Conheça os estilistas gêmeos que caíram nas graças de Rihanna

Por Carson Griffith/The New York Times News Service

Quando eram crianças, Chet e Betts DeHart, os gêmeos que criaram a marca de streetwear Lucid FC, enfrentaram desafios acadêmicos.

– Eles tinham muitas dificuldades na escola, mas eu e meu marido sabíamos que iam se destacar de outra forma que não fosse pelos estudos  conta a mãe, Jessica DeHart.

Aos 19 anos, os irmãos DeHart (ou os gêmeos da Lucid, como geralmente são chamados), descobriram seu nicho e podem estar prestes a se tornar verdadeiros magnatas. Sua marca de roupas, que começaram quando tinham 14 anos, é vendida nas boutiques A Number of Names, de Londres, Standard, de Atlanta, na Geórgia, e VFiles, em Nova York. As peças, que custam entre US$ 13 e US$ 245, incluem moletons com capuz, calças de pintor e camisas: roupas para o dia a dia, roupas para a balada.

O produtor e DJ Alexander Ridha (conhecido como Boys Noize) e o artista hip-hop Makonnen Sheran (ILoveMakonnen para os fãs), entre outros, usam. Rihanna também é fã e deu à grife uma força ao ser fotografada usando vários itens, incluindo a parca Crest Logo (US$ 95) e o boné Logo Trucker (US$ 40).

rihananrihanna-love-affair-with-lucid-fc-continues-at-giorgio-baldi-05 - Cópia

Rihannas-New-York-City-Lucid-Footwear-Logo-T-Shirt-900x1200

Esforçados, os meninos conquistaram o primeiro emprego aos 12 anos, em uma filial da franquia Menchie’s Frozen Yogurt de sua cidade, Atlanta. Segundo Jessica, ela e o marido, além de um representante da escola em que estudavam, tiveram que assinar uma autorização para que pudessem trabalhar em uma idade tão tenra.

– Eles odiavam, mas pegavam os US$ 27 que ganhavam e juntavam para comprar um par de tênis de boa qualidade  conta ela, com uma risada.

E acabaram montaram uma coleção.

 O porão era lotado de tênis  recorda Chet DeHart.

Leia também
Em parceria com a Puma, Rihanna deve estrear coleção na Semana de Moda de Nova York

O momento crucial veio no Dia de Ação de Graças, quando os dois estavam no oitavo ano.

 Betts era o mais interessado no lado comercial. Pegava um tênis e começava a contar como era feito, quantos pares eram produzidos, onde e tudo mais. Sabia tudo sobre o negócio. Não sei de onde veio essa paixão  prossegue a mãe.

Jessica DeHart, escritora de livros infantis, vive em Atlanta com o marido, Jeff DeHart, que é agente imobiliário, e relembra o momento da virada:

 Chet, o mais criativo, começou a gravar e colocar num site de que a gente nunca tinha ouvido falar, um tal de YouTube; aí o Google ligou e se ofereceu para colocar uns anúncios.

O canal no site de vídeos, o SoleBrothers, os transformou em sensação entre os geeks do setor. Como eram menores de idade, não tinham acesso ao dinheiro que ganhariam, então uma conta foi criada no nome dos pais. (As sequências antigas do SoleBrothers agora fazem parte do canal da Lucid FC). Aos 14 anos, decidiram que acumular tênis já não era o suficiente.

 Vendemos todos para começar nossa grife e porque queríamos criar nossos próprios sapatos  revela Chet.

Em 2010, com a ajuda da mulher de um instrutor de auto-escola que tinha contatos na manufatura da Ásia, criaram a Lucid Footwear. Graças a um arranjo pouco convencional, através do qual cursaram o ensino médio na Ben Franklin Academy, em Atlanta, só na base do meio período, puderam se dedicar à carreira. Mudaram o nome da marca para Lucid FC, em 2012, para deixar claro que a empresa agora fazia roupas (e não produz mais calçados).

Os DeHart saíram de Atlanta, rumo a Nova York, em setembro de 2014, para cursar o LIM College, escola especializada no lado comercial da moda, mas desistiram depois de um único semestre. Durante esse curto período, investigaram também o bairro especializado no setor e descobriram dois nomes: a Johnny Wu Designs (para lidar com as peças que precisavam de “corte e costura”) e a Jonathan Embroidery Plus (que vende os itens que enfeitam o logo, semelhante a um hashtag de lado).

 Não foi fácil encontrar pessoas que fizessem as coisas para nós  afirma Betts.

 Teve muita gente que chegamos até a pagar, mas que não nos ajudou – confirma Chet.

Livres da escola, conseguiram emprego na VFiles, a loja de roupas descolada-demais-para-quase-todo-mundo, na Mercer Street, fundada por Julie Anne Quay.

– Me contaram que tinha dois gêmeos fofos comprando na loja e é claro que fui dar uma olhada  – confessa ela.
Depois de mais ou menos três meses, os DeHart cumpriram o tempo mínimo de trabalho atendendo o público (e impressionaram Julie com seu conhecimento de moda e música), passaram a expor peças da Lucid FC no showroom. Os irmãos contam que não tiveram ajuda financeira de ninguém de fora. Vivem em um apartamento de um cômodo no primeiro andar de um prédio de Nova York: um dorme no quarto, o outro, na sala, entre caixas e araras cheias de amostras. Pagaram um ano de aluguel adiantado, sendo que metade do valor foi financiado pelos pais. Jeff e Jessica DeHart também mandam US$ 500/mês para as compras.

– Acho que a única coisa que estão comendo é granola  brinca Jessica.

O advogado Peter Pawlak Jr. é que os está ajudando com as questões de marca registrada e direitos autorais, sem cobrar nada. O escritório, que também sai de graça, pertence ao artista e investidor Steven Himmel, que os meninos conheceram através do artista de hip-hop Sheran.

 Já passei pelo mesmo; já fui um jovem com um sonho e sempre agradeci o fato de poder olhar para trás e ver quanta gente me ajudou a conquistar meus objetivos  resume Himmel.

Entre os mentores também estão o fotógrafo Steven Klein e Carolyn Murphy, modelo e diretora de moda feminina da Shinola, de Detroit.

Leia mais
Comente

Hot no Donna