Mendoza, San Martín de los Andes e El Calafate: conheça a Argentina além da capital

Represa Potrerillos tem água translúcida. Foto: Sara Bodowski
Represa Potrerillos tem água translúcida. Foto: Sara Bodowski

Sara Bodowsky*

Nem só de Buenos Aires vive o turismo na Argentina. Do pampa à geografia andina, ou seguindo até o Fim do Mundo pela Patagônia, com seus desertos, geleiras e florestas de pinheiros, o interior da Argentina surpreende e arrebata os visitantes. Junte culturas diferentes, gastronomia deliciosa e alguma neve. São vários os roteiros possíveis – e trago três sugestões: Mendoza, com seus vinhos e o relevo da Cordilheira, San Martín de los Andes para esquiar e El Calafate com o espetacular Glaciar Perito Moreno, uma geleira com 250 quilômetros quadrados de superfície que é patrimônio da humanidade.

* Editora do roteirodasara.com e comunicadora da rádio 102.3 FM

  • MENDOZA

Talvez um dos destinos mais completos no interior da Argentina. As principais vinícolas do país – e algumas das principais da América do Sul – estão lá. A gastronomia também impressiona: na cidade está, por exemplo, o restaurante 1884, do famoso chef Francis Mallman. No inverno ainda existem duas estações de esqui (Las Leñas e Penitentes) que abrem ao público. A geografia da Cordilheira dos Andes é outra atração.

Milanesa com presunto e queijo no Fuente y Fonda

Milanesa com presunto e queijo no Fuente y Fonda. Foto: Sara Bodowsky

Culinária local

A saborosa comida local pode ser encontrada no Fuente y Fonda. Típica comida de “abuela” com milanesas, tortilla española e o tradicional tomaticán (tomate, pão, cebola, alho e ovos). Para uma cozinha requintada, reserve uma noite para o 1884, do espetacular chef argentino Francis Malmann e que fica dentro da vinícola Escorihuela Gascón. As carnes e vegetais preparados no duomo (estrutura alta de metal com fogo e brasa no meio) são uma boa pedida.

Bodegas

As uva malbec, cabernet sauvignon e cabernet franc são os principais destaques na produção de vinho. São mais de mil bodegas na região de Mendoza. O Bus Vitivinícola (busvitivinicola.com) é uma opção para conhecer várias vinícolas no mesmo dia. Duas sugestões de visita:

 Casa El Enemigo – Vinícola de Alejandro Vigil, enólogo principal da Catena Zapata. Vigil mora no local, que conta com um restaurante com menus harmonizados. Com sorte, você o encontra por lá, falando, de maneira apaixonada, sobre um dos seus espetaculares vinhos.

Bodega Monteviejo – Parte do grupo Clos de Los Siete (projeto do enólogo francês Michel Rolland) e com vinhos assinados por Marcelo Pelleriti, que junto com Vigil é um dos enólogos pop stars da Argentina. A Monteviejo oferece degustações e almoços harmonizados e também é palco de shows de rock.

• Casa El Enemigo – Videla Aranda, 7008, Chachingo, Cruz de Piedra, Maipú | reservas@casaelenemigo.com
• Bodega Monteviejo – Clodomiro Silva, Valle de Uco | monteviejo.com.ar

Rumo ao Chile

O caminho de Mendoza pela Ruta 7 até a fronteira com o Chile leva três horas e é encantador. Passe por Potrerillos e admire os tons de verde e azul da represa com o mesmo nome. Hora de perder o fôlego e se arrepiar com a visão do Aconcágua. Siga até um dos cartões-postais da região, a Puente del Inca. Essa formação rochosa natural sobre o rio Las Cuevas foi um hotel de luxo até 1965, quando foi fechado após muitas avalanches.

  • SAN MARTÍN DE LOS ANDES

Cidadezinha bucólica nas montanhas, fica na província de Neuquén e é opção para quem não quer a badalação turística de Bariloche. Neve, natureza e cafés colocam o lugar na lista de destinos bacanas da Argentina.

Ruta 40

Pouco mais de 100 quilômetros separam San Martín de los Andes de Villa La Angostura, outra cidadezinha deliciosa de montanhas e neve. O roteiro é pela cênica Ruta 40 e conta com oito lagos, partindo do Lácar, dentro de San Martín. Na ordem, seguem Machónico, Villarino, Falkner, Lago Escondido, Espejo, Correntoso e Nahuel Huapi (esses dois já La Angostura). Alugue um carro e faça esse passeio sem pressa.

  • EL CALAFATE

Visitei a cidade em 2013 após quase 40 horas de ônibus desde Buenos Aires. Era junho, e a primeira neve já havia caído nessa pequena cidade da província de Santa Cruz, ao sul da Argentina. De abril até agosto, o sol nasce entre 8h e 9h e se põe cedo. As comidas regionais são o cordeiro patagônico assado no fogo de chão e caldos como locro (sopa forte com feijão branco, vários tipos de carnes, inclusive mondongo, vegetais e tubérculos) e um ensopado chamado guiso de lentilhas.

00ccb8a6

Foto: Sara Bodowsky

Lago Argentino e arredores

Caminhe, caminhe, caminhe. El Calafate é pitoresca e permite, mesmo em dias frios, um mate ou um piquenique à beira do Lago Argentino. Compre sanduíches e sucos – ou um dos bons vinhos produzidos na Patagônia, e busque a “costaneira”, um calçadão que acompanha a margem do lago. As cores do final de tarde são lindas nesse lugar.

Cerro Chapelco

Mesmo quem nunca usou um par de esquis vai se divertir na estação Chapelco, eleita a melhor da Argentina e que oferece aulas super básicas para iniciantes. Você pode alugar todo o equipamento por lá. Segundo os instrutores, cinco dias de aula são ideais para se aventurar nas pistas de esqui mais simples. Para economizar, vá em setembro, quando os preços são até 30% menores.

00ccb8ab

Foto: Arquivo Pessoal

Caso você não queira esquiar, tudo bem. A estação tem restaurantes, opções de caminhadas e passeios. Um alerta: são tradicionais, nas regiões de neve na Argentina, oferecer passeios para turistas em trenós puxados por cães. Tenho interesse zero e alguma tristeza por essa atividade, apesar de ter encontrado, lá, cães bem cuidados e tratados como de estimação pelos guias. Preferi ficar brincando com os bichinhos na neve.

00ccb8ac

Foto: Sara Bodowsky

Arrayán

Com uma vista do Lago Lácar de tirar o fôlego, reserve uma tarde para curtir as delícias e os arredores da Casa de Chá Arrayán. Inaugurada em 1939 por Renée Dickinson, uma inglesa que ficou maravilhada com San Martín e lá fez morada.
• Circuito Arrayán, Km 4.
• hosteriaarrayan.com.ar

Glaciar Perito Moreno

Os cinco quilômetros de largura por 70 metros de altura fazem dessa massa de gelo milenar um dos monumentos naturais mais espetaculares do planeta. Prepare-se para sentir pés e ossos congelando enquanto você não consegue tirar os olhos do majestoso paredão celeste.

00ccb8a5

Foto: Sara Bodowsky

É possível se aproximar de barco e fazer trekking sobre o Glaciar (exceto no inverno, quando a caminhada é proibida). Os passeios podem ser reservados em agências na Av. Libertador.

00ccb8a7

Foto: Sara Bodowsky

Borges y Alvarez Librobar

Nesse bar-livraria, livros e objetos antigos dividem espaço com garrafas de vinho e ingredientes para drinks. Passei uma tarde lá, lendo e observando a cidade pelos janelões que deixavam entrar os raios de sol – disfarçando o frio lá de fora. Dentro, a calefação, o café forte preparado com uísque garantia o calor.
• Av. Libertador, 1015
• fb.com/borgesyalvarez

Leia mais:
:: Buenos Aires: um tour além do óbvio por restaurantes, parques, bares, livrarias e museus
:: Conheça os restaurantes mais badalados de Nova York, Buenos Aires, Rio de Janeiro e mais

Leia mais
Comente

Hot no Donna