Empresária, it girl e inspiração fashionista, Helena Bordon fez de sua assinatura uma marca de sucesso

Blogueira estrela a capa da September Issue de Donna em editorial só com marcas gaúchas

Fotos: Fernando Rezende
Fotos: Fernando Rezende

Muito antes de folhear qualquer revista feminina, a maioria das mulheres tem seu primeiro contato com a moda com um objeto de desejo da infância: o guarda-roupa da mãe. Com Helena Bordon não foi diferente. Só que ela encontrava por lá peças das mais luxuosas grifes do planeta. O que começou como brincadeira de garota deu lugar a um estilo próprio que virou profissão e fez dela umas das maiores referências fashionistas do Brasil.

Aos 30 anos, a it-girl Maria Helena Bordon Meirelles já foi muito além do “look do dia” nas redes sociais. Com o bom gosto herdado da mãe, a diretora de estilo da Vogue, Donata Meirelles, somado ao tino comercial do pai, o empresário Pedro Bordon Neto, tornou-se uma blogueira e empresária com toque de Midas – tudo o que ela veste e posta para os seus quase 900 mil seguidores no Instagram vira objeto de desejo.

O pulo da garota estilosa para o mundo dos negócios se deu em 2008, quando – em sociedade com a melhor amiga e terceira geração de herdeiros da Daslu, Luciana Tranchesi – lançou a marca de fast fashion 284. Foi aí também que começou a compartilhar suas experiências e dicas de viagens e estilo no site que leva seu nome. Descreve-se, ali, como “digital influencer”. E esta influência se mede não só pelo número de licenciamentos de roupas, sapatos e acessórios que levam seu nome, mas também nos convites para os hotspots mais badalados do mundo.

MODA MADE IN RS
Vestimos Helena Bordon com grifes gaúchas para este editorial assinado pela stylist e colunista de Donna Roberta Weber e pelo fotógrafo Fernando Rezende. Nas fotos feitas no Hotel Unique, em São Paulo, a empresária deu o toque final com produtos de sua marca

Direção, conceito e styling: Roberta Weber | Fotos e tratamento: Fernando Rezende
Beleza: Rafael Capello (Amuse Mgt) | Locação: Hotel Unique

Capa da edição September Issue

Capa da edição September Issue

Alvo constante dos fotógrafos de street style, Helena é presença na fila A nas fashion weeks internacionais – para as quais viaja com os looks pré-montados em parceria com seu stylist e muitas malas de bagagem. A fórmula do sucesso para ter chegado aonde chegou? Bem, nem a própria Heleninha sabe como descrever.

– Aconteceu tudo de uma forma mais orgânica mesmo, não teve um “boom”. Não foi planejado em detalhes – conta, em entrevista a Donna.

E olha que ela até tentou desviar desta rota que parecia óbvia. Helena conta que o “estalo” de trabalhar com moda veio aos 22 anos. Ela cursava a faculdade de Publicidade quando começou a estagiar na área de internet e BTL (bellow the line, comunicação fora da mídia) na agência DM9. Depois, partiu para morar no Exterior: em Nova York, ficou um ano estagiando na maison Valentino; em Londres, passou dois anos na área de promoções e eventos da renomada Selfridges. Então, decidiu voltar ao Brasil para empreender.

– Eu tinha um pouco de medo de que as pessoas ficassem dizendo: “Ah, ela tem que ser igual à mãe, tem que fazer a mesma coisa, tem que trabalhar na Daslu”. Acho que eu era meio rebelde quando mais nova.
Desde os 10 anos, Heleninha acompanhava Donata nos desfiles de Paris, Londres e Nova York, quando a então diretora de compras da boutique paulista Daslu (cargo que ocupou por duas décadas) viajava para pesquisar tendências. Visitava os backstages e as lojas dos principais nomes internacionais. Não desgrudava de Luciana e Marcella, filhas de Eliana Tranchesi (1955 – 2012), com as quais passava o tempo em lugares como o showroom de Dolce&Gabbana em Milão.

– Sempre brincávamos de ter loja. Uma separava as peças, outra fotografava, a outra fazia os pedidos. E inventávamos nossa própria coleção também.

Desde a adolescência, Helena era referência no círculo de amigas e familiares, que viam no seu bom gosto a chance de tirar dúvidas de estilo.

– Sempre fui consultada pelas garotas, que me pediam dicas de moda. “Tenho uma festa de casamento, visto isso ou aquilo?”. Outra me ligava ao escolher uma bolsa: “Compro esta ou aquela?
O que tem mais a ver comigo?”.

Em paralelo com a carreira de empresária, Helena também fez (e faz) trabalhos como modelo. Já estrelou até campanhas gringas, como a de L’Oreal Professional em 2014, na qual pintou os cabelos para mostrar a cor da nova estação, e a campanha de bolsas da Gucci. Habituée do jet set, carrega para lá e para cá seu mascote em uma bolsa Louis Vuitton, o lulu-da-po­merânia Chuck (em homenagem ao personagem Chuck Bass, do seriado Gossip Girl):

– Adoro entrar em um avião. Pode ser para Recife ou Londres, pode para uma fashion week ou evento bate-volta.

Nesse vaivém, a vida digital de Helena é intensa. Sempre com smartphone na mão, vive conectada, gerenciando os negócios por grupos de WhatsApp.

– Um da equipe do site, outro dos óculos e assim por diante. Em qualquer lugar do mundo, consigo organizar a minha vida.

O site, aliás, não traz relatos do dia a dia, e sim notícias do universo da moda com a curadoria de Helena. Lá, traduz o que viu de interessante nos desfiles internacionais e indica roteiros de viagens, suas grandes paixões.

– Cada um tem seu foco. O meu é moda, lifestyle e viagem. Quem tenta fazer de tudo fica perdido. Todo dia tem uma nova pessoa entrando (no mercado). Não adianta você fazer porque acha que vai ser um jeito fácil de fazer dinheiro. Não é fácil. Você não vai acordar, tirar uma foto e é isso, fechou a conta do mês. Não é assim. Estamos sempre pensando em projetos novos, indo atrás de clientes. É muito mais complexo do que parece.

Top cropped Camila Ferres, saia C. Mindov, sandália Arezzo, joias Helena Bordon para Dryzun Joias

Top cropped Camila Ferres, saia C. Mindov, sandália Arezzo, joias Helena Bordon para Dryzun Joias

Inspiração fashion

Helena ama, é claro, sair de casa com grifes de luxo da cabeça aos pés – o que não é raro. Praticamente toda a nova coleção da Gucci está em seu closet, bem como a loja inteira da estilista Cris Barros. Mas, quando pode escolher o que vestir (já que nas semanas de moda internacional são as marcas que a vestem), opta pelo high-low. Nas mais de 5 mil fotos do seu Instagram, não faltam combinações como um casaco Red Valentino (que pode chegar a R$ 5 mil) jogado em cima de um tricô da 284 ou de uma saia de fast fashion. O resultado é sempre um estilo urban chic, refinado e contemporâneo – e a cada dia mais seguidores se somam para buscar essas referências.

– É uma responsabilidade inspirar tanta gente. As meninas copiam os looks, compram produtos parecidos, postam no Instagram e me marcam. É superbacana ter esse relacionamento com as pessoas – comenta Helena.

Vestido Assis, óculos By Helena Bordon

Vestido Assis, óculos By Helena Bordon

Viciada em sapatos, ela coleciona todo tipo de modelo, mas prefere os saltos muito altos (que alongam seus 1m66cm de altura). Helena também adora inventar sobreposições e apostar em combinações de cores – e nunca abre mão de acessórios matadores. São esses que garantem o “plus” quando veste looks despojados no dia a dia. E, nessas ocasiões, os itens luxuosos ficam de fora.

– Meu look preferido é a boa e velha calça jeans ou ainda uma calça de couro (tenho uma que já está andando sozinha). Completo com um tênis Adidas Stan Smith e uma camiseta branca. Se for com a jeans, coloco uma jaqueta de couro, para dar um charme, sabe? E aí acabo abusando nos acessórios: uma bolsa legal, um choker, um brinco que dá um up. Este é “o” look para mim.

Leia também
:: Entrevista | Como a blogueira Camila Coutinho fez de seu nome uma grife

A combinação relax descrita acima volta e meia aparece em suas redes sociais, com pequenas variações. O que nunca aparece (e talvez nunca vá ao ar mesmo) é o real estilo que Helena curte usar quando está de folga.

– Nos dias em que não tenho compromisso, tento me poupar da produção. Fico de moletom ou roupa de ginástica. É muito difícil estar sempre arrumada e usando maquiagem. Tem dias que nem um corretivo eu passo. Até assusto algumas pessoas que me encontram assim (risos).

Top Camila Ferres, calça de couro Juliana Sanmartin, joias Helena Bordon para Dryzun joias e óculos by Helena Bordon

Top Camila Ferres, calça de couro Juliana Sanmartin, joias Helena Bordon para Dryzun joias e óculos by Helena Bordon

BY HELENA BORDON

Roupas, joias, acessórios e até louças de porcelana: o nome Helena Bordon batiza diferentes linhas de licenciamentos e agora alça voo para sua própria marca. A primeira investida da By Helena Bordon é uma coleção de óculos, que ganharam nomes em homenagem a conhecidos da blogueira. O Doshow, por exemplo, com shape de gatinho, refere-se à mãe, Donata. Lu, Mica e Beta, as grandes amigas, também estão lá.

Entre as parcerias atuais, estão roupas para Bobstore, louças com o tema “corujinha” para Tania Bulhões, joias para Dryzun e sapatos para a marca gaúcha Capodarte (foto abaixo). Em anos anteriores, já assinou uma linha de lenços para a Scarf Me, t-shirts para a carioca A.Brand, bijus exóticas para Lool, lingerie para a Hope e uma coleção de joias para Carla Amorim.

Divulgação, Capodarte

Divulgação, Capodarte

– São sempre marcas que eu já conhecia ou com que me identifico, aquelas que respeito e gosto. Sinto uma conexão, sabe? Se não fossem coisas que eu usaria, não ficaria um trabalho verdadeiro.

A empresária conta que se envolve tanto que fica preocupada até com detalhes, como a entrega dos óculos.

– Morro de medo de as pessoas receberem e estar meio arranhadinho ou acharem algum defeito.

Divulgação, By Helena Bordon

Divulgação, By Helena Bordon

O envolvimento também se dá no acompanhamento dos desenhos até a produção final: seu manequim 36 serve como referência para conferir a modelagem das peças.

– Faço questão de provar os pilotos e ver se está OK para mim, senão não rola, né?

DE OLHO NO CLOSET DA MÃE

Cenas da infância e adolescência ainda povoam as memórias de Helena. O passatempo preferido com a melhor amiga, Lu Tranchesi, era ligar a TV na sala à procura de canais de moda. Então, corriam ao closet (de Donata ou de Eliana Tranchesi, dependendo de onde estivessem) para se “montar”.

– A gente nem tinha peito ainda, mas fazia de conta. Colocava desde o sutiã até o sapato e ia desfilar, fazendo fotos e poses na frente da TV, toda trabalhada nas marcas de luxo. Era muito engraçado – recorda.

Foto: Agnews

Foto: Agnews

Apesar da filha não calçar o mesmo número de sapato, os ataques ao acervo de grifes continuaram por todos os anos em que elas moraram juntas (mesmo com Helena vestindo um manequim menor do que a mãe). Ainda hoje, casada e vivendo com o marido, a it filha não abandonou o velho hábito de garimpar novidades no closet da it mãe.

– Há dias em que vou e, quando minha mãe chega, já estou no closet. Ela pergunta para mim, naquele tom: “O que você está fazendo aí?”. E eu nem consigo disfarçar: “Imagina, mãe, não estou fazendo nada…” – conta, aos risos.

As incursões ao closet de Donata são tantas e tão frequentes que, quando a diretora da Vogue viaja, deixa tudo trancado.

Continuação da reportagem aqui
Dicas de beleza e segredos do estilo de Helena Bordon

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna