Figurino do filme “Carol” revive o glamour e o cotidiano da década de 1950

Mares Filmes, Divulgação
Mares Filmes, Divulgação

Carol estreia nesta quinta-feira (14) nos cinemas com uma história de amor vivida por duas mulheres, Carol Aird (Cate Blanchett) e a jovem vendedora Therese Belivet (Rooney Mara) – ambas, aliás, indicadas ao Oscar: a primeira a Atriz e a segunda a Coadjuvante. O romance homossexual ambientado na Nova York dos anos 1950 irá enfrentar os obstáculos de uma sociedade conservadora.

Leia mais
:: “Carol” narra de maneira delicada flerte entre duas mulheres nos anos 1950

Chama a atenção das fashionistas o impecável figurino que recria, com precisão de detalhes, o visual das mulheres da época. Carol, aliás, concorre ao Oscar de Melhor Figurino (seus concorrentes são Cinderela, A Garota Dinamarquesa, Mad Max e O Regresso). 

O figurinista titular do filme, Sandy Powell, disse em entrevistas de divulgação do filme que se inspirou nos looks de modelos de revistas Vogue dos anos 1950 para compor o estilo da protagonista. Já para montar o guarda-roupa de Therese, pesquisou imagens de pessoas reais da época. O garimpo em brechós e feiras vintages de Nova York e Los Angeles rendeu muitas das peças mostradas no filme.

A aura ladylike chique da personagem Carol (a elegante Cate) vem com o clássico batom vermelho e o uso de peças como jaquetas trapézio e peplums. O guarda-roupa da  não economiza em tecidos de luxo: peles, cetim e cashmere chamam a atenção. Quem está familiarizado com o estilo de Grace Kelly ou da personagem Betty Draper (do seriado Mad Men) irá identificar o mesmo estilo em Carol.

DF-05005R

Cate Blanchett em “Carol”

Grace Kelly em "Disque M para Matar" (1954)

Grace Kelly em “Disque M para Matar” (1954)

Já o guarda-roupa de Therese é composto de roupas de uso cotidiano, mais humildes, como um conjunto de saia xadrez com blusa, um chapéu e um lenço combinando com uma jaqueta naval. Com menos glamour, mas ainda assim alinhadas, as escolhas da personagem – uma aspirante a fotógrafa – configuram um estilo beatnik (movimento sociocultural da época, com força no meio intelectual, no qual o preto era predominante). Os looks de Therese lembram os usados por Audrey Hepburn no filme Funny Face (Cinderela em Paris, 1957) antes da personagem ser transformada em uma bela modelo pelas mãos do fotógrafo Dick Avery, personagem de Fred Astaire.

Veja também
:: Figurino de Trapaça inspira a moda
:: Os melhores looks do tapete vermelho do Globo de Ouro 2016

Rooney Mara no filme “Carol”
newCA1_1289 copy

Rooney Mara em “Carol”

Audrey Hepburn em "Cinderela em Paris"

Audrey Hepburn em “Cinderela em Paris”

O britânico Sandy Powell já trabalhou como figurinista em mais de 40 filmes desde os anos 1980 e ganhou três Oscar na categoria Figurino (costume design) por seu trabalho em Shakespeare Apaixonado (1998), O Aviador (2004) e A Jovem Rainha Vitória (2009). 

O filme Carol é derivado do livro The Price of Salt (1952), segunda obra lançada pela escritora americana Patricia Highsmith, agora relançado no Brasil pela editora L&PM (312 páginas, preço sugerido R$ 39,90). Além das indicações da protagonista e da coadjuvante ao Oscar, Carol também está entre os concorrentes à estatueta de melhor trilha sonora, melhor roteiro adaptado, melhor fotografia e, claro, melhor figurino, totalizando seis indicações no prêmio máximo do cinema neste ano.

Nos cinemas:
Carol
Dirigido por Todd Haynes
Drama, Estados Unidos. Grã-Bretanha, 2015, 118min.

 Veja mais fotos do figurino das personagens do filme Carol:

novaCA0_1449 novaCA0_4472 novaCA1_1044 novaCA2_9239

Leia mais
Comente

Hot no Donna