As donas da festa! Quatro estilistas de moda festa do RS que você precisa conhecer e vestir

As estilistas ao lado de suas criações: E para D, intercalada pelas modelos, 
Karen Raissa, Camila Ferrés, Adriana Kavietz e Eduarda Galvani. Foto: Fernando Rezende
As estilistas ao lado de suas criações: E para D, intercalada pelas modelos, Karen Raissa, Camila Ferrés, Adriana Kavietz e Eduarda Galvani. Foto: Fernando Rezende

Final de ano é aquela época em que os convites para festas parecem se multiplicar. Das tradicionais formaturas aos casamentos, que ganham uma aura diferente neste período do calendário – até, claro, as comemorações de Natal e Réveillon –, ocasiões que pedem um traje especial não costumam faltar. E que tal vestir uma criação made in RS?

Em um momento que a moda gaúcha está mais em ebulição do que nunca, Donna destaca quatro estilistas com olhares criativos singulares e uma característica em comum: a paixão pelos vestidos de festa. Adriana Kavietz, Camila Ferrés, Eduarda Galvani e Karen Raissa pedem passagem e mostram a que vieram neste editorial.

Eduarda Galvani

 

Foto: Fernando Rezende

Foto: Fernando Rezende, especial

Eduarda Galvani cresceu entre as agulhas e os bordados da avó Celina, costureira de mão cheia. Não tardou para que o talento de família aflorasse: aos 15 anos, desenhou o próprio vestido de debutante. Logo, as amigas começaram a disputar os croquis de Duda, que, ainda adolescente, se preparava para uma temporada de estudos na London College of Fashion.

– Amava esse universo da moda, sempre fique encantada – conta Eduarda, hoje com 26 anos, ao relembrar os primeiros passos. – Ali, já sabia o que eu queria.

De volta ao Brasil, seguiu as orientações da mãe e foi atrás de emprego em uma grande empresa. Por quatro anos, dividiu-se entre o trabalho na área de criação da Renner e a faculdade de moda na Feevale. Nas horas vagas, voltou sua atenção às próprias costuras: a paixão pela moda festa, que jamais se apagara, voltava a ganhar protagonismo em sua vida. Deixou de lado a estabilidade e abriu as portas do ateliê que leva seu nome. Primeiro, em casa. Hoje, em um espaço próprio, na altura do número 61 da Rua Auxiliadora, na Capital.

O olhar apurado e sensível de Eduarda transparece em suas criações sofisticadas e delicadas, que carregam uma boa dose de romantismo. A primeira coleção da etiqueta, Le Rêve, resgata a estética da mulher pariense dos anos 1950 e do estilo New Look Dior. Na mais recente, as referências vêm direto dos Jardins de Luxemburgo. Para as festas de fim de ano, os vestidos misturam uma pegada sexy, que está no DNA da marca, com modelagens à la princesa moderna. Além das coleções, lançadas sem estação definida, Eduarda também empresta seu talento para dar vida a peças de festa sob medida, feitas especialmente para formandas, madrinhas e noivas. Com o lema “mais mão, menos máquina”, executa vestidos elaborados, com bordados feitos à mão e técnicas que remetem à alta-costura de antigamente.

Onde encontrar:
eduardagalvani.com.br
@eduardagalvaniatelier
• Ateliê na Rua Auxiliadora, 61, em Porto Alegre

Camila Ferrés

 

Foto: Fernanda Rezende

Foto: Fernando Rezende, especial

 

Minimalista e delicado, o trabalho de Camila Ferrés é um verdadeiro suspiro de frescor em meio a pedrarias e tafetás. Aos 32 anos, a estilista uruguaia criada no Estado coleciona superlativos. Com formação no curso de Fashion Design no Istituto Europeo di Design, em Madrid, descobriu a paixão por modelagem quando começou a trabalhar em um importante ateliê de alta-costura espanhol.

– Tive contato com tecidos incríveis, acabamentos maravilhosos feitos à mão. Me encantei com a vida de ateliê e de viver o processo inteiro de criação – conta.

Ainda na faculdade, Camila foi escolhida para participar de um concurso de novos talentos da Vogue Itália – com direito a mostrar suas criações aos olhos treinados de Franca Sozzani, lendária editora da publicação, que morreu no ano passado. De volta ao Brasil, um convite daqueles: integrar o time de Carlos Miele, à época um dos principais nomes de moda festa do país. Mas logo a vontade de dar vazão aos seus próprios desejos criativos falou mais alto. Com duas máquinas de costura e um ateliê improvisado na casa dos pais, debruçou-se a executar todos os passos para dar vida a seus belos vestidos, dos croquis às modelagens e costuras. Primeiro, apenas modelos para noivas e madrinhas sob medida. Depois, foi a vez de mostrar seu olhar sensível em uma coleção própria.

– Queria definir bem o meu estilo, ter uma marca com identidade, não só um ateliê que fizesse roupas especiais. Sentia vontade de expressar a minha moda, que não tem uma identidade tão local – explica.

Totalmente fora da curva, principalmente quando se fala em moda festa made in RS, Camila investe em peças com ares arquitetônicos e linhas simples. Para criar, busca referências que passam pela arte e pela fotografia – como o fotógrafo alemão Helmut Newton.

Atemporais e duráveis, os modelos de sua etiqueta são lançados uma vez por ano e conversam entre si, quase que como um único guarda-roupa – elegante e contemporâneo que só. Tudo isso aliado a uma precisão técnica indiscutível.

– Não visto um monte de gente, mas algumas pessoas me vestem muitas vezes – finaliza Camila.

Onde encontrar:
camilaferres.com
@camila_ferres
• Ateliê e showroom na Av. 24 de Outubro, 1.440/ 1307, em Porto Alegre


Leia mais:

:: Fim de ano sem surtar: 8 passos para curtir as festas e chegar “sã e salva” em 2018

:: Clássico para todas as horas: confira três combinações superestilosas com o vestido preto

:: Moda festa: como combinar o batom com o seu look

 

Adriana Kavietz

 

Foto: Fernando Rezende

Foto: Fernando Rezende, especial

Sabe aquele vestido que parece ter sido costurado no corpo, tamanha a precisão? É assim com tudo que Adriana Kavietz cria. Quase que esculturas em formato de vestidos, pensados para ocasiões especiais como festas e formaturas e, claro, para as noivas.

A paixão pela moda começou cedo: desde pequena, já costurava roupas para suas bonecas. Com 12 anos, passou a desenhar e costurar as suas próprias peças. As primeiras criações foram apresentadas em desfiles que Adriana e as três irmãs – futuras parceiras de trabalho – montavam na frente de casa, em São Luiz Gonzaga, no interior do Estado.

Atento ao talento da filha, o pai presenteou a então adolescente com uma máquina de costura, que serviu para confeccionar as peças que ela venderia para as amigas e conhecidas, antes mesmo de se matricular em um curso técnico de estilismo no Senai. O destino da garota entre agulhas e linhas estava traçado.

Depois de acumular experiência em confecções, onde seu talento era aprimorado em todas as etapas, do desenho aos bordados finais, decidiu que era hora de abrir a própria fábrica. Mas a etiqueta que leva seu nome só foi costurada pela primeira vez em 2014. Desde então, o nome da estilista, hoje com 37 anos, virou sinônimo de elegância e sensualidade e referência em moda festa no Estado.

– Minhas roupas têm um toque moderno, mas são clássicas. Podem ser usadas daqui a 10 anos – diz. – Me inspiro em tudo, desde uma flor até um sapato, o que vejo na rua. E, claro, nas minhas clientes.
A silhueta marcada, sua marca registrada, transparece em modelos com ar de princesa, que levam bordados preciosos. Sofisticação e delicadeza em vestidos que parecem ter saído de contos de fadas.

Onde encontrar:
adrianakavietz.com.br
@adrianakavietz
• Ateliê na Rua Coronel Bordini, 1.111, em Porto Alegre

Karen Raissa

 

Foto: Fernando Rezende

Foto: Fernando Rezende, especial

Para Karen Raissa, o menos sempre foi mais. Não à toa, sua moda autoral reflete linhas limpas com uma pegada minimalista. Outra característica das criações da designer de 41 anos é a geometria, influência direta da primeira faculdade que cursou. Por quatro anos, ela frequentou as aulas de Arquitetura, até se render ao sonho de estudar Moda e Estilo na Universidade de Caxias do Sul (UCS).

– Moda e arquitetura, para mim, são áreas completamente afins – diz a estilista.

Não deu outra: já no primeiro semestre, foi contratada como estilista de uma malharia na Serra. Depois de formada, a afinidade com as linhas e lãs aparece novamente na primeira etiqueta que criou, Tonga da Mironga. A marca de tricô teve peças vendidas em todo o Brasil, além da assessoria criativa do estilista mineiro Ronaldo Fraga.

De volta a Porto Alegre, Karen inaugurou o próprio ateliê, agora com seu nome. A ideia era trabalhar com tecidos planos em coleções prêt-à-porter, mas o sob medida logo ganhou espaço. Ao longo dos últimos 12 anos, os vestidos para noivas, madrinhas e formandas confeccionados de forma personalizada são pensados para quem gosta de conforto e simplificação, sem abrir mão da feminilidade. Além da geometria, as cores, as formas e as modelagens estão entre os atributos que diferenciam a etiqueta.

– Meu processo de criação é completamente intuitivo. Não sigo tendências – explica Karen Raissa. – Trago referências da arquitetura, da arte, da natureza. Gosto de ter um tema que guie a minha inspiração.

Onde encontrar:
karenraissa.com.br
@karenraissaatelier
• Ateliê na Rua Vasco da Gama, 461, em Porto Alegre

***

Créditos:

Conceito: Thamires Tancredi e Patrícia Rocha
Produção: Thamires Tancredi
Direção: Thamires Tancredi e Carolina Salazar
Fotografia: Fernando Rezende
Modelos: Fernanda Filkenstein (Fun Models), Francesca Del Ben (LOV Mgmt), Juliana Mueller (Joy) e Roberta Leal (LOV Mgmt)
Assistentes de fotografia: Anry Kiriyama e Renata Moraes
Beleza: Fernanda Martins (make) e Mateus Pereira (cabelo), da RhedCo
Agradecimentos: Shopping Praia de Belas (locação) e Tok&Stok Praia de Belas

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna