O que uma mulher precisa saber na hora de viajar sozinha

Viajar sozinha é uma oportunidade de se relacionar mais profundamente com a cultura, arquitetura e costumes locais. É a chance de conhecer pessoas novas, buscar seus sabores favoritos, perder tempo no que você realmente gosta de explorar e claro, fazer algumas comprinhas sem ninguém te chamar a atenção. Uma mulher não pode ter medo de viajar sozinha. Deve ter a coragem de vivenciar um outro país simplesmente do seu jeito.

Mais dicas de viagem?
:: Refúgio de celebridades e milionários, Montecito é um lugar para conhecer em Santa Barbara
:: Gastronomia em Santa: os 6 melhores restaurantes de Garopaba
:: Guia para curtir a lua de mel nas Ilhas Maldivas

Perigos? Sempre existem e por isso a maior dica antes de você viajar sozinha é: pesquise sobre o local, seus costumes, regras. Para ser respeitada e sentir-se protegida é preciso entender até onde você pode ir. Se você vai viajar sozinha pela primeira vez, escolha destinos mais familiares. Mas não esqueça, cidade grande é cidade grande, então cuide-se de qualquer forma e fique atenta ao seus pertences. Viajar sem roteiro pode ser uma aventura incrível, porém uma pequena noção do que você irá fazer, e onde vai dormir, ajudam no sucesso da viagem. E o mais importante, viajar desacompanhada não significa estar sempre sozinha. Procure passeios em grupo ou socializar onde estiver hospedada.

Eu já tive a oportunidade de viajar algumas vezes sozinha e alguns dos destinos foram New York, Los Angeles, México, Peru e Veneza e digo que cada vez me encanto mais com a ideia de explorar o mundo sob meu olhar!

image

Nova York é um local perfeito para viajar sozinha. Uma cidade grande, com milhares de turistas e atraçōes durante todo o ano. Aprenda sobre as linhas do metro e fique longe dos bairros mais afastados da grande Manhattan. Eu adoro os bairros West Village e Soho, então a minha experiência sozinha por lá foi perfeita. Organizei um roteiro, marquei no mapa e….. fui! Andei por cada cantinho, conheci todos restautantes que queria (com direito a café da manhã, almoço, janta e até lanchinhos da tarde). O bom dos EUA é que vários restaurantes possuem mesas comunitárias, então você não se sente tão sozinha na hora da refeição.

image

image

O único dia que me senti insegura em NY foi no 11 de setembro, dia em que resolvi pegar um metro para o outro lado de Manhattan e adivinha? Só tinha eu no metro (porque será?!). À noite sempre procurei não andar muito a pé e meu meio de transporte era táxi. Não tem porque correr risco, nao é mesmo? Mas digo e repito que passar 03 dias sozinha em New York é um luxo!

image

Em Veneza, diferente de NY, os milhares de turistas me deixaram cansada. Eu estava na Itália no mês de junho e aqui vai a minha primeira dica: evite Veneza na segunda quinzena de junho e no mês de julho. Veneza é o lugar ideal para se perder pelas ruas (literalmente). Foi o que fiz, caminhei pelas estreitas ruas próximas a piazza San Marco. Coordenei meu próprio caminho e me perdi em lojinhas de artesanato local. Mas, senti falta de alguém para compartilhar os sentimentos ao avistar tanta beleza. Aí tudo acabou em fotos! No mundo da selfie (e da cara de pau) tudo se resolve. E eu como adoro fotografar, não tive problemas em levar boas recordações para casa.

image

Me senti segura na maior parte do tempo, ao não ser quando me perdi em uma das ruas e terminei em um beco bem vazio. Demorei um pouco para encontrar alguém para me ajudar (estava sem celular), mas quando encontrei a segurança voltou, ufa! Por isso, se você é desligado, estude as ruas e prefira as mais populares. Decidi me focar na ilha maior do que explorar as outras, já que tinha 01 dia e pouco conhecimento da região (não fiz o tema de casa que comentei no inicio do texto). Mas amei a experiência!

Diferente de Veneza e New York, Tulum, no México, não recebe tantos turistas e as condições são bem mais precárias. Além disso, a grande maioria dos trabalhadores são homens (malandros) trabalhando, principalmente com transporte. Fomos em um pequeno grupo de meninas sem nada programado, mas com a certeza que queríamos explorar os vários cenotes que encontram-se na região. Para chegar lá, entrávamos no táxi mato a dentro em busca destas cavidades naturais com águas cristalinas, rezando que tudo acabaria bem. Me senti insegura, mas ao mesmo tempo confiando que aquele era o caminho certo. Nessas situações é melhor você fazer parte de um grupo de turismo ou alugar um carro com motorista pelo hotel para o passeio. Muitos taxistas tentam negociar, são mal educados e tentam tirar mais dinheiro de você. Escolha um hotel bacana, bem localizado e aventure-se com segurança na beleza de Tulum

Mais dicas?
:: Como comer bem gastando pouco em Los Angeles
:: Guia: 8 coisas que você precisa saber sobre os Estados Unidos antes de chegar lá
:: Achados em Nova York: selecionamos os melhores lugares para fazer compra

Em Tulum você encontra muitas pessoas viajando sozinhas, já que é uma região muito conhecida como um healing center, por isso é ótimo para fazer amizades. Mas, de todos os lugares viajando sozinha, esse para mim foi o mais desafiador, já que a cidade ainda não ganhou fama (os turistas não tomaram conta – o que é ótimo) e acaba sendo mais “vazia”. Mas é um excelente local para relaxar e voltar energizada.

image

 

Leia mais
Comente

Hot no Donna