Roteiro das chefs: um tour gastronômico para prestigiar mulheres que comandam cozinhas reconhecidas no mundo

Chef Niki Nakayama/Divulgação, Netflix
Chef Niki Nakayama/Divulgação, Netflix

Aliar gastronomia ao turismo é sempre um grande prazer para quem adora viajar. E que tal incluir no roteiro algumas paradas estratégicas para conhecer grandes chefs mulheres que comandam restaurantes mundo afora? Convidamos a curadora de gastronomia Fernanda Guimarães para indicar restaurantes comandados por mulheres que vale muito conhecer. E não é preciso ir muito longe para encontrá-las: também em Porto Alegre e outras capitais do Brasil essa experiência é possível.

A autora da lista é idealizadora da Embaixada Gourmet, plataforma de “curadoria de comida”, como define no perfil com 80 mil seguidores. Comandou o projeto Chefs Table (chefstable.com.br) no início do segundo semestre, ambientado na Casa Cor RS, que contou com 28 chefs – sendo duas mulheres, Liliana e Natália Tussi – e um público de mais de mil pessoas para prestigiar os jantares.

Aos 38 anos, advogada formada pela UFRGS e chef patissier pela Le Cordon Bleu (Paris), já rodou o mundo experimentando o que há de melhor por aí. E constata o baixo número de chefs mulheres que comandam restaurantes no Exterior. No Brasil não é diferente, mas até que não estamos mal na foto: somos o único país que tem as duas chefs que já foram eleitas as melhores do mundo, as gaúchas Helena Rizzo Bins e Roberta Sudbrack (que, não à toa, integram este roteiro preparado para Donna).

– Cozinhar é uma profissão totalmente unissex, mas elas ainda estão em menor número. E isto é mesmo surpreendente, pois existe aquele antigo pensamento de que “é a mãe que faz a comida”, mas o homem é quem faz a comida direito, aquela que pode ser vendida. Todo chef que conheci tem como referência o tempero da mãe ou da avó.

Foto: Maurício Capellari, divulgação

Foto: Maurício Capellari, divulgação

Fernanda cita como exemplos os nomes que passaram pelo Chefs Table e que foram provocados a oferecer um prato que remetesse às suas origens. O gaúcho Gabriel Zambon, empresário à frente do grupo Seasons, trouxe a “sopa da nona”, Natália Tussi – que assinou o jantar junto com Floriano Spiess – também homenageou uma receita da avó de Panambi, capeletti de coelho. Também Shin Koike, embaixador da culinária japonesa no Brasil, apresentou o requintado Kaiseki, tradicional na culinária nipônica aprendido com a mãe na terra natal.

– As lembranças são quase sempre femininas, são raras as histórias de que o pai ensinou a cozinhar. É por isso que acredito no mercado da gastronomia cada vez mais feminino – conclui Fernanda.

Confira o roteiro começando por Porto Alegre, depois Rio e SP e também Estados Unidos e Europa

Porto Alegre
• Mandarinier, na Cidade Baixa
• mandarinier.com.br
mandarinier
“Melhor almoço de Porto Alegre por R$ 37 (de terça a sexta), com entrada, prato principal e sobremesa, esta feita sempre pela Liliana Andriola – seu marido e o sócio Leonardo Magni, responsável pelo menu, não toca nos doces da confeiteira.”

Rio de Janeiro
• Restaurante Roberta Sudbrack
• www.robertasudbrack.com.br
Roberta-Sudbrack8-SuperChefs
“Cozinha delicada e afetiva, símbolos de feminilidade. Memórias de infâncias muito bem representadas em comida, o que talvez vindo de uma mulher tenha ainda mais encanto. Ainda no Rio recomendo o Da Garagem, também de Roberta, com sanduíches deliciosos e baratos.”

São Paulo
• Maní
• www.manimanioca.com.br
manifer
“Helena Rizzo já foi considerada a melhor chef feminina do mundo, em 2014, pela revista inglesa The Restaurant. A gaúcha ganhou projeção internacional na gastronomia brasileira. A publicação destacou que Helena é ‘um exemplo de comida feita com inovação e alma’.”

Los Angeles
• Restaurante N/Naka
• www.n-naka.com
nnaka
“A famosa chef Niki Nakayama é reconhecida mundialmente em um mercado essencialmente masculino da culinária tradicional japonesa, em especial por fazer sushi. Dizem que as mãos femininas são muito quentes para trabalhar o arroz, mas Niki coloca o mito abaixo destacando-se como uma das melhores chefs de sushi do mundo. Niki contou sua história em episódio na primeira temporada da série Chef’s Table, da Netflix, em 2015, destacando os obstáculos que enfrentou na carreira.”

Nova York
• Restaurante Annisa
• www.annisarestaurant.com
chef
“A chef Anita Lo tem a China, o Egito, os Estados Unidos e a França correndo pelos seus temperos. Uma mulher global, que traz o mundo para o prato sem se limitar.”

Gipuzkoa (Espanha)
• Restaurante Arzak • www.arzak.info
elenaarzak“Elena Arzak comanda a cozinha magistralmente. Há quem diga que o toque feminino dela, que assume o fogão ao lado de seu pai, Juan Mari, foi fundamental para manter as 3 Estrelas Michelin.”

Paris (França)
• Restaurante La Dame de Pic
• www.anne-sophie-pic.com
depic“Anne-Sophie Pic é uma das grandes damas da cozinha francesa. Traz a dramaticidade própria das mulheres até no nome dos menus degustação temáticos, como Odysée exotique (odisseia exótica), Terre safranée (terra de açafrão) ou Sous-bois epices (temperos do mato).”

Piemonte (Itália)
• Restaurante La Speranza
• Província de Cuneo, Piemonte

• www.lasperanzaristorante.com
“Sabrina Quaranta não é propriamente a cozinheira do local, mas sim a alma. É ela quem sugere os pratos, prova e aprova o menu e traz marmita da casa de sua mãe para que aquele tempero seja reproduzido no próximo prato.”

Franschhoek, (África do Sul)
• Restaurante The Tasting Room
tastingroommargot• www.leeucollection.com/lqf
“A holandesa Margot Jansen sabe harmonizar vinho com comida, clientes com a casa, equipe com o reconhecido trabalho. Outra qualidade feminina a admirar.”

Leia também
:: Blogs de gastronomia: quem são as mulheres que compartilham suas descobertas culinárias na internet
:: Conheça o publicitário que abandonou a profissão para se tornar um dos mais badalados fotógrafos de gastronomia do país

Leia mais
Comente

Hot no Donna