Seu filho está dormindo mal? Veja 7 dicas para mudar hábitos e criar uma rotina saudável de sono

Foto: Pixabay
Foto: Pixabay

Um bebê que dorme bem significa um bebê feliz e uma mãe descansada. Mas sabemos que essa tarefa nem sempre é fácil. Muitas crianças têm dificuldades para dormir e isso acaba refletindo na família inteira, que fica exausta.

A consultora de sono infantil Mariana Zanotto dá sete dicas de como melhorar a rotina noturna do seu filho e a qualidade de vida de todos os moradores da casa. Veja:

1. Peça ajuda

Você não precisa fazer tudo sozinha. Você pode pedir a ajuda de um profissional ou de outras pessoas, amigos, familiares. É importante lembrar que precisamos pedir ajuda. Os transtornos de sono nem sempre são de solução rápida, e estudos comprovam que mães que se sentem desamparadas têm mais risco de desenvolver distúrbios de humor, o que pode afetar a convivência e o bem-estar em família.

2. Aceite o jeito das outras pessoas

Constantemente escuto: “ Ah, mas o meu marido não sabe fazer ele dormir.” Lembra o que falamos no tópico acima? Sobre a importância de pedir ajuda? Você aprendeu fazendo, certo? Permita que as outras pessoas que participam dos cuidados façam o mesmo.

Foto: Pixabay

Foto: Pixabay

3.Torne o sono uma prioridade 

Em todos meus anos lendo pesquisas sobre desenvolvimento físico e emocional, o único fator que está mais próximo de ser comprovado, por trazer os maiores benefícios para o crescimento saudável é, adivinha? O sono! Ele regula os padrões alimentares, é responsável por ajudar o corpo a se “reestruturar” após um dia de atividades, auxilia na fixação de conteúdo, permite que nós possamos focar e solucionar problemas, regula nosso humor e estado emocional, estabiliza a produção hormonal do nosso corpo, entre outros. Enquanto nós não tornamos o sono uma prioridade para TODA a família ele continuará sendo um desafio.

4. Evite cair na armadilha da praticidade

O que é melhor? Resolver um problema desses em 2 meses ou sofrer por 3 anos? Exceções são saudáveis e incentivam a aprendizagem de resiliência, porém, a quebra diária de regras de convivência, resultam em uma vida ditada pela praticidade e a sensação eterna de que nunca conseguiremos resolver o sono da família. Sim, a criança de 3 anos dorme em 5 segundos depois de cada uma das 7 mamadeiras que ela toma durante a noite. Sim, você aceita este padrão por estar cansada. Mas até quando isso será sustentável? E quais lições vocês estão deixando de lado por ser mais “fácil” resolver desta maneira?

5. Pare de tentar tudo!

Quem tenta tudo, não tenta nada. Aprender a dormir deve ser também um processo de autoafirmação e descoberta. Nem sempre a solução que vem de fora será a melhor. Escolha o que faz sentido para sua família e se dedique. A forma que a aprendizagem funciona é através de repetição. Quando tentamos de tudo em um período curto de tempo, não permitimos que o cérebro faça o seu trabalho de fixar esse trabalho.

Foto: Pixabay

Foto: Pixabay

6. Gerencie seus medos e carências

Nada como 2 meses sem dormir para nos fazer sentir como a pior pessoa do mundo. Ou de ter a certeza de que fazemos tudo errado e não somos capazes nem de cuidar dos nossos próprios filhos. Quando estamos exaustas, nosso corpo reage devido à falta de oportunidade para nosso organismo se “recompor”. Uma pesquisa feita na Grã-Bretanha constatou que pessoas que dormem mal são 7 vezes mais prováveis de se sentirem desamparadas e 5 vezes mais inclinadas a se sentirem sozinhas. Faz sentido agora? Se em qualquer momento seus medos e carências te impedirem de auxiliar seu pequeno a dormir, aprender ou ser educado, é importante observar isso como um sinal de que você também está precisando de ajuda. Sua vivência é importantíssima e deve ser respeitada como tal. 

7. Saiba que vocês são capazes!

Vai ser difícil? Sem dúvidas. Vai demorar? Pode ser que sim. Mesmo assim, não se desmotive. Você é capaz, os outros cuidadores envolvidos também e a criança também é capaz. Sou testemunha das situações mais complexas que vocês podem imaginar e posso garantir que o diferencial entre conseguir ou não é a mentalidade.

Mais colunas da Vanessa:
::  Dicas para ter sucesso na amamentação
:: O “jogo dos 7 erros” na maternidade: mesmo tentando acertar, toda mãe irá cometer um destes deslizes
:: Seis livros infantis para ler com seus filhos antes de dormir

Leia mais
Comente

Hot no Donna