Guia: 8 coisas que você precisa saber sobre os Estados Unidos antes de chegar lá

Escolher o hotel, os passeios e restaurantes de uma viagem é muito bom, mas entender um pouco da cultura do país que você vai visitar e estudar algumas coisinhas básicas de costumes e regras é essencial para o sucesso de qualquer viagem. Com o objetivo de ajudar você a planejar a sua viagem, compartilho aqui um guia prático com tudo o que você precisa saber antes de ir aos Estados Unidos.

Outras dicas de viagem?
:: Como comer bem gastando pouco em Nova York

:: Caribe: conheça o paraíso romântico das ilhas Turks and Caicos 
:: Café da manhã com almoço! 5 melhores brunches de Los Angeles

Confere abaixo para fazer bonito em sua próxima aventura para a América:

  1. Visto

Qualquer brasileiro que vá aos Estados Unidos precisa de visto, mesmo que o objetivo da viagem seja apenas turismo. O primeiro passo para obter a autorização é preencher a ficha do site da embaixada  americana.

Depois de pagar a taxa de 160 dólares (no caso de turistas), é necessário agendar, também pelo site, a entrevista presencial em algum dos consulados (atualmente em Brasília, Rio de Janeiro e São Paulo). Ao final da etapa (se tudo der certo), o visto terá validade de 10 anos. Quem tem passaporte europeu não precisa de visto, mas sim de uma autorização, chamada de ESTA (Electronic System of Travelling Authorization), que dura por dois anos. Ela deve ser solicitada neste site,  é necessário pagar uma taxa de 14 dólares e apresentar o comprovante na imigração, junto com o passaporte.

2. Bares e restaurantes

Nos Estados Unidos, é costume sempre esperar que o/a hostess do restaurante indique uma mesa para você sentar. Depois de se acomodar, provavelmente a primeira pergunta que você vai ouvir do garçom/garçonete é se deseja beber alguma coisa. Se a escolha for água, você pode optar por comprar uma garrafa de água ou por consumir o que eles chamam de “tap water“. Esta segunda opção é grátis, inclusive sua reposição, porque lá a água que sai pela torneira é potável, e os estabelecimentos são obrigados a fornecer para o cliente sem cobrar nada.

tapwater

O famoso “free refill” também acontece na maioria dos restaurantes, onde os refrigerantes são de livre reposição – nos mais comuns, ainda conta com sistema “to take away“. Depois de pagar no caixa, você mesmo se serve, com o tamanho do copo que quiser e com direito a free refill.

Outro ponto importante, na saída, é incluir a gorjeta de quem lhe atendeu. Esse costume é praticamente adotado como lei por lá, e grande parte do salário dos garçons provém das “tips“. Você deve acrescentar a gorjeta ao pagamento, porque o valor não vem incluso na hora de fechar a conta (só se você está em um grupo de mais de 08 pessoas). Os americanos costumam destinar entre 18% a 20% de gorjeta para os garçons (mas o valor de 15% já é aceitável).

3. Porções

Fique sempre atento, porque na terra dos fast-foods todas as porções são grandes! Geralmente, tudo dá para dividir (ponto positivo para quem quer economizar!). De um copo de café a uma porção de fritas nos restaurantes, tudo vem em quantidade mais que suficiente para alimentar bem. Claro que, com exceção dos restaurantes mais requintados ou de diferentes culinárias que não a Americana.

fries

4. Bebidas alcoólicas

Quando se vai a algum bar ou restaurante, prepare-se para apresentar o passaporte se for consumir alguma bebida alcoólica. Apenas maiores de 21 anos podem ingerir álcool nos Estados Unidos, e a lei é realmente levada a sério. Além disso, é proibido por lei federal beber álcool nas ruas, praias e dentro dos carros, mesmo se você for passageiro. Por outro lado, os Estados Unidos são mais tolerantes no que se refere ao bafômetro: é permitido ingerir 0,8g/Lde álcool e dirgir, o que equivale a mais ou menos duas garrafinhas de cerveja ou dois cálices de vinho.

5. Happy hour

É o horário preferido dos americanos, e muitos estabelecimentos oferecem promoções nesses horários, geralmente entre 16h e 19h. Os “happy hour deals” podem oferecer bebidas ou pratos pela metade do preço, ou “compre um e leve dois”. É bom pesquisar antes, para se programar e curtir um bom (e barato) happy com os amigos.

happyhour

6. Impostos

Sempre que você consome um produto ou alimento, o valor que aparece no cardápio ou na prateleira não é o preço final que você vai pagar. É que, na hora de chegar no caixa, o atendente inclui o preço dos impostos referente a todas as compras. O valor é diferente em cada estado, e varia entre 10% em relação ao preço consumido. Ou seja, não se assuste se o valor da nota for maior do que o da etiqueta.

7. Trânsito

Quando um ônibus escolar para, seja para pegar ou deixar algum aluno, todos os carros/motos/caminhões ao redor também devem parar completamente (inclusive os que andam no sentido contrário ao veículo). Isso também acontece quando um carro de bombeiros ou ambulância passar com a sirene ligada pela rua.

schoolbus

Sobre o semáforo, quando o sinal está vermelho para os carros, não é preciso parar completamente. Uma maneira encontrada pelo governo para desafogar o trânsito é permitir que os veículos façam conversões à direita, mesmo quando o semáforo estiver vermelho (e quando não houver nenhuma placa que proíba a conversão). Mas, nesse caso, o pedestre é prioridade. Todos devem atravessar, antes de o veículo fazer a curva. Quem estiver atravessando também deve prestar atenção aos sinais de trânsito, pois só é permitido quando o sinal estiver verde. Pedestres que atravessarem no sinal vermelho também podem receber multas.

8. Lugar de papel é na privada

Esse costume também é adotado na Europa. Na maioria dos banheiros (sejam eles em restaurantes, hotéis ou mesmo banheiros públicos) não há cesto de lixo, como no Brasil. O correto é descartar tudo dentro da privada. E o melhor, a descarga funciona por sensor, você não precisa dar a descarga.

 

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna