Kim Kardashian diz que a filha não gosta do irmão caçula: “Pensei que era fase, mas não passou”

Participantes do Grupo de Mães Donna falam sobre o ciúme entre os filhos

Fotos: Instagram, reprodução
Fotos: Instagram, reprodução

Conhecida pelos looks ousados e produtos de maquiagem esgotados logo no lançamento, a socialite Kim Kardashian enfrenta problemas comuns como mãe. Aos 36 anos e com dois filhos, North, de 4, e Saint, que completa dois em dezembro, a americana participou como convidada do programa de auditório Ao vivo com Kelly e Ryan. Durante a entrevista ao apresentador Ryan Seacrest, ela disse que a filha “não gosta do irmão”.

“Eu não sei se é por ela ser a irmã mais velha, eu não sei… Pensei que fosse uma fase, mas ela não gosta do irmão. É tão difícil para mim. Eu pensei ‘ok, são apenas alguns meses… ela está se acostumando’. Ela fica com muito ciúme quando eu amamento o Saint e agora eu vejo que a fase não passou”, desabafou em frente aos convidados.

Total eclipse of the heart

Uma publicação compartilhada por Kim Kardashian West (@kimkardashian) em

Para disfarçar o ciúme, North, segundo a mãe, organiza brincadeiras só de meninas: “Ela acha que está despistando quando me convida para tardes de chá apenas para meninas, sem o pai e o irmão. Quando o irmão tenta entrar, ela fecha a porta na cara dele”.

E como toda mãe, ela também passa seus perrengues: “Saint está na fase de imitar a irmã, então quando estão os dois juntos e um começa a chorar, logo os dois estão chorando. Eu aviso: não consigo pegar os dois ao mesmo tempo!”, confessou ao vivo.

Confira a entrevista (em inglês)

Ciúme entre irmãos é comum, principalmente vindo do mais velho – que se acostumou a ser filho único por algum tempo. Para ouvir outras histórias como a de Kim, North e Saint, convocamos as participantes do Grupo de Mães Donna a compartilhar seus relatos. Confira abaixo:

♦ Camila Dilélio, mãe do Vicente, de 5 anos, e do Bento e do Benício, gêmeos de seis meses

Eu passo por isso. Não foi fácil para o Vicente administrar a chegada dos irmãos. Ele ama os dois, beija, abraça, mas canalizou todo o ciúme pra mim nos primeiros meses. Brigava comigo, ficava irritado por qualquer coisa, começou a ranger os dentes à noite e a dentista disse que é por conta do estresse que ele está passando. A cada mês as coisas estão ficando melhores, mas nos primeiros meses ele me ignorava e muitas vezes só queria o pai. Usei todas as estratégias e teorias dos livros, como ficar um tempo só com ele, dar presente na maternidade e dizer que foram os maninhos que deram, conversar sobre os sentimentos dele, mas as coisas melhoram mesmo é com o tempo. Agora ele já consegue entender que nosso amor não mudou. Além disso, os bebês não exigem tanto como nos primeiros meses. Mas cada dia é um dia. Como são gêmeos, se saímos na rua e as pessoas só olham para os bebês, ele regride novamente. Então fico sempre administrando os outros também. Quando olham os bebês, falo sobre o irmão mais velho, mostro ele e etc. Também me organizo para dar atenção só pra ele todos os dias. Tento, pelo menos! Hehe não é muito fácil! Mas a gente consegue!

♦ Claudia Bins, mãe da Manoela, de 11 anos, e da Juliana, de 6 anos

As duas são ciumentas, mas a menor dá mais trabalho. Fica querendo chamar a atenção toda a hora que a irmã tem o foco, seja lá qual for o motivo. A pequena é mais ousada e tem personalidade forte, acaba muitas vezes ofuscando a irmã que é mais sensível.

♦ Letícia Leite, mãe do João Gabriel, de 6 anos, e da Maria Vitória, de 2 anos

João morre de ciúme da mana, em várias oportunidades pediu para devolvê-la ao tio Cris, meu ginecologista obstetra. Rola DR, beijos, abraços e 5 minutos depois choro, porque ele é superpossessivo com os brinquedos, lápis, coisas sem fim e a mana sempre sai machucada, empurrada, com roxo em alguma parte, cabeça com galo… É um caos. Procuro ter momentos com os dois individualmente, mas até agora é administrar o administrável. Já fui à psicóloga, psicoterapia, mas acho que a “cura” vai vir com a idade – se realmente vier. Oremos!

♦ Olga Letícia Prestes, mãe de um menino de 4 anos e uma menina de 5 meses

Sinto que está sofrido para o de 4 anos administrar a chegada da mana. Além de que houve uma leve regressão inicial, hoje ele oscila entre momentos de contemplação da mana e momentos de choro, não querer comer se ela está junto à mesa… Tenho tentado dar uma atenção especial à ele, ter um momento só nosso, porém estou em amamentação exclusiva e livre demanda com a mana, então sobra pouco tempo mesmo. 😞

♦ Juliana Zeni, mãe do Matheus, de 5 anos, e do Eduardo, de 1 ano e 5 meses

Tenho um de 5 anos e um de 1 ano e 5 meses e desde o final da gravidez enfrentei crises de ciúme enormes, quando ele visitou o mano no hospital quase quebrou o quarto inteiro. Até hoje a oportunidade que ele tiver de bater ou machucar o irmão ele não perde, além de viver dizendo que não queria que o mano existisse. 😔

Para participar do nosso Grupo de Mães, peça acesso em facebook.com/groups/grupodemaesdonna.

Leia mais
:: Entrevista: protagonista de “Atômica”, Charlize Theron recorda passado trágico familiar e fala sobre maternidade e cinema
:: Como lidar com os palpites na maternidade (sem precisar estender uma faixa na janela)
:: Cinco filmes de comédia sobre maternidade que vale a pena assistir

Leia mais
Comente

Hot no Donna