Mudança de padrões coloca bumbum sob os holofotes do mundo pop

Quem já assistiu ao clipe de Booty, a nova música de Jennifer Lopez em parceria com a cantora australiana Iggy Azalea, notou apenas uma coisa: bumbuns. Bundas na água, bundas no óleo, bundas rebolando em outras bundas. O assunto está explícito desde o título da música, mas tamanha glorificação das nádegas avantajadas alheias foi a gota d’água para que a discussão ganhasse holofotes mais poderosos.

:: Mulata, samba e carnaval: será que símbolos nacionais criam estereótipos?
:: Desafiando padrões: mulheres mestiça tem rosto alterado de acordo com beleza de 19 países 

Jennifer Lopez, Booty

Não há dúvidas de que o padrão do corpo feminino mudou muito durante os últimos dez anos, principalmente nos Estados Unidos, que sempre exaltou as barrigas chapadas e as cinturinhas finas. É exatamente sobre essa transição de padrões que trata um artigo publicado pelo jornal americano The New York Times.

As recém-adoradas curvas foram popularizadas pelas cantoras pop de origem latina, como a própria J-Lo e Nicki Minaj, nascida em Trinidad e Tobago e autora de Anaconda, outra faixa com inúmeras cenas e refrões de bundas.

Nicki Minaj, Anaconda

Como afirma a professora Myra Mendible, da Universidade da Costa da Flórida, os bumbuns sempre atraíram os homens — mesmo que, por um bom tempo, a preferência e os olhares tenham sido negados e escondidos. A diferença é que, além da mudança do padrão (do fino ao generoso), houve também a “libertação” feminina e o empoderamento sobre o próprio corpo e imagem.

A prova disso é o clipe e a letra de Partition, sexta faixa do álbum de Beyoncé lançado este ano. Em apresentação no VMA 2014, a cantora ainda ergueu a bandeira do feminismo, sendo aclamada pela crítica e recebendo ainda mais reconhecimento.

Beyoncé, Partition

Em contrapartida, a cantora Lily Allen usou e abusou de bundas e danças sensuais no clipe de Hard Out Here justamente para criticar o uso exagerado da imagem feminina para garantir o sucesso de produtos de entretenimento. Uma bela alfinetada em Nicki e um chapéu que cai perfeitamente em J-Lo.

Lily Allen, Hard Out Here

Se a obsessão exagerada da mulherada é passageira ou não, só o tempo irá dizer. E você, o que acha da hipervalorização do derriére pelo mundo pop? Deixe sua opinião nos comentários.

Leia mais
Comente

Hot no Donna