Como descobrir seu estilo: dicas para você se expressar através do guarda-roupa

Por Camila Maccari, especial

Você já abriu o guarda-roupa e sentiu que nenhuma peça refletia muito quem você é? Ou percebeu que aquilo que veste todos os dias não combina com o seu jeito de viver a vida? Depois que essa ficha cai, você se pergunta qual, afinal, é o seu estilo: uma dúvida comum, principalmente ao encarar cabides cheios de roupas que quase nunca são usadas ou não combinam entre si.

– Nosso estilo pessoal é uma arma valiosa para mostrarmos quem somos, nos sentirmos felizes em nossas peles e até mostrarmos a forma que queremos ser vistas pelo mundo – afirma a stylist e consultora de moda Roberta Weber.
Além disso, conhecer o seu gosto traz outros pontos positivos. Léa Macedo, consultora na Terapia de Estilo afirma que esse processo ajuda em aspectos práticos da vida.
– Se a pessoa não sabe o que quer, acaba gastando mais tempo e dinheiro: fica horas no shopping para escolher uma roupa, depois não se sente bem com a peça e deixa ela parada no roupeiro – afirma.
A boa notícia é que você pode descobrir o seu estilo, não importa quantos anos tenha. Bruna Holderbaun, sócia da consultoria de estilo Closet Detox conta que já atendeu mulheres com idades que variam de 22 a 70 anos.
– Essa busca não é algo que se faz uma vez e deu. Quando a vida muda, as experiências se somam e nós evoluímos – o jeito que você se veste acompanha isso.
Confira as dicas de Bruna, Léa e Roberta que vão ajudar a repensar o modo de se vestir e encontrar o que combina melhor com sua personalidade.

Veja mais
Dicas para você usar leeging com muito estilo no seu dia a dia
Das olimpíadas para o dia a dia: como aderir ao estilo esportivo|As Patrícias
Dicas para organizar seu guarda-roupa e redescobrir o que há no roupeiro

POR ONDE COMEÇAR

Autoconhecimento
As consultoras concordam que esse é o ponto de partida.
De olho na rotina: se você quer encontrar roupas que reflitam sua personalidade, é importante fazer uma autoanálise para descobrir seus gostos. Pense no que você gosta de comer, de ler, os filmes que gosta de assistir, os lugares aos quais gosta de ir: é importante entender o conjunto de coisas que formam o seu jeito de ser. – afirma Léa.
Olhe para o seu roupeiro: ele pode ser fonte de descobertas. Não é por nada que todas aquelas roupas estão lá.
– Preste atenção nas roupas que já tem, identificando as cores que se repetem, as estampas, as formas. Quando usar algum look que te deixar feliz, tire uma foto e guarde, vale a pena olhar depois e pensar o que te agradou nele. – explica Roberta
Palavras mágicas: Bruna sugere buscar as três palavras que te definam e, a partir delas, perceber o que você quer mostrar.
– Esses termos podem te ajudar: fica mais fácil escolher o que usar se você sabe como se vê. Uma pessoa criativa, expansiva e ousada aposta em looks diferentes de alguém que seja clássica, tímida e pragmática, por exemplo.

know yourself

Referências
Depois de saber o que quer expressar, busque referências. Elas são importantes porque ajudam a treinar o seu olhar e podem servir de inspiração. Bruna e Roberta sugerem juntar imagens que você curte em uma pasta do pinterest – ou do seu computador mesmo.
– Elas não servem para copiar, mas para identificar o que nos atrai e pensar como incorporar isso ao nosso estilo de forma que pareça natural e confortável. – afirma Roberta
Depois de juntar as imagens, analise o que foi selecionado.
– Você provavelmente vai perceber um padrão no que foi escolhido e isso pode ajudar na hora de repensar o seu guarda-roupas – diz Bruna.

Faça a limpa
Pode ser que você tenha muita coisa parada no seu roupeiro: é preciso redescobrir essas roupas. Muita coisa pode sair da sua vida, mas outras tantas podem voltar para a sua rotina.
– Quando você joga todas as suas roupas em cima da cama, consegue olhar para o que tem e perceber peças que estavam perdidas. Nesse processo, descobre vários looks: é possível que tudo o que se precisa já esteja lá – afirma Léa.

roupeiro clueless

Saiba comprar
Os estímulos para comprar aquela saia de franja podem vir de todos os lugares, mas pense bem antes de se jogar nas tendências. Se elas não lhe fazem sentido não tem por que ir na onda das revistas.
_ É importante se perguntar se você ainda vai querer usar a roupa depois que a febre passar. O que faz uma peça atemporal não é o fato de ELA ser básica, mas sim ELA ter a ver com quem usa. _ afirma Bruna.

comprass

Permaneça consciente
Depois que você identificou qual é o seu gosto e qual é a melhor maneira de se expressar, fica mais fácil se vestir todos os dias – aquele momento de desânimo em frente ao guarda-roupa vai ser mais raro. MAS NÃO ACHE que esse é o tipo de processo pelo qual se passa uma vez na vida.
_ A cada seis meses é um bom prazo para examinar se ainda estamos coerentes com a imagem que passamos, se ela reflete bem nossa personalidade, posição e estilo de vida. _ explica Roberta.

Foco nos detalhes
Está sem dinheiro para gastar em roupas novas – ou não acha que precisa investir em peças agora? Roberta explica que existem alternativas mais em conta para incrementar o visual. Trocar roupas com amigas ou garimpar bazares e brechós pode ser uma alternativa. Além disso, é possível mudar um estilo apostando em detalhes.
_ Acessórios como cintos, lenços e colares dão outra cara às peças que você já tem. Até um batom de cor diferente ou uma nova forma de usar o cabelo já podem mudar nossa postura e adicionar charme ao nosso estilo.

Leia mais
Comente

Hot no Donna