Cervejas escuras “de verdade” utilizam cevada ou malte torrados e não corante caramelo

Bebida não é tão apreciada no Brasil principalmente pela histórica falta de boas opções

Cerveja preta não deve significar bebida doce e enjoativa
Cerveja preta não deve significar bebida doce e enjoativa Foto: Jefferson Botega

As cervejas escuras não são muito apreciadas no Brasil, principalmente pela histórica falta de boas opções no país. Mas ao contrário do que muitos pensam, cerveja preta não significa cerveja doce e enjoativa, muito pelo contrário.

Enquanto as cervejas escuras comerciais brasileiras utilizam corante caramelo para adquirirem esta coloração e são geralmente mais doces, as cervejas “de verdade” utilizam cevada ou malte torrados, que além da coloração característica fornecem também sabores e aromas que lembram café e chocolate.

A cerveja escura mais famosa do mundo com certeza é a Guinness. Representante do estilo dry stout, a cerveja irlandesa é bastante leve, com apenas 4,1% de álcool. Além disso, ela utiliza nitrogênio no lugar do gás carbônico, o que confere uma sensação de pouco gás, ou aguada, na boca. O aroma e o sabor apresentam notas torradas de café e amargor acentuado.

As Russian Imperial Stouts são cervejas bastante potentes tanto em álcool quanto em sabores. Sua origem remete à exportação de cervejas da Inglaterra para o Império Russo no século 18. Além do alto teor alcoólico, tem como característica o alto amargor e intensas notas torradas. Este é o estilo que possui mais cervejas entre as melhores do mundo. O Brasil têm ótimas representantes, como a Dum Petroleum (12%), de Curitiba, e a Colorado Ithaca (10,5%).

Outro estilo popular de cerveja escura é o porter. Surgido na Inglaterra no século 18, recebeu esse nome por ser popular entre os carregadores (porters) de Londres. E a mais famosa recebe inclusive o nome da cidade no rótulo, a London Porter (5,4%), fabricada pela Fuller’s nas margens do Rio Tâmisa. É uma cerveja bastante encorpada, com notas torradas que lembram café e chocolate e amargor equilibrado com notas carameladas do malte.

As lagers (cervejas de baixa fermentação) escuras mais conhecidas são as schwarzbiers alemãs. Com teor alcoólico médio (em torno de 5%), são cervejas que combinam muito bem as notas torradas com a doçura do malte e o amargor do lúpulo. Uma representante clássica alemã é a Köstritzer, enquanto um ótimo exemplar nacional é a Eisenbahn Dunkel.

Leia mais
Comente

Hot no Donna