Saiba por que você precisa (re)ler A Hora da Estrela, de Clarice Lispector

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Cíntia Moscovich*

O ano de 1977 reservou dois eventos que viriam marcar a vida literária do país – e não só –, ambos relacionados a uma mesma autora e igualmente imprescindíveis para se compreender a história da cultura brasileira. Completando agora 40 anos, a primeira efeméride cai no dia 26 de outubro: era o dia em que se publicava A Hora da Estrela, que viria a se tornar um dos mais lidos romances de Clarice Lispector. Naquele mesmo ano, no dia 9 de dezembro, no Rio, um dia antes de completar 57 anos, Clarice Lispector morria vítima de um câncer de ovário, sem saber exatamente a repercussão daquele romance que, comparado aos demais, era diferente de tudo o que fizera até ali. Ao lado, listamos alguns motivos pelos quais vale a pena aproveitar a data redonda e ler 1) a obra de Clarice Lispector e 2) ler especificamente A Hora da Estrela.

* Escritora, autora de títulos como “Por que Sou Gorda, Mamãe?” e “Essa Coisa Brilhante que é a Chuva”

Por que Clarice Lispector é leitura essencial

  • Tudo o que é bom segue atual: o amplo domínio da língua e uma inventividade profunda fazem com que a prosa de Clarice seja das mais elegantes, sofisticadas e ricas da literatura nacional.
  • Trata-se de um texto singelo: mesmo sendo literatura elaborada, ou porque é literatura elaborada, é de uma simplicidade a toda prova.
  • As redes sociais têm maltratado Clarice: não se pode conhecer a obra dela confiando nas citações ou excertos (que na maioria das vezes nem são dela ou de nenhum dos autores atribuídos). Para conhecer um autor, vá na fonte.
  • É absolutamente de vanguarda (era para a época e continua sendo). A literatura de Clarice Lispector inaugura uma nova vertente de intimismo, em grande medida contrariando as bases do realismo praticado então.
  • Clarice trabalha com personagens que têm a consciência alargada. Os sentidos se tornam mais aguçados, e a leitura é uma aventura praticamente erótica.
  • Os romances são inquietantes, mas os contos são perfeitos: dificilmente algum outro autor dominou ou dominará a narrativa curta com a mesma habilidade com que Clarice o fazia.
Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

5 motivos para ler “A Hora da Estrela”

  1. É um livro considerado ideal para quem quer começar a ler a obra de Clarice.
  2. É o romance em que, do ponto de vista narrativo, a estrutura se oferece de forma mais linear, sendo sua narrativa longa mais popular.
  3. Macabéa, a protagonista, encarna a típica nordestina que vai tentar a sorte na cidade grande: trata-se, no limite, do romance de Clarice com mais “tintas nacionais”.
  4. Longe de se configurar uma personagem clichê ou arquetípica, Macabéa é das figuras mais comoventes e sensíveis jamais vistas.
  5. O livro foi levado às telas por Suzana Amaral, em 1985, com Marcélia Cartaxo e José Dumont. Vale a pena comparar livro e o filme. Jorge Furtado e o pessoal da Casa de Cinema transformaram o romance em um dos episódios de Cena Aberta, de 2003. A transposição para a teledramaturgia é especialíssima.
Foto: Arquivo Pessoal

Foto: Arquivo Pessoal

A autora

Clarice Lispector é um dos grandes nomes da nossa literatura, reconhecida mundo afora. Sua escrita mistura situações simples do cotidiano (como uma dona de casa que despede a empregada e decide fazer uma faxina no quarto de serviço, em A Paixão Segundo G. H.) com um mergulho profundo nas questões que assolam suas personagens – e todas nós. Foi também cronista e tradutora e tem, entre seus títulos, Perto do Coração Selvagem, Laços de Família e Um Sopro de Vida.

O livro

“É a história de uma moça que era tão pobre que só comia cachorro-quente. Mas não só isso. A história é de uma inocência pisada, uma miséria anônima.” Assim Clarice Lispector resumiu seu livro mais emblemático e popular. Conta a história de Macabéa, nordestina que tenta a sorte no Rio de Janeiro e que, em meio à difícil tarefa de ganhar a vida com menos de um salário mínimo, não abre mão de pequenos prazeres. Como usar um batom vermelho para se sentir como uma estrela de cinema. Por ocasião dos 40 anos de lançamento, a Rocco lançou uma edição comemorativa.

A peça

Os 40 anos de A Hora da Estrela e da morte de Clarice Lispector serão lembrados nos palcos de Porto Alegre. Com direção de Bob Bahlis, Circo para Clarice terá sessão de pré-estreia no dia 7, às 21h, no Teatro Cia de Arte, e depois estreia no dia 14, às 21h, no Teatro Bruno Kiefer, da Casa de Cultura Mario Quintana. Trata-se de uma livre adaptação do livro mais icônico da escritora, incluindo ainda crônicas e cartas de Clarice.

Leia mais:
:: #LeiaMulheres: contra machismo na literatura, projeto estimula leitura de autoras
:: Escritoras refletem sobre as vozes femininas na literatura brasileira

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna