Livro desvenda segredos do guarda-roupa da rainha Elizabeth

"Dressing the Queen" é assinado por Angela Kelly, a personal stylist da rainha

Foto: Divulgação

Uma leitura tem alvoroçado a Inglaterra. É obra de Angela Kelly. A personal stylist da Rainha Elizabeth desde 2002 conta em primeira pessoa, no livro Dressing the Queen (Vestindo a Rainha, em tradução livre), detalhes do estilo meticulosamente cuidado da soberana. Não faltam curiosidades saborosíssimas: da confecção ultrassecreta do modelo que ela utilizou no encontro com James Bond na abertura das Olimpíadas de Londres 2012 até os pesos colocados nas bainhas de suas saias para evitar voos inconvenientes no figurino de uma das mulheres mais fotografadas do mundo.

Kelly explica que trabalhou durante vários meses, em colaboração com o diretor Danny Boyle, para criar o famoso vestido de renda e contas de cristal de cor pêssego que a rainha utilizou em agosto na cerimônia inaugural dos Jogos Olímpicos. Confessa que nem mesmo os outros estilistas do palácio sabiam por que estavam criando duas versões do mesmo vestido – um para a verdadeira monarca e o outro para o dublê que rodou a cena na qual Elizabeth II saltava de paraquedas de um helicóptero sobre o estádio.

Kelly revelou que outra escolha fundamental foi a cor do traje, que tinha que se destacar durante a queda noturna e não podia estar associada a nenhum país participante em particular.

Outro grande trabalho desenvolvido pela equipe real foi para o aniversário da monarca de 86 anos. Dois anos foram gastos para criar o vestuário para o 60º aniversário de sua ascensão ao trono, marcado por diversas cerimônias. Para o clímax das celebrações, a majestosa procissão fluvial liderada pela rainha no início de junho (realizada em meio ao frio e a uma intensa chuva), Kelly criou um vestido com casaco combinando inspirado em sua antepassada Elizabeth I, e teve a feliz ideia de incluir uma pashmina.

– Nunca pensamos que o tempo estaria tão ruim, mas estou feliz por termos dado a ela um pouco de proteção da chuva e do vento – escreve no livro.

Angela Kelly também conta que Elizabeth II não utiliza chapéu a partir das 18h e que, às vezes, pede para que sejam colocados pesos nas bainhas de suas saias.

– A rainha participa de muitos compromissos, grande parte ao ar livre, onde um vento inesperado pode provocar constrangimentos.

Leia mais
Comente

Hot no Donna