Espumantes: a bebida das comemorações é a queridinha de encontros entre amigos

Seja em taça de cristal ou de acrílico, o espumante combina com todas as festas e ocasiões

Foto: Adriana Franciosi
Foto: Adriana Franciosi

Por Susiani Silva, especial

Com um trabalho de altíssima qualidade e tecnologia, o Brasil se tornou, de alguns anos para cá, referência na produção de espumantes, fato reconhecido por especialistas, produtores e pesquisadores do setor. 

– O espumante brasileiro ganhou destaque, inclusive internacional, porque foi o produto mais estudado – explica a enóloga Maria Amélia Duarte Flores, que traz no currículo estágios no Exterior e visitas a mais de 400 vinícolas na Europa, nas Américas e na África. – Nosso clima e terroir não seriam os mais adequados se não fosse toda a pesquisa sobre o produto nos cem anos de sua história.

Não há dúvida, porém, de que um dos principais motivos para a ascensão do espumante no Brasil nas últimas décadas foi a entrada da mulher no mercado de trabalho. Nos anos 1980, elas ainda ficavam muito restritas ao lar: assim, os encontros com as amigas eram realizados em casa, e a bebida oferecida era o chá. Atualmente, não raro os momentos descontraídos do happy hour entre as mulheres são regados a espumante.

– O vinho espumante carrega um aspecto sedutor, de charme e de estilo. Se pensarmos na história, desde a viúva Clicquot e Madame Pommery (veja abaixo), vemos que é uma bebida extremamente vinculada à mulher – comenta a enóloga.

NOMES FORTES NA HISTÓRIA
Em 1804, aos 27 anos, Barbe-Nicole Clicquot ficou viúva e, com uma filha pequena para criar, assumiu o controle da vinícola deixada pelo marido, em Champagne, na França. A viúva Clicquot é a criadora do método champenoise, o processo tradicional de fabricação do champagne. Madame Pommery é outra viúva que retomou os negócios do marido e, em 1874, criou o primeiro champagne brut da história.

Foto: Adriana Franciosi | Locação: Vinho & Arte

Fotos: Adriana Franciosi | Locação: Vinho & Arte

O espumante é uma bebida refrescante e prática. Exceto pelo fato de que deve ser servido gelado, ele não requer acessórios especiais para ser aberto (como saca-rolhas) e pode ser levado aos lugares com muito charme.

– Penso que o grande diferencial do espumante na praia, na piscina e no happy hour são as taças em acrílico. Isso desmitificou a ideia de que o espumante apenas pode ser bebido na taça de cristal. Claro que o cristal mostra coloração e aromas, mas nem sempre se quer degustar. Tem vezes que a gente só quer se divertir, e o espumante faz parte da festa. Além de ser um material que não quebra, o acrílico é prático, lavável e ecologicamente correto – salienta Maria Amélia.

:: Em VÍDEO, veja como abrir a garrafa do espumante e como servir a bebida

Leia mais
Comente

Hot no Donna