“Enfim, 30”: Com humor, livro traz um manual de como não entrar na crise dos 30 anos

Tenha você 15, 23 ou 29 anos, provavelmente já ouviu falar da tal crise das balzaquianas. Mas será que existe mesmo? E como passar ilesa? Algumas respostas estão em Enfim, 30, espécie de manual bem-humorado para quem completa três décadas de vida, de autoria de Camila Fremder e Jana Rosa (Editora Paralela, 188 páginas, R$ 29,90). O mais do que pertinente subtítulo, aliás, já dá a dica: “Um livro para não entrar na crise.”

“Não quer dizer que os 20 foram horríveis e que nos sentimos mal porque nossa vida sempre esteve errada”, escrevem as autoras. “Uma década inteira da nossa vida fomos crianças demais, a outra passamos inteira na escola e faculdade, depois tivemos uma década para tentar descobrir quem somos e o que queremos fazer no mundo, mas, quando nem conseguimos chegar a alguma conclusão, apareceram mais dúvidas.”

Outros lançamentos bacanas
:: Autora de “Comer, Rezar e Amar”, Elizabeth Gilbert convida a viver no livro “Grande Magia”
:: Depois de oito anos, Carpinejar volta à poesia em livro sobre relacionamentos
:: “Malala é uma Cinderela de seu tempo, embora às avessas”, diz autora de livro
:: Em seu primeiro livro, Ruth Manus explora todas as formas de amor em crônicas e poemas

Com as mesmas pitadas de autoajuda às avessas de Como Ter uma Vida Normal Sendo Louca, primeira parceria literária da dupla, Camila e Jana discutem temas como realização profissional, o tal do relógio biológico, regrinhas-para-não-seguir de moda e beleza e até astrologia e numerologia. Mas é quando trata de amor, casamento e apps de paquera que o livro atinge seu ponto alto. As autoras tentam, a todo custo, tirar da cabeça da leitora que essa é a idade para unir as escovas de dentes: “Você pode casar quando quiser, mais jovem, mais velha, muito mais velha. Você também pode não se casar nunca. Faça o que quiser, ok? De todos os jeitos está certo”.

A mensagem central, reforçada na entrevista a seguir concedida por e-mail, é que os 30 não são, necessariamente, a idade em que você já deveria ter sido promovida, encontrado o amor da sua vida, recheado a conta bancária e planejado ter (ou já ter!) filhos. Na maioria dos casos – inclusive o das próprias escritoras –, a chegada aos 30 é o momento de fazer um balanço do que está funcionando ou não. E, mais importante, de se reinventar e descobrir o que de fato quer fazer nas próximas décadas. Porque, como diz o título do último capítulo, “aos 30 você está só começando”.

Veja também
:: Livro de jornalista comenta, com boas doses de sinceridade, como é chegar aos 40 anos

JanaRosa_CamilaFremder-RenatoParada© (2)

 

Entrevista!

Qual o principal drama da crise dos 30?
Cami Fremder e Jana Rosa (elas assinam juntas esta resposta no e-mail) – Para cada pessoa é um. Tem gente que sofre mais na parte profissional, financeira, amorosa, tem gente que se cobra porque quer ter filho logo, tem quem mude de turma total, muitas cobranças e crises juntas e misturadas. E devem existir pessoas maravilhosas com zero crise: somos grande fãs, mas esperamos que comprem o livro mesmo assim e nos ajudem.

O que é esperado de uma mulher de 30 pela sociedade?
Cami – Coisas tão chatas e ultrapassadas que preferimos nem repetir aqui para ver se as pessoas esquecem logo.

O que você mesma se cobra ao chegar aos 30?
Cami – Aprender a ser feliz dentro da minha realidade, com as escolhas que fiz, com a aparência que tenho e com a profissão que escolhi.

O que é ser bem-sucedida aos 30?
Jana – Ser essas pessoas que recebem amigos em casa para fazer jantares adultos onde todos bebem vinho de leve e vão embora meio cedo. Acho muito bonito quem faz festa adulta.
Cami – É conseguir equilibrar vida profissional e pessoal sem chorar no meio do banho.

Quais são as autossabotagens e os medos mais frequentes aos 30?
Jana – Cada uma tem os seus, né? Depende muito da experiência de cada mulher, por isso no livro falamos de várias, cada uma vai se identificar mais com uma parte. Meu medo pesa no aspecto de não ter dinheiro para viajar e viver bem, por exemplo, mas para outra pode ser querer casar e ter filhos, para outra pode ser querer ser musa fitness, para outra querer ser chefe de uma empresa etc. E autossabotagens também é uma experiência de cada uma, né?
Cami – Meu medo é enrolar demais para ter filhos. Adoro quando leio matérias de pessoas que deram à luz aos 45 anos, por exemplo, já logo penso: “Ah, dá pra esperar mais um pouco…”.

Nunca imaginei que aos 30 anos eu…
Jana – Teria uma vida igual à dos 20, só que mais legal.
Cami – Me sentiria tão jovem, praticamente uma criança, só que cheia de contas para pagar.

Que conselho vocês dariam para a Cami e a Jana de 40 anos?
Cami – Tô tentando me alimentar bem e fazer exercícios, espero que você mantenha esse meu trabalho.
Jana – Espero que você não beba em dias de semana.

00b5e320

 

O que Jana e Cami dizem sobre…

Saúde

“Aos trinta a ilusão de que a academia vai te deixar perfeita acaba. Você não tem mais o intuito de ir até lá pra só ficar sarada, dificilmente pensa na palavra sarada no dia a dia, porque saradas aos trinta são só as pessoas que têm muito tempo livre pra se dedicar a isso. Agora a ideia é ficar bem com você e com o espelho e cuidar da saúde. Pois é, quem diria, agora pensamos em saúde.”

enfim30livrojanarosacamilafremderBeleza

Chegamos aos 30 e não aconteceu uma grande mudança de guarda-roupa. Não temos um tailleur – ainda bem –; (…) e nosso cabelo é comprido com franjinha como sempre foi. A mudança, na verdade, foi que paramos de ler listas de revistas ou qualquer lista que nos fale como devemos nos vestir em qualquer idade, porque não acreditamos mais em regras de moda e beleza.

Carreira

Pode reparar: pessoas que ganham bem (…) e até donas do próprio negócio, ninguém sabe direito o que quer fazer da vida aos trinta.

Leia mais
Comente

Hot no Donna