Com ajuda de Alexandre Herchcovitch e Luciano Huck, garoto de 16 anos estreia como estilista na SPFW

Foto: Instagram, Reprodução
Foto: Instagram, Reprodução

A passarela da São Paulo Fashion Week sempre foi palco de sonhos. Da garota aspirante a modelo que queria  desfilar pela primeira vez. Do fashionista que desejava estar na primeira fila para ver passar à sua frente as criações dos grandes criadores brasileiros. E, claro, de estilistas que almejavam ver seu nome no line-up do maior evento de moda do país. Para o jovem Rafael Bueno, esse sonho acaba de se tornar realidade. Aos 16 anos, o garoto de Araquari, pequeno município nas proximidades de Joinville, em Santa Catarina, apresentou sua coleção de estreia na passarela da SPFWn46 nesta quinta-feira. E com uma mentoria de peso: nada menos do que Alexandre Herchcovitch, um dos maiores estilistas do país.

Essa história – que mais parece um conto de fadas fashion – começou a ganhar um final feliz há apenas alguns meses. Mas o primeiro capítulo tem início na infância de Rafa. Desde os oito anos, o garoto mostrava habilidade (e gosto!) incomum para trabalhos manuais. Os primeiros artesanatos do guri eram feitos a partir de materiais reciclados, com técnicas que ele aprendia na TV. Logo, aprendeu a bordar. Vieram os panos de prato com rendinhas, que nçao demoraram a ganhar também pinturas feitas à mão. Perfeccionista que só, ele se deu conta que precisava de uma máquina de costura para finalizar as bainhas das toalhas. Mas a família humilde não tinha condições de comprar uma nova. A solução? Conseguiram uma máquina usada e antiga, “com mais de 50 anos”, conta Rafa. Em pouco tempo, aprendeu sozinho como operar a geringonça. E o despertar para a moda não tardaria a chegar. Há três anos, comprou o primeiro celular. Foi quando assistia a um vídeo da YouTuber de costura Alana Santos que o guri sentiu aquele estalo:

– Pensei: “Se ela consegue, eu também posso!”. Vi mais um, mais outro… Encontrei outros canais e, a partir disso, estudei pelo YouTube – recorda.

Rafa não parou mais. A cada vídeo, crescia a vontade de ler e aprender mais sobre moda – e estava tudo ali, ao alcance de um clique. Mas havia um porém: praticar tudo o que aprendia nos tutoriais não seria tão fácil assim porque lhe faltava o básico, a matéria-prima. Havia a máquina velha, a disposição de sobra, mas não os tecidos para costurar e se aprimorar nas técnicas. Detalhe que ele não tardou a resolver. Todo pano ou roupa antiga sem uso que caía na sua frente virava matéria-prima de luxo. Um dos seus primeiros vestidos, feito especialmente para a irmã, foi confeccionado a partir de retalhos doados por um empresa que fabrica uniformes de trabalho. Nos bastidores da SPFW, a garota circulava faceira com a criação do mano, que consistia em um patchwork com tecidos azuis, cinzas e laranjas – estes, sobras do tecido de uma roupa para garis.

36667864_193897014639713_1485050084360978432_n

O vestido criado por Rafa, em um clique compartilhado em seu Instagram

E o tal do final feliz? Não poderia começar de outro jeito que não pela internet, não é? Em maio, o guri resolveu participar de um concurso promovido por uma das suas YouTubers favoritas em comemoração ao Dia da Costureira. A proposta era contar a própria história com a costura e o vencedor ganharia um prêmio surpresa. Rafa logo se inscreveu. Quem logo viu a postagem foi uma conhecida do garoto de grupos de artesanato, que não demorou em fazer um print do relato e encaminhar para ninguém menos do que Alexandre Herchcovitch pelo Instagram. Até que, em uma sexta-feira que tinha tudo para ser como outra qualquer, Rafa acordou com uma notificação inusitada no celular.

– Acordei, olhei para a tela e vi a mensagem: “Alexandre Herchcovitch começou a seguir você”. Pensei que devia ser fake! Fucei e procurei, e era ele mesmo – conta, aos risos. – Ele me mandou uma mensagem dizendo que viria a Blumenau a trabalho e queria ir à minha casa para me conhecer, e para eu pedir se minha mãe deixava. Na segunda-feira, ele veio. Quis ver se a minha história era de verdade. Mas até agora não sei como chegou no Luciano Huck!


Visualizar esta foto no Instagram.

Obrigado pela visita,foi um prazer!Será sempre bem vindo!♥

Uma publicação compartilhada por Rafael C. Bueno (@rafael_cbueno) em


Pois bem, a outra fada-madrinha desta história é exatamente o apresentador do programa Caldeirão, da TV Globo. Pouco antes do desfile de Rafael Bueno começar, Luciano Huck contou à plateia que soube da história através do amigo estilista. Resolveu conferir de perto e, quando soube mais sobre o sonho do garoto, propôs um desafio: montar sua primeira coleção em quarenta dias, para que fosse apresentada nesta edição da São Paulo Fashion Week. Rafa, claro, topou.

Mas a missão não foi fácil. O garoto, mais uma vez, contou com uma ajuda especial: o estilista e professor de Moda Luis Serafim. Conhecido de Alexandre, Luis viu uma foto do estilista com o garoto e quis saber mais sobre a história daquele rapazinho. Quando Alexandre contou, ele não pensou duas vezes e ofereceu um curso de costura em sua escola, o Instituto Serafim, em Joinville. Foi lá que Rafa, com o auxílio compenetrado de Luis e as dicas de Alexandre, criou sua primeira coleção. Mas não foi tão simples assim, como era de se imaginar.

– Quando me contaram a ideia da coleção, topei na hora! Achei uma oportunidade incrível! Quem tem a chance de iniciar deste jeito? – conta o estilista catarinense. – Mas foi bem difícil. Mais tenso do que tranquilo. O Rafa está mais acostumado com a prática, então foi difícil conceituar a coleção. Ele não tinha muitas referências culturais, então buscamos essas referências na vida dele. Como ser mais próximo dele do que isso?

Rafa com Luis Serafim e Alexandre Herchcovitch

Rafa com Luis Serafim e Alexandre Herchcovitch

E, afinal, qual foi a inspiração? Os retalhos que compunham a vida de Rafa. Dos pedacinhos de conhecimento que ele juntou até os panos que carregava por aí para criar suas primeiras peças. De recorte em recorte, fez-se uma coleção aplaudida na principal semana de moda do país. Quem explica melhor o conceito é o próprio Rafael Bueno, que também é o nome de sua grife, ostentado em etiquetas personalizadas – que o (agora) estilista mostra com orgulho para a repórter:

– A coleção tem recortes que contam a minha história, e também a história do sonho de desfilar na SPFW. Começa escura, vai clareando. Começa com a rigidez de um tecido mais encorpado e vai para total fluidez no final. A coleção conta minha história e esse sonho – resume o garoto, com palavras de quem entende, sim, do assunto.

Corta para a passarela. Penúltimo dia de São Paulo Fashion Week. Acendem-se as luzes, e a primeira modelo entra ao som de um mash-up de canções, que vão de Nirvana a Beyoncé. A cara de um adolescente de 16 anos, você pode dizer. Mas as roupas que os convidados conferiam de perto a cada cruzar de modelos pareciam de um estilista profissional com uns bons anos de estrada. Que, graças a esse time, Rafael Bueno agora é. E quem atesta é Alexandre Herchcovitch.

– Na mesma idade que ele, me interessei por moda e comecei a costurar, modelar, fazer roupas para mim. Vi muita proximidade no interesse dele e naquilo que eu tinha interesse com a mesma idade. Achei que deveria mostrar o trabalho dele de uma maneira maior, fazendo com que o exemplo da garra e da vontade dele sirva para todos nós seguirmos os nossos sonhos. Espero que vocês entendam um pouco o Rafael pela roupa dele – disse o estilista.

:: Assista a trechos do desfile de Rafael Bueno no IGTV do nosso Instagram


E entendemos, Alexandre. Entre os presentes na sala de desfiles, vários fashionistas não seguraram as lágrimas quando o garoto apareceu, na fila final, de braços dados com a top model Daiane Conterato. Era visível a emoção dele e também da mãe, dona Lair, fiel incentivadora dos sonhos do filho desde pequeno.

– Eu chorei do começo ao fim! Foi muito gratificante. É o sonho dele, um sonho que ele realizou. Foi muito esforço, muitas horas de ocupação. E até de choro. Mas no final, deu certo – contou, emocionada, no backstage.

Depois do desfile, a fila era grande para falar com o estreante nos bastidores. No papo com Donna, o garoto fez questão de deixar um recado aos que, como ele, sonham com esse caminho:

– Acredite no seu talento, corra atrás e se informe. Não tem curso de costura ou não sabe desenhar? Você encontra isso na internet de forma gratuita. Você tem que fazer acontecer e não arranjar desculpas – encoraja, cheio de razão.

E, depois desse final feliz, como não acreditar?

Tudo sobre a #SPFWn46
:: Conheça as novidades da 46ª edição da São Paulo Fashion Week
:: SPFW, dia 1: Lilly Sarti abre semana de moda com tops Carol Trentini e Isabeli Fontana
:: SPFW, dia 2: a sustentabilidade da Osklen, o street de luxo da Torinno e a índia de João Pimenta
:: Em desfile emocionante, Ronaldo Fraga fala de judeus e palestinos e pede mais tolerância
:: SPFW, dia 3: a praia luxuosa da PatBo e as motoqueiras de Reinaldo Lourenço
:: SPFW, dia 4: a estreia da Bobstore e os 40 anos de moda de Lino Villaventura
:: Representatividade, sim! Apartamento 03 faz desfile somente com modelos negras
:: SPFW, dia 5: a estreia da Cotton Project para elas e o jeans luxuoso da Two Denim

Leia mais
Comente

Hot no Donna