Anos 40, 50 e 60 inspiram as coleções do inverno 2013

Estampas, tricôs e couro se renovam com um olhar à moda antiga

Foto: Felipe Giuriatti

40: A década do romantismo

A estamparia floral, de inspiração oriental, marcou os anos 1940. Usar uma camisa ou blusa florida ajudava a equilibrar com romantismo o guarda-roupa delas, já que as mulheres optavam por peças e cores sóbrias para trabalhar. A dica de quebrar um look em tons fechados com um floral aninado vale até hoje. No inverno 2013, prevalece a estampa com fundo escuro, tendência que foi hit em temporadas passadas e segue forte na estação.

Outro revival da década de 40 na moda atual é o brinco em formato de gota. Querido tempos atrás, volta a ser aposta. O acessório carrega um lema: quanto maior a pedra, mais chique a peça.

No guarda-roupa masculino, o retorno da gravata fininha e do terno completo – com direito a colete – resgata a elegância dos tempos em que Frank Sinatra iniciava a carreira.

O CARRO
O Lincoln 1946 Continental Coupê era tão completo e luxuoso para seu tempo que tornou-se um objeto de desejo nos anos 1940. Reza a lenda que era o predileto do mafioso Al Capone.

50: Atitude e irreverência
 
 
A jaqueta de couro biker, peça chave do inverno 2013, começou a ser usada na década de 50. Se na época aparecia quase que exclusivamente em preto, é aposta da estação em cores marcantes como o verde-esmeralda e o burgundy. Par com calça preta justa, lembra o estilo de James Jean, que em 1955 estrelava Juventude Transviada.

O duo legging + coturno é repaginado nas coleções atuais com spikes e tachas no calçado.

Nem só do estilo rock and roll de Elvis Presley e Jerry Lee Lewis viveu a década. No guarda-roupa das mulheres, as produções tinham saias rodadas, luvinhas curtas e casaquetos. O inverno 2013 resgata as camisas com detalhes em renda, uma marca da época. Nas coleções de hoje, no entanto, a transparência surge bem mais ousada do que nos tempos em que Gabrielle Chanel brilhava como ícone da alta costura.

O CARRO
O Cadillaz 1956 conversível representava o topo do glamour norte-americano dos anos 1950. Sua marca registrada, o “rabo de peixe” na traseira, tornou-se símbolo de

60: O futuro é agora

 
As listras, linhas e outros padrões geométricos que fazem sucesso em vestidos e casacos deste inverno, têm inspiração na década de 60, época de inovações tecnológicas e busca frenética por modernidade.

Outro déjà vu da década são casacos, camisas e blusas sem gola. Presentes nas coleções de hoje, davam ar futurista às produções da época. Roberto Carlos, em tempos de Jovem Guarda, era adepto do até então inovador blazer sem gola.

Depois de alguns anos exaltando uma silhueta mais justa e marcada, estilistas como Marc Jacobs apostam num 2013 cheio de vestidos no estilo tubo. O corte nasceu justamente na década de 60 e era desfilado pela modelo Twiggy.

O CARRO
O Chevrolet Conversível 1957 fez sucesso tanto nos anos 1950 quanto nos anos 60. Ficou famoso por conta do então revolucionário sistema de injeção de combustível, uma inovação e tanto.

As últimas do Donna
Comente

Hot no Donna