Paquera virtual é motivo para divórcio? Tribunal francês diz que sim

Sites de relacionamento, aplicativos para encontrar novos parceiros e pessoas que ficam cada vez mais conectadas. Todos estes ingredientes formaram uma comunidade virtual que se distribui entre os mais diferentes perfis em infinitas páginas de sites de encontro.

A moda que veio dos Estados Unidos já conta com mais de 40 milhões de adeptos no Brasil. Basta escolher uma foto, escrever uma pequena biografia que resuma sua vida e elencar hobbies e preferências. Pronto, a partir deste ponto o site fica totalmente responsável por procurar o encontro ideal.

A total discrição permite que qualquer pessoa se cadastre, inclusive quem já está em um relacionamento. A participação de pessoas casadas não é incomum neste cenário e causou polêmica em caso de divórcio na França.

Couple | Stock Photos

Casados por mais de 18 anos e pais de dois filhos, o casal Nathalie e Bruno (sobrenomes não revelados) separaram-se após ele descobrir que a mulher compartilhava imagens sensuais com outros homens pela internet. O caso foi levado ao tribunal e a decisão final foi a favor de Bruno, que ficou também com a guarda das crianças.

As opiniões se dividem. Alguns compartilham da ideia dos juízes franceses, condenando qualquer tipo de paquera fora do relacionamento. Outros justificam o ato apoiando suas ideias na ausência de contato pessoal e físico.

E você? Acha que traições virtuais têm o mesmo peso que traições físicas?

Compartilhe sua opinião conosco através dos comentários por aqui ou pelo nosso Facebook.

Leia mais
Comente

Hot no Donna