Dia do rock: 5 estilos para você se inspirar | As Patrícias

Esta quarta, 13 de julho, é dia dele, o mito, o som, o estilo, o rock. Não importa o movimento dos quadris, quantos acordes têm ou deixa de ter, se de ontem ou de amanhã, se podrinho ou glamuroso, se leve ou pesado, o certo é que o rock é um dos maiores incentivadores da moda graças ao seu espírito adoravelmente transgressor.

Certo: a moda seria muito mais chata sem a alma outsider dos palcos. Muitos dos estilos do rock definiram também um novo jeito de vestir, como você confere aqui. Escolhemos as nossas inspirações e peças preferidas: pode usar, sem erro.

Leia também
:: Dia do Rock: relembre as roqueiras que fizeram história na música

:: Estilo rocker: adote sem ser caricata

Seja rockabilly

fotoS_ROCKABILLY

Nascido nos anos 1950 da junção de rock com hill billy (que a gente até pode traduzir como algo semelhante à caipira, em referencia à música country), o rockabilly jamais poderia ficar de fora de uma lista de inspiração para a moda. Os meninos usavam as nossas queridas jaquetas biker com camiseta branca, calças jeans e um bom topete. Ah! Camisas bordadas, ao estilo mais country, também faziam parte do estilo, assim como paletós sequinhos. As meninas remetiam ao visual de uma pin-up, com cintura altas, vestidos rodados marcando a cintura e calças sequinhas. Olho gatinho e batom vermelho eram essenciais.

Um dos visuais mais bacanas: afinal, quem resiste a uma biker, jeans e cintura definida?

Para ouvir: Elvis, Johnny Cash, Bud Holly, Wanda Jackson.

 

Seja “mod”

mod01

Os mods são engomadinhos que vêm de Londres. Jovens de classe média apaixonados por ternos italianos colados ao corpo e cabelos impecavelmente arrumados, levavam uma vida frenética na noite e se balançavam ao som de ska, soul, blue beat e jazz. Seu auge foram os anos 1960, mas o estilo de vestir transpõe qualquer década, sempre sofisticado. Além dos ternos, que costumavam mandar ajustar em alfaiates, vestiam jeans igualmente justos, camisetas polo Fred Perry, botas Clark Desert e camisetas com o símbolo da Royal Air Force. Ah! A cereja do bolo do uniforme mod eram as parkas militares que protegiam da chuva e do frio da noite londrina. Por sinal, essa mistura da alfaiataria e do militar é uma referência e tanto para o closet contemporâneo, assim como os cortes justinhos das calças curtas usadas com as botas de cadarço ou os modelos Chelsea.

Para ouvir: The Who, Small Faces e The Yardbirds.

 

Seja “glam”

glam_fotos

Se você ama um excesso, glam rock é a sua praia. Saltos quilomêtricos, cílios postiços, batons, brilhos, purpurinas, trajes extravagantes de personalidade andrógina, muita energia sexual. Não à toa, o glam, que se disseminou na Inglaterra no começo dos anos 1970, também é chamado de glitter rock. Quer saber para onde olhar? David Bowie nas fases de Ziggy Stardust e Aladdin Sane ou até mesmo Secos & Molhados. O que fica do glam? Sandálias plataformas, calças e tops metalizados, bastante em alta hoje, e uma atitude debochadamente sexy. Só cuidado: glam, só à noite, baby!

Para ouvir: os já citados e também T.Rex, Sweet, Twisted Sister.

 

Seja punk

fotos_punk

A cultura punk, que se iniciou em Nova York e Londres na década de 1970, vai muito além dos poucos acordes de suas canções. E se revela de na roupa, respondendo por uma atitude totalmente particular além de qualquer época. Baseados no conceito do faça você mesmo e no uso de roupas e símbolos em um contexto bizarro, os punks adotaram peças de origem sadomasoquista, pregos, pinos, rasgos, retalhos e reconstruíram ternos, camisas e vestidos. As bondage pants (calças xadrez com vários zíperes nas pernas), as jaquetas de couro com rebites e spikes, os tênis Converse, os coturnos, as correntes e muitos bottons e patches são alguns essenciais do punk.

Para ouvir: Ramones, Sex Pistols, Black Flag, Stooges. Dead Kennedys, The Clash.

Seja grunge

grunge_pics

Este é um dos nossos favoritos, afinal, amamos o despojamento e o jeito “tô nem aí”. Surgido ao final dos anos 1980, inspirado pelo hardcore punk, pelo heavy metal e pelo indie, o grunge tem um visual podrinho (como o próprio nome, derivado do jargão grungy, sugere), com destaque para a sobreposição de peças, as camisas de flanela xadrez típicas dos trabalhadores de Seattle, os hoje chamados mom jeans (retos, de cintura alta, ao estilo baggy) e peças de brechó, tudo na contramão das superproduções da época. A moda grunge vem do contraste, como uma camisola antiguinha usada com botas pesadas, camisas de flanela e jaquetas jeans – uma mistura deliciosa em qualquer tempo.

O que ouvir: Nirvana, Alice in Chains, Redd Kross, Soundgarden e Pearl Jam.

Outras dicas d’AsPatrícias?
:: Do trabalho à balada: 4 ideias para usar short de couro
:: Casaco cinza de lã: 3 looks para se inspirar nos dias de frio
:: 5 tendências que vão te ajudar a reciclar o visual do frio

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna