Grife gaúcha que trabalha com couro sustentável cai no gosto das antenadas

Bolsas, acessórios e roupas são feitas com peles inutilizadas por grandes empresas

Petula Silveira e Amanda Py são as designers da grife PP Acessórios
Petula Silveira e Amanda Py são as designers da grife PP Acessórios Foto: Andréa Graiz

O que a cantora Céu, a atriz Nathália Rodrigues e a estilista Greice Antes têm em comum? As três são algumas das mulheres ligadas em moda que podem ser vistas circulando por aí com suas bolsas e acessórios de couro da grife gaúcha PP.

Formada pelas amigas Petula Silveira e Amanda Py, a marca surgiu de um insight da dupla que ao trabalhar em outras áreas da indústria fashion percebeu a quantidade de couro de estoque que acabava indo fora sem aproveitamento.

– As grandes produtoras compram peles e as deixam estocadas como uma garantia. Se não aproveitadas, essas peles acabam mofando e são jogadas fora, transformando-se em um lixo tóxico – explica, Petula.

Formada a parceria, as sócias passaram a comprar este material – que ao contrário do que se possa pensar não se trata de retalhos e sim de peles inteiras e intactas inutilizadas – e a desenvolver pulseiras up-cycle.

:: Veja galeria de fotos com peças da PP

Sucesso absoluto, foi um passo para que começassem a criar bolsas, maxicolares e até roupas de couro. A ideia do maxicolar de franjas, por exemplo, acessório que já compôs um editorial da revista Elle, surgiu de cadarços de couro sem uso de uma grande indústria calçadista.

– O que é lixo para eles, é luxo para nós – completa Petula.

Além de serem sustentáveis, as peças viraram objetos de desejo entre as antenadas por que são leves, artesanais – as duas fazem todas as peças à mão -, exclusivas e o preço é mais amigável que outras grifes que trabalham com couro.

As embalagens também são ecologicamente corretas e vêm com dicas para cuidar das peças, como limpá-las apenas com pano umedecido sem passar qualquer produto químico.

Com o aumento significativo da demanda e o reconhecimento no centro do país – a grife também é comercializada em São Paulo e no Rio de Janeiro -, as amigas que antes trabalhavam em casa acabaram de inaugurar um ateliê charmoso na Rua Dinarte Ribeiro.

O ideal é marcar hora para uma visita, mas quem chega de surpresa ainda pode acompanhar as meninas com a mão no couro e personalizar suas compras.

Para finalizar, quem acha que couro não combina com verão, engana-se. As designers já estão desenvolvendo uma linha de biquínis e as bolsas bem coloridas são perfeitas para usar no clube ou na beira da praia. 

Um mimo à parte é a justificativa do batismo da marca. Não é simplesmente a letra do nome das duas, mas faz uma referência à estatura mignon delas que medem 1,59cm. Petula retifica:

– Eu tenho 1,59 e meio, hein?

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna