Maquiagem com tons de rebeldia

Beleza da Semana de Moda de Nova York teve inspiração grunge

Preparação para o desfile de Jason Wu nos camarins da Semana de Moda de NY: as sombras nunca foram tão permitidas
Preparação para o desfile de Jason Wu nos camarins da Semana de Moda de NY: as sombras nunca foram tão permitidas Foto: Josh Haner

Assim como as roupas, a maquiagem nos desfiles de moda é cada vez mais uma miscelânea de tendências. Não indica mais apenas uma única nuança de cores a seguir. Uma das apostas do momento é o grunge crescido.

Com sua pegada antiglamour, o grunge é complicado para a beleza.

– Existe a ideia de dar uma polida no grunge, talvez para uma mulher mais produzida – avisa o maquiador James Kaliardos, que trabalha com as marcas Maybelline, M.A.C. e NARS. – Na temporada passada, muitas marcas me pagaram um bom dinheiro apenas para passar hidratante nos rostos – diz, com uma risada irônica.

Os desfiles de Derek Lam, Creatures of the Wind, Kenneth Cole, Dannijo e Carmen Marc Valvo exibiram o quesito palidez.

– Pele pálida é bem Oscar Wilde, mas também barroca – explica James Boehmer, diretor de arte global da NARS, que estava por trás do look no desfile de Carmen Marc Valvo.

Para favorecer mais o look, Boehmer ressaltou as bochechas com os múltiplos bastões furta-cor Copacabana e Luxor, da NARS. Para a Creatures of the Wind, fez peles foscas: um forte contraste com as pálpebras rosa-douradas. Os lábios tendiam para as cores tipo ameixa ou de rosas murchas. Em uma nova aplicação, na Kenneth Cole, Romy Soleimani, maquiador principal da M.A.C., usou o batom popular da marca, Ruby Woo, mas depois aprofundou os cantos com lápis preto.

FOTOS: confira galeria com os produtos usados

Para Derek Lam, Tom Pecheux, da Estée Lauder, usou o dedo para passar um pouquinho do batom Pure Color Vivid Shine na cor Burnished Bronze e o brilho labial Pure Color High Intensity na cor Electric Wine.

– O calor dos dedos praticamente derrete e mancha o lábio desse jeito, ao invés de ficar como uma camada – ensina.

Portanto, adicionou toques de puro preto no meio do lábio. (Atenção, góticas: não façam com muito marrom, como Claire Danes optou no SAG Awards; pode criar um efeito macabro.)

Pecheux adicionou sombras metálicas suaves no centro do olho e esfumaçou para fora, mas não usou delineador nem rímel.

– Eu queria que tivesse um efeito bem suave, quase como alguns olhos asiáticos.

Na Ruffian, Kaliardos colocou tons de rosa e vermelho nos olhos, assim como nos lábios e nas bochechas.

– O desfile tem esse tema escocês e mouro, mas, na verdade, eu cheguei nessa coloração toda vermelha a partir de uma sessão de fotos que fiz com Kristen Stewart para a Vogue do Reino Unido. Kristen é mais grunge punk, uma garota forte e desafiadora.

Ele passou Love’s Lure (também usado nas maçãs do rosto) e sombras Crimson Tryst da M.A.C. por toda a pálpebra (só faça isso se você tiver dormido ao menos oito horas).

– É de grande ajuda o fato de que, nesta temporada, a seleção das modelos seja mais incomum. Há mais personalidade nas garotas e isso funciona bem com a atitude grunge.

No desfile de Helmut Lang, Hannah Murray, pela NARS, focou em uma pele macia (hidratante com cor e uma passada de blush Orgasm) com sobrancelhas realçadas nas morenas e arcos pouco definidos nas loiras. Os olhos tinham um brilho sutil transmitido pelo lápis de boca com brilho aveludado em Cythere (um dourado suave) aplicado com sombras cor de pele. O resultado monocromático que mal se podia notar parecia um pouco o look de uma garota de escola.

Os desfiles da Semana de Moda de Nova York decretaram o fim do rosto pálido e do make “nada”. A ordem é colorir pálpebras, marcar bocas e transformar as mulheres em divas grunges, fortes e muito sofisticadas


A elogiada maquiagem da atriz Claire Danes (Reprodução / Just Jared)

 

Do mesmo modo, para Alexander Wang, Diane Kendal, também da NARS, usou contornos naturais, ou “sombra e luz”, como ela chama. Kendal passou lápis na linha do cílio superior e aprofundou a dobra com sobra cinza Lhasa. Até as unhas foram mantidas em “um comprimento andrógeno”, disse Jan Arnold, fundador da CND, que forneceu a cor nude, Impossibly Plush, usada nas modelos.

No desfile de Prabal Gurung, Charlotte Tilbury usou quase nada de batom, penteou as sobrancelhas para cima e esfumaçou um bastão da M.A.C. marrom escuro por toda a pálpebra até a altura da sobrancelha. Mas as bochechas rosadas e coradas deram aos rostos um acabamento mais feminino.

Na DKNY, Charlotte Willer, da Maybelline, escolheu o “puro e simples”, segundo ela, o que significa uma camada fina de BB Cream e sobrancelhas preenchidas acompanhando o arco natural. Ela não usou delineador ou rímel, o que pareceu ser uma tendência que surge nessa temporada.

– Acho que pode ser a reação àqueles cílios falsos. Estamos no modo reverso.

Na Rag & Bone, Gucci Westman, da Revlon sugeriu uma pegada minimalista dos Swinging’60s, contornando a parte de cima da pálpebra com delineador preto e colorindo bocas com um suave rosa-arroxeado. O batom tem o apropriado nome de Supermodel.


Backstage do desfile da grife Thakoon, no Mercedes- Benz Fashion Week, em Nova York: olhos de visual gótico com muito glitter (Evan Sung / NYTNS)

Leia mais
Comente

Hot no Donna