“Não estou ensinando meu filho de cinco anos a ler”: em meio à polêmica, desabafo de mãe viraliza no Facebook

A decisão de como criar os filhos é sempre cercada de pressão familiar e polêmicas, fatores que se multiplicam quando o desenvolvimento da criança não segue a linha tradicional. É justamente por essa fase que Crystal Lowery está passando. Recentemente a comediante americana postou no Facebook uma foto com seu filho de cinco anos e um texto explicando porque não está ensinando o menino a ler.

“Não me leve a mal, nós lemos livros para ele o tempo todo. Nos imaginamos na Fantástica Fábrica de Chocolates do Willy Wonka e estamos na página 170 de Harry Potter e a Câmara Secreta. Nós estamos ensinando ele a curtir as histórias e se envolver com as personagens. Mas não estamos ensinando ele a ler. Ainda não. Ele está muito ocupado aprendendo outras coisas”, defende a mãe logo no início de seu relato.

Entre as “outras coisas” citadas por Crystal, estão pontos como “aprender a ter espírito esportivo, a não se gabar, a construir com blocos e palitos, a se exercitar e cuidar de suas coisas”. O menino tem cinco anos e ainda não entrou na primeira série do ensino básico – momento em que as crianças começam a ser alfabetizadas.

Com mais de cem compartilhamentos, a postagem recebeu reações diversas. Houve quem defendesse a decisão da mãe, “Desejo que todos os pais dos meus alunos tivessem esse preocupação!”, escreveu uma professora de jardim de infância. “Ótimo! As pessoas sempre tentam forçar seus filhos a ler. Eu me recuso. E adivinhe só? Minha filha está na quinta-série este ano e lê em nível avançado”, escreveu outra mãe.

Entre as críticas, questionamentos como “Você deveria ensiná-lo. O que você vai acontecer quando ele chegar na escola e a professora entregar um livro? Ele não será capaz”. “Essa é uma maneira péssima de encarar a situação, saber ler é uma habilidade necessária para tudo na vida. Eu nunca iria querer abafar as capacidades das minhas crianças”, escreveu outro seguidor.

“Ele talvez não chegue em seu primeiro dia de aula com ‘habilidades avançadas de leitura’, mas chegará com muito mais: habilidade de experimentar coisas novas sem se frustrar, habilidade de fazer amigos, mesmo que amizade seja algo confuso, habilidade de ouvir os outros e seguir instruções, habilidade de resolver problemas e de se concentrar em uma só tarefa”, explica a mãe. “Hoje ele tem coisas mais importantes para aprender”, frisa ao final do texto.

Leia mais
:: Como lidar com os palpites na maternidade (sem precisar estender uma faixa na janela)
:: #DonnaIndica: confira cinco livros bem humorados sobre maternidade na real
:: Maternidade em dobro: veja mitos e verdades sobre a gravidez de gêmeos

Leia mais
Comente

Hot no Donna