Eleita melhor chef do mundo, Helena Rizzo estreia novo cardápio no restaurante Maní, em SP

Quando a Helena em questão é a Rizzo, gaúcha de Porto Alegre e chef de um dos restaurantes mais prestigiados do Brasil, o Maní, pode crer que, seja qual for a nova, ela terá um sabor incrível, um visual inesperado e a potência para tornar-se um sucesso. É assim a novíssima versão do cardápio do restaurante, inaugurado recentemente, logo depois de sua idealizadora ter sido eleita a melhor chef (mulher) do mundo pela revista inglesa Restaurant.

A premiação ainda reposicionou o Maní no ranking mundial, fazendo-o subir 10 posições, do 46º para o 36º lugar. O resultado foi uma corrida ao disputado recanto no bairro Jardim Paulistano, em São Paulo. Para desfrutar das novidades é necessário reservar lugar com, no mínimo, 10 dias de antecedência.

008fa293

As criações são novas, mas o espírito da coisa continua o mesmo. Cozinha contemporânea executada a partir de memórias, sonhos e do cotidiano, como a própria Helena gosta de dizer. E, claro, prioridade total aos ingredientes orgânicos e bem brasileiros. O nome do restaurante já diz a que ele veio: maní é a palavra indígena para mandioca e também o nome da divindade que teria dado origem ao ingrediente, segundo uma lenda.

Apaixonada por cozinha desde pequena, Helena abandonou a faculdade de arquitetura em Porto Alegre e mudou-se para São Paulo, onde estagiou com chefs badalados, como Luciano Bossegia e Neka Mena Barreto. Trabalhou na Itália por cinco meses e, depois, por três anos na Espanha, onde conheceu o marido e sócio no Maní, Daniel Redondo. Na volta ao Brasil, provou que a comida brasileira pode ser, sim, uma das melhores coisas do mundo.

Sempre em busca de alquimias

O prêmio conquistado por Helena Rizzo é o reconhecimento por uma carreira dedicada à descoberta de novos sabores e, principalmente, à combinação de ingredientes comuns na mesa dos brasileiros, originando alquimias inesperadas. Pesquisadora ávida, Helena está sempre às voltas com a possibilidade de engendrar uma química diferente. Foi assim que criou alguns pratos que consagraram o Maní e fizeram com que ela ganhasse o olhar atencioso dos maiores especialistas em gastronomia do mundo.

Uma dessas criações emblemáticas é o Peixe cozido a baixa temperatura no Tucupi com Banana da Terra e Migalhas do Maní – uma farofa crocante que dá charme especial à receita. Outra marca do Maní é o Ovo Perfecto, cozido a 63 graus durante duas horas e meia e servido com espuma de pupunha. Ainda na categoria ovos está outra marca da personalidade de Helena à frente da cozinha: uma das sobremesas mais pedidas é “O Ovo”, uma bola de sorvete de gemada ladeada por espuma de coco e coquinhos crocantes. Parece um ovo poché, mas é um doce de sabor inesquecível.

Mesmo com o cardápio novo, os clássicos permanecem à disposição de quem não quer abrir mão dos seus pratos preferidos. Até os pirulitos de parmesão, mimos servidos como couvert ao lados dos pães, continuam no menu.

0097869f

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna