Traição é o ponto de ponto de partida para a sátira da família perfeita no livro “Tua”

Por Carlos André Moreira, Especial

Entre os segredos que se escondem em família, um adultério está longe de ser o pior deles. Esse é o fio central da narrativa de “Tua”, breve novela da escritora Claudia Piñeiro que confirma o talento desta argentina de 55 anos para mesclar doses de suspense dignas dos melhores thrillers com um olhar satírico sobre as afetações e os equívocos da burguesia – algo em que os argentinos não são amadores, como qualquer um que assistiu ao filme Relatos Selvagens sabe.

:: Carioca Lídia Santos lança livro que revela lado inusitado de Nova York

Claudia teve sua estreia no Brasil em 2007, com o lançamento no Brasil de As Viúvas das Quintas-Feiras, narrativa policial em que mortes em série escancaravam o pesadelo por trás da aparente vida perfeita de uma comunidade reunida em um condomínio de classe alta em Buenos Aires – o livro ganhou adaptação cinematográfica e uma continuação que chega em breve às livrarias brasileiras. Já Tua é narrado majoritariamente pelo ponto de vista de Inês, dona de casa de meia-idade que, acomodada em seu cotidiano por demais classe média, não chega a se surpreender quando encontra, na maleta do marido Ernesto, um bilhete com “um coração desenhado com batom, cruzado por um ‘Te amo’ e assinado ‘Tua'”.

00b4bb46

(Alejandra López, divulgação) A argentina Claudia Piñeiro é autora também de “As Viúvas das Quintas- Feiras”, que ganhou continuação e adaptação para o cinema

Incomodada mais com a vulgaridade da correspondência do que com a traição em si, que ela afinal considerava inevitável dado o caráter questionável da maioria dos homens, Inês segue o marido depois de uma misteriosa saída à noite para descobrir quem é a misteriosa rival. É então que vê o marido encontrar-se com a secretária e matar a amante durante uma discussão áspera. Aí o crime se torna uma ágil ferramenta na mão da escritora para uma sátira mordaz sobre equívocos, mentiras e falhas de comunicação em uma família aparentemente normal.

:: “Malala é uma Cinderela de seu tempo, embora às avessas”, diz autora de livro infantil sobre a paquistanesa

Inês esconde o que sabe esperando que o episódio seja a faísca que faltava para restaurar a ligação combalida entre ela e seu marido quando ele lhe confessar tudo. Ernesto não esconde apenas o crime, talvez tenha mais segredos do que Inês imagina. Enquanto dançam esse tango de não ditos e evasivas, os cônjuges, nenhum deles exatamente flor que se cheire, ignoram que a filha faz segredo ela própria de uma grande angústia – vivida sem ter com quem compartilhar, já que seus pais parecem, muitas vezes, mais adolescentes e imaturos do que ela própria.

Verus Editora,140 páginas, R$ 22,50 impresso e R$ 11,50 em e-book

Verus Editora,140 páginas, R$ 22,50 impresso e R$ 11,50 em e-book

Leia mais
Comente

Hot no Donna