Já ouviu falar em tatuagem 3D? Conheça essa e outras novidades do mundo das tattoos

Por Ana J. Calderone NYT

Se você está pensando em fazer uma tatuagem ou acrescentar mais uma à meia dúzia que já tem, as alternativas existentes podem ter se multiplicado desde a última vez em que visitou o estúdio de tatuagem. Que tal fazer uma 3D?

O artista suíço H.R. Giger, que morreu em maio, é mais conhecido pela criação do personagem de pesadelo em Alien, o Oitavo Passageiro, mas também é o pai das tatuagens tridimensionais. Sua obra gerou o estilo conhecido como tatuagem biomecânica, cujo fascínio já se estendeu além dos fãs de ficção científica.

– As pessoas tatuavam esses tubos na pele na década de 1980, então é engraçado ver o ressurgimento disso – diz Mark Mahoney, proprietário do Shamrock Social Club, em West Hollywood, na Califórnia, acrescentando que os clientes costumam trazer fotografias de Corpos: A Exposição, mostra dedicada ao corpo humano. – Acabei de fazer um corte de imagem real de músculos num ombro.

:: Costela, pernas e costas: o mapa da dor da sua nova tatuagem

Outras opções incluem a ilusão de pele arrancada e estilos mais palatáveis, como animais naturais ou objetos que parecem estar em movimento.

– O efeito 3D faz parecer mais orgânico, como se pertencesse a minha pele – afirma a técnica em saúde Corrine Skeen, de 28 anos, que, no mês passado, escolheu uma tatuagem tridimensional para homenagear uma tia que morreu de câncer. – Queria que ficasse como uma borboleta de verdade pousada no meu ombro.

Não indicada para os sensíveis, a tinta 3D exige uma quantidade maior de detalhe e agulhadas, num trabalho que pode ser bem intensivo – trocando em miúdos, bem mais dolorido.

– Esse tipo de tatuagem é denso, e é preciso ter um lado sombrio – descreve Mahoney. – Quem a faz está realmente comprometido.

Por enquanto, a mídia social tem o volume maior de inspirações tridimensionais.

– O Instagram é uma forma excelente de ver o portfólio dos artistas se estou interessada numa tatuagem nova – comenta Corrine, dona de quatro delas. – Então, quando vi fotos de tatuagens fotorrealistas e com efeito tridimensional, sabia que queria algo do gênero.

Apesar da visibilidade crescente das tatuagens super-realistas nos sites de mídia social, Jon Mesa, tatuador itinerante que trabalhou recentemente nos estúdios Bang Bang Tattoos e Sacred Tattoo, garante que usar algumas dessas fotos como referência pode não dar muito certo.

– Continua sendo bacana, mas perde o impacto de uma imagem no celular – explica Mesa.
Telas humanas

A tatuagem é vista há muito tempo como uma forma de arte, e nada se aproxima mais disso do que a tatuagem com aquarela. Segundo Mesa, o estilo é derivado do método livre europeu.

– Não é baseado nos desenhos de marinheiros ou japoneses da velha guarda. Tem mais a ver com expressão, movimento e escolha de cores do que a mera imagem.

Vencedor da terceira temporada do reality show Ink Master, o tatuador Joey Hamilton pintou recentemente uma borboleta com a técnica da aquarela nas costelas de uma cliente.

– Você tenta fazer como se houvesse um pouco de tinta escorrida ou borrões de cor – exemplifica.

Elizabeth Vogt, de 24 anos, escolheu há pouco tempo uma aquarela de pássaro para ser sua quarta e maior tatuagem.

– Essa obra é de um artista que venho acompanhando há algum tempo, e combina com o tema usado no resto das minhas tatuagens.

Em comparação à tatuagem tridimensional, a aquarela tem poucos detalhes para simular a estética imprecisa e fluida de uma pintura. Um ponto negativo é sua incapacidade de envelhecer tão bem como os desenhos tradicionais.

– A cor aplicada é meio lavada, com menos pigmento, o que significa menos saturação na pele – garante Mesa.

 
Bijoux na pele

Criadas para parecerem braceletes, colares e acessórios de praia, as tatuagens temporárias Flash Tattoo são a nova tendência deste verão no Hemisfério Norte. Talvez uma resposta à Tattly, versão geek chique popular entre fãs de design e tipografia, a Flash Tattoo é um sucesso entre surfistas e quem tem queda por baladas. Com a chegada da temporada de festivais de música de verão nos Estados Unidos, as tatuagens inspiradas em joias já estavam entre as preferidas no Coachella, em abril. A top brasileira Alessandra Ambrósio estava entre os incontáveis blogueiros e frequentadores exibindo os adornos.

Criadora da marca, Miranda Burnet, de 39 anos, diz que não estava plenamente ciente da atenção que o festival traria até as vendas explodirem um pouco antes. Em julho de 2013, ela lançou a Flash Tattoo depois de se inspirar procurando ideias para seu emprego anterior. Em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, ela percebeu que a grande tendência eram as tatuagens temporárias de 24 quilates. Texana, Miranda contou que desejava criar algo semelhante por um preço menor.

As tatuagens à prova d’água são vendidas no site da empresa, e os preços variam de US$ 20 a US$ 30 por um pacote com quatro folhas. Uma tatuagem costuma durar de quatro a seis dias. Duas das nove coleções da Flash Tattoo são colaborações com Eileen Lofgren, dona da joalheria Child of Wild, e Rebekah Steen, blogueira responsável pelo Goldfish Kiss, blog sobre estilo de vida praiano.

00a311b3

As coleções são criadas exclusivamente em ouro, prata e preto, mas Burnet disse que gostaria de lançar cores fluorescentes antes do fim do verão.

 

Em tons dourados ou prateados, as tatuagens temporárias são à prova d’água e imitam acessórios como braceletes e colares, durando de quatro a seis dias no corpo

00a311b2

Fotos: Matt Roth, TNYT e Reprodução

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna