Entenda por que não é recomendado uma mãe amamentar outro bebê, como o caso da policial argentina

Foto: Reprodução/Instagram
Foto: Reprodução/Instagram

A foto em que uma policial argentina aparece amamentando um bebê durante sua patrulha em um hospital infantil em La Plata, em Buenos Aires, viralizou nas redes sociais. Na imagem, Celeste Ayala, que deu à luz recentemente, amamentou uma criança que estava internada no local, depois de pedir a permissão dos enfermeiros.

Segundo informações do jornal La Nacion, o pequeno fora separado da mãe por ordem judicial e estava no hospital para se recuperar de uma aparente desnutrição.

Nas redes sociais, a policial recebeu mensagens de apoio, elogiando seu ato de amor a um bebê que provavelmente chorava de fome. Mas, apesar do louvável propósito de Celeste, a prática – que se chama amamentação cruzada – não é recomendada pelos especialistas.

Criadora da consultoria de amamentação Plantão Materno, Cristina Machado explica que a abordagem da policial, embora tenha sido com boa intenção, não é adequada e pode trazer problemas tanto para ela como para o bebê.

– Digamos que o bebê amamentado tivesse candidíase na boca, podendo contaminar o seio da policial e desencadeando candidíase mamária, uma doença difícil de tratar, que causa bastante desconforto para amamentar. É claro que os riscos do bebê passar algo para a nutriz são muito baixos, mas também devem ser pensados.

Leia mais:
:: Dói? O que a mãe come influencia no leite? Veja mitos e verdades sobre amamentação
:: Fernanda Gentil, Samara Felippo e outras famosas compartilham experiências sobre amamentação
:: Mães compartilham histórias sobre amamentação para comemorar a Semana Mundial do Aleitamento Materno

Em março deste ano,  a Sociedade Brasileira de Pediatria se manifestou após uma cena polêmica sobre amamentação cruzada na novela O Outro Lado do Paraíso, da TV Globo, e afirmou que a prática é contraindicada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e pelo Ministério da Saúde. Na trama, um médico sugere a uma mãe que não produzia leite o suficiente que sua esposa, também mãe recente, poderia dar de mamar no lugar dela. À época, o diálogo foi condenado por médicos e enfermeiros, e a direção da emissora optou por uma retratação na própria novela, em que o médico explicava os riscos da prática.

Vale dizer que a doação de leite materno não se encaixa na amamentação cruzada. A consultora de amamentação explica que, no caso da doação, o leite é pasteurizado antes de ser dado para a criança.

Leia mais
Comente

Hot no Donna