A costura artesanal conquista as altas rodas

A moda tem na estilista Vanessa Montoro sua mais bela expressão

Foto: Renan Christofoletti

Festa da alta sociedade paulistana no Jardim Europa. A anfitriã usa salto alto, anel e brincos de brilhante, coque baixo bem elaborado e… vestido de crochê. A combinação parece estranha para quem ainda associa o crochê à praia ou à vovó, mas o estilo de costura artesanal vem ganhando os closets das adoradoras de tendências.

Uma das responsáveis pela glamourização do estilo no Brasil é a paulista Vanessa Montoro, de 35 anos. Ela especializou-se na técnica e, com o incremento de fios de seda, tingimento natural e bom gosto para desenhar as peças, invadiu closets de nomes como a empresária Donata Meirelles, a apresentadora Julia Petit e blogueira Lalá Rudge.

Vanessa não nega: aprendeu com a avó Ruth Montoro a usar a agulha e a fazer seus primeiros casacos e blusas. Depois de receber muitos elogios nas ruas ao vestir os modelos feitos à mão, teve o insight que resultou na grife que leva seu nome:

? Me destacava muito usando as peças criadas por minha avó. Elas se diferenciavam dos produtos de massa. Foi quando reparei que o crochê era único.

Já se vão 13 anos desde então, e atualmente Vanessa conta com uma equipe de 15 crocheteiras que trabalham nas coleções bem limitadas e exclusivas. São de 20 a 25 peças por modelo. Cada peça leva aproximadamente 30 dias para ser finalizada. Para destacar cada linha, a estilista alia ao crochê outros materiais, como o chiffon e as franjas, bem utilizados na coleção de verão 2013 recentemente apresentada na capital paulista. Veludo e tule são as promessas do inverno 2013.

Vanessa derrubou outro mito: o de que roupas de crochê têm de ser baratas.

? É um trabalho raro e que leva muito tempo para ser feito. Além disso, está em extinção. Desde o princípio, me preocupei em agregar matéria-prima e luxo. Hoje, as pessoas vão a casamentos e festas chiques com minhas peças. Acabou o preconceito ? comemora.

Outro ponto positivo do estilo é que as roupas são atemporais. As coleções podem passar, mas continuam a ser comercializadas no site da estilista.

Aqui no Estado, ainda não há ponto de venda, mas as peças podem ser escolhidas pela internet e encomendadas diretamente no ateliê. Vanessa garante:

? Os longos vestem superbem. E não engordam de jeito nenhum!

Na véspera da entrevista por telefone a Donna, ela contou que se preparava para o nascimento de Sienna, sua segunda filha. Crente da teoria de que “santo de casa não faz milagre”, deu-se por conta:

? Não fiz nenhum sapatinho de crochê, acredita?

E prometeu:

? Virá uma linha petit por aí.

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna