Minas Trend, dia 1: a leveza da Plural, o carnaval delicado de Natália Pessoa e o novo folk de Victor Dzenk

Fotos: Agência Fotosite
Fotos: Agência Fotosite

Foi dada a largada para a temporada de moda nacional! Quem abriu os trabalhos nesta terça-feira foi o Minas Trend Preview, evento que combina salão de negócios com desfiles em Belo Horizonte. Mas a passarela só abriu oficialmente nesta quarta-feira, com as grifes Plural, Ellus Second Floor, Natália Pessoa (Faven) e Vitor Dzenk.

Veja também
:: Tudo o que rolou na última edição da SPFW
:: Rio Moda Rio: a estreia da nova semana de moda carioca
:: GALERIA! O melhor da Paris Fashion Week

Quer saber como foi? Preparamos um resumão com os melhores momentos (e fotos!) do dia. Você também pode acompanhar nossa cobertura direto da ExpoMinas pelo nosso Insta @revistadonna – e também no Stories! -, pelo nosso Snapchat revistadonna e também pela página no Facebook. Todos os detalhes da passarela e do backstage você encontra na #DonnaNoMinasTrend.

A leveza descomplicada da Plural

Leve, descomplicado, orgânico e fluido: assim foi o desfile da mineira Plural, que abriu a passarela desta edição do Minas Trend. Comandada pela dupla criativa Gláucia Fróes e Letícia Leão, a grife trouxe como tema “As Águas do Meu Querer”, com referência aos cursos de água doce.

O resultado? Peças esvoaçantes e fluidas, em uma cartela de cores que passeia pelo off white, cinza, azul e metalizados como o ouro e o prata. Olho também nas texturas, que imitam escamas e couro de peixe – como no modelo dourado desfilado por Daiane Conterato. Os babados aparecem com roupagem mais adulta em mangas, enquanto a assimetria toma conta de saias e vestidos. Também vale prestar atenção nos tricôs artesanais, que lembram as redes dos pescadores. Entre as peças da vez da Plural, estão o colete alongado e os casacos estruturados com pegada sporty. Nos pés, open boots com saltos bicolores.

 

A Califórnia pré-histórica da Ellus Second Floor

A segunda marca da Ellus, a Second Floor, renova seu compromisso com o jeanswear com pegada jovem na coleção de Alto Verão, apresentada nesta quarta-feira aqui no Minas Trend. E, seguindo a tendência das temporadas internacionais e também da última SPFW, a grife coloca as peças à venda logo depois do desfile, em clima de see now, buy now – algumas já estão à venda no e-commerce, enquanto outras estão disponíveis nas araras da loja no BH Shopping, em Belo Horizonte, e também nas flagships espalhadas pelo país.

Inspirada na cidade californiana de Palm Springs, a 2nd Floor trouxe para a passarela as cores vibrantes e formas geométricas que remetem a elementos pré-históricos como rochas, camuflados e até dinossauros. Não deu outra: Pedrita, a simpática filhota de Wilma e Fred Flinstone, aparece estampando uma das camisetas da linha de licenciados. Peças soltinhas, como o macaquinho (também em jeans, claro), saias rodadas e vestidos também estão entre os eleitos da vez. E para quem achava que as pantacourts não sobreviveriam ao verão, é só espiar os modelos renovados em jeans na passarela da marca, que ganharam versão com cintura baixíssima.

 

O carnaval delicado de Natália Pessoa

Para esta temporada, a Faven surge reformulada e agora se chama Natália Pessoa, assim como sua estilista. Na nova fase, a etiqueta mineira mistura lurex, estampas mil, tudo ao mesmo-tempo-agora e de um jeito delicado e feminino, regado com uma profusão de cores.

Faz sentido: a inspiração da designer para a coleção é justamente o livro Carnaval, que reúne poesias de Manuel Bandeira. Vai além: etre as referências, ainda há espaço para o teatro popular do século 15 Commedia Dell’Arte, natural da Itália. Mas aqui, a temática passa longe de ser caricata. Enquanto nas últimas temporadas predominaram modelagens soltas e fluidas, Natália trouxe a silhueta para mais perto do corpo, com saias mídi e croppeds justinhos. Na estamparia, poás e losangos, além de personagens como Arlequim.

O novo folk de Victor Dzenk

Depois de quatro temporadas longe da passarela do Minas Trend, o estilista Victor Dzenk retorna com o desfile mais aplaudido do dia. A explicação começa já no caldeirão de referências: o ponto de partida para a coleção foi o trabalho da artista plástica peruana Ana Teresa Barboza, que mescla patchwork, bordados e colagens – traduzido na passarela como um new folk. Acrescente também tatuagens “old school”, e o jacquard do mobiliário e papéis de parede do século 19 do designer têxtil William Morris. Pronto: era o que Victor precisava para inventar o seu autonomeado “new folk”.

Aqui, deixe de lado qualquer traço de ripongagem ou pegada boho característica: a estética aparece fresca graças a texturas como bordados de linha, maquinetados ou de pedrarias que simulam estampas. Peça absoluta do último inverno, a jaqueta bomber ganha aplicações e mangas em renda, além de versões em modelagem oversized – assim como as parkas, que seguem a cartela de tons pastel da coleção. Ainda há espaço para plissados e a camisaria desconstruída, com punhos largos e cavas alongadas ou deslocadas.

 

O que vem por aí

Quinta-feira, 6 de outubro

11h – Lucas Magalhães

15h – Modem e Doiselles

17h – Ellus

* A repórter viajou a convite da organização do Minas Trend.

Leia mais
Comente

Hot no Donna