Donna - ir para home

Inspiração: modelo com deficiência rouba a cena na Semana de Moda de Nova York

Para a estilista, o importante é que todas as mulheres estejam representadas na passarela

16181750
Foto: CRAIG BARRITT

A indústria da moda já protagonizou inúmeros casos polêmicos envolvendo modelos muito magras ou o uso de peles verdadeiras. O desfile de Carrie Hammer na Semana de Moda de Nova York deste ano trouxe mais um caso que dará o que falar, mas para o lado bom.

Pela primeira vez as passarelas da NYFW receberam uma modelo cadeirante. Isso mesmo, aos 35 anos, a psicóloga Danielle Sheypuk, escalada pela própria designer da marca, roubou a cena. Desfilando com uma saia com estampa de jornal e uma jaqueta preta, ela não poderia estar mais orgulhosa e feliz.

Danielle e as outras modelos posam com a estilista / Foto: Reprodução/Instagram

A estilista, especialista em peças sob medida, fez questão de chamar a deficiente física para que mulheres como ela pudessem ter uma imagem mais positiva do próprio corpo.

? Minhas roupas são feitas para se adequarem às mulheres e não para que as mulheres se adequem a elas ? explicou Carrie.

A reação dos que assistiam ao desfile foi extremamente positiva, demonstrando que a moda é uma lacuna aberta a todos os públicos. Para Danielle a vitória vai além: ser convidada abriu as portas de um mundo que até então esquecia os deficientes, que são percebidos como “não consumidores”, quando, na verdade, consomem tanto quanto as outras pessoas.

Danielle atraindo olhares durante o desfile / Foto: Craig Barritt/AFP

:: Artistas posam de cara lavada para catálogo de Hollywood
:: Mais vida real: marcas aderem a onda sem Photoshop

A cadeira de rodas a acompanha desde os dois anos, quando uma atrofia muscular espinhal impossibilitou seus movimentos.

? O progresso é feito aos poucos, mas já estamos em 2014 e está mais do que na hora de incluir cadeirantes em todos os cenários sociais ?, disse a modelo, eleita Ms. Wheelchair New York em 2012.

Outro bom exemplo

A grife americana Diesel revelou no mês passado o rosto de sua nova campanha mundial. A escolhida foi Jillian Mercado, de 26 anos, vítima de distrofia muscular. Segundo a modelo, a oportunidade de estrelar o novo case da marca veio para “dar esperança às pessoas que pensam que sua vida acabou por terem alguma incapacidade”. 

Cláudia aponta que as pessoas estão desenvolvendo projetos pensando em fazer tudo em casa

Inspirada pelas viagens, Cláudia Wendhausen é adepta da sustentabilidade

Matéria anterior
Jefferson Michels garimpa itens no lixo para decorar sua casa

Jovens joinvilenses contam como é a vida de quem optou por morar sozinho

Próxima Matéria