do livro “Faça o Tempo Trabalhar para Você”

• Abrace o momento. Gestão do tempo não significa apenas fazer muitas coisas simultaneamente, mas realizar da melhor maneira a atividade à que você se propôs, seja a maternidade ou uma tarefa profissional. Escolha desfrutar do momento e aproveite a qualidade do tempo que você vive.

• Planeje o futuro. Fazer uma projeção do que se espera para os próximos cinco anos sinaliza o que terá de ser feito até lá. Dependendo da sua rotina (levando em conta, por exemplo, que os três primeiros anos de vida de um filho exige um grande envolvimento dos pais), é melhor fazer planos maiores para quando sua vida estiver mais tranquila.

• Para uma mulher que acaba de ter um filho, o ideal é retomar a rotina aos poucos. Dentro de alguns meses, comece a inserir no dia a dia as atividades que dão prazer ou estão relacionadas à sua profissão. É importante ter disciplina, mas sem se pressionar para abraçar o mundo nesse período.

• Adote parcerias estratégicas. É assim que Tathiane Deândhela define a cooperação entre mães e amigas
no cuidado das crianças. À medida que elas crescerem, estabeleça um dia no qual uma pessoa de confiança que também tem filhos traz as crianças para você cuidar, e vice-versa. No seu dia livre, aproveite para se dedicar a estudo e trabalho ou, simplesmente, descansar.

Resolução: adotar o consumo sustentável

Foto: Bruno Alencastro, Agência RBS

Foto: Bruno Alencastro, Agência RBS

Desde o início do ano, quando a bancária Simone Severo, 32 anos, se propôs a aderir ao consumo consciente, o assunto tem sido tema constante com a família e os amigos, que têm consultado Simone antes de ir às compras. É uma pista de que ela está no caminho certo.

Simone doou e vendeu peças de roupa que ainda estavam com etiqueta e não tinham nenhum sinal de que algum dia seriam aproveitadas. Hoje, o armário abriga apenas o que de fato é usado. Ela passou a comprar menos e, quando precisa de algo, prefere garimpar no Brick dos Desapegos a adquirir algo novo. E tem ainda outro truque: recorrer a uma costureira de confiança para recuperar roupas que andavam esquecidas.

Agora, o foco de Simone está nos cosméticos e nos produtos de higiene: – Estou percebendo que, muitas vezes, é fácil substituir, por exemplo, um produto que faz testes em animais por outro que não faz.

Plano de ação

Veja dicas da professora da pesquisadora do Núcleo de Moda Sustentável da UFRGS
Bruna Lummertz e da criadora do blog Um ano sem lixo, Cristal Muniz:

• Esteja atenta a novos modelos de consumo. Além de brechós e de marcas sustentáveis, uma nova alternativa de foi trazida a Porto Alegre pela Rêver (facebook.com/rever.art.br/), uma roupateca onde é possível alugar e comprar peças de designers locais.

• Quanto mais perto de você, melhor. Há boas opções nacionais para tornar a nécessaire ecológica. Vegana e orgânica, a Bioart (bioart.eco.br) tem uma linha de cosméticos; e a Baims (baims.com.br) oferece desde fórmulas orgânicas e livres de ingredientes tóxicos até a distribuição em embalagens com elementos de bambu e papel certificado pelo Conselho de Manejo Florestal (Forestry Stewardship Council, em inglês).

• Do it yourself. O e-book Rotina de Beleza Natural e Sem Lixo reúne o conteúdo do workshop de beleza natural ministrado por Cristal Muniz. Traz receitas de tônicos faciais fáceis de fazer em casa e ensina como hidratar a pele com óleos vegetais, além de outras formas de tratar a pele com máscaras e esfoliantes. O download pode ser feito em www.umanosemlixo.com/p/ebooks.html por R$ 5.

• Pesquise o que pode ser substituído. Na pia, dá para trocar os detergentes líquidos por sabão de coco em barra (procure por óleo de babaçu ou óleo de coco na composição, para evitar adquirir um sabão que de coco, tem só a fragância) e a esponja, por bucha vegetal.

E as resoluções do time Donna?

Na virada do ano, a equipe de Donna e a autora desta reportagem, Rossana Silva, também anunciaram seus planos para 2017. Veja o que já conseguimos realizar (ou não!):

Patrícia Rocha, editora: se aperfeiçoar na cozinha

00c4c24d

Eu tô me achando: só neste ano já fiz risotos (com caldo feito em casa!) e sobremesas como tarte de frutas e petit gateau, pratiquei o melhor ponto da carne e muitas receitas mais que aprendi no curso da Confraria União D’Elas. Mas, confesso, ainda falta fazer feijão!

Camila Saccomori, editora assistente: meditar

00c0f2e8

Metade da meta, eu cumpri: aplicar o mindfulness para amenizar o estresse e a ansiedade. Já fiz um curso de oito semanas, já li um livro-guia (o best-seller do tema), já aprendi a fazer. Só falta… fazer todos os dias!

Barbara Zamberlan, estratégia digital: aprender a investir

00bf1ceb

Confesso que não consegui dar foco em minha resolução de ano-novo. Preciso descobrirum curso básico de finanças direcionado para mulheres. O negócio é correr pois ainda dá tempo!

Thamires Tancredi, repórter: dançar

00ae033e

Confesso, procrastinei. Estamos em julho e, por enquanto, só dancei mesmo em festa. Mas vou me redimir: já estou prématriculada em uma turma de videodance que começa em agosto.

Camila Camargo, projetos: fazer trilhas

00c0f350

Faltou tempo para sair de Porto Alegre no fim de semana para fazer trilhas. Conheci algumas propostas muito legais de caminhadas para cascatas e cachoeiras e estou me agendando para fazê-las em seguida

Carolina Goyer, assistente online: voltar a nadar

00c0f35d

A empolgação inicial rendeu a compra de um maiô, a procura pelos velhos óculos e touca de natação e a primeira – e única – ida à piscina. Ainda não retornei, mas a mochila continua pronta.

Rossana Silva, colaboradora: praticar o desapego

00c6c44d

É mais difícil do que eu imaginava. Mas já dei um jeito em caixas de mudanças intocadas havia meses, dei coisas e me contive para não levar para casa nada novo que não fosse essencial.

Leia mais
:: Metas do ano novo: um manual básico para você realizar tudo o que deseja
:: Desejos da equipe Donna para 2017: compartilhamos nossas metas para o ano, venha se inspirar :-)
:: Correr na rua é sua meta? Confira tudo o que você precisa saber para se preparar
:: Consumo consciente é sua resolução para o ano? Confira dicas para cumprir essa meta
:: Sua meta de ano-novo é ter uma alimentação mais saudável? Confira as dicas para cumprir esta resolução

Leia mais
Comente

Hot no Donna