Vídeo: quer aprender a fazer churrasco? A Churrasqueira ensina mulheres a preparar a principal iguaria gaúcha

E uma costela?
E uma costela?

Durante quase três décadas, a vida da publicitária Clarice Chwartzmann foi dedicada à comunicação, aos projetos culturais, ao mercado que transita em torno de anunciantes, clientes, ideias. A maturidade, porém, tomou de assalto a mulher cuja segurança e confiança contagiava a todos. E, de repente, ela não se via mais fazendo o que sempre fez e não tinha sequer uma pista do caminho que tomaria dali para a frente. Foi para casa e repetiu um costume aprendido com o pai que sempre a ajudou a botar a cabeça no lugar: acendeu o fogo na churrasqueira e foi assar uma carninha, para relaxar e pensar na vida. As respostas demoraram apenas o tempo de grelhar uma lasca de picanha.
Foi assim, ao chegar a uma encruzilhada, que Clarice decidiu mudar de vida. E mudar radicalmente. Aos 49 anos, abandonou a carreira na comunicação e passou a se dedicar a algo completamente novo: virou professora de churrasco para mulheres.

– É, eu sei que isso não é muito comum… (risos). Mas tive essa ideia e decidi que iria levá-la adiante, não a deixaria morrer no papel. Tem sido maravilhoso. Mudei a minha vida.

Mas por que, afinal, um curso de churrasco para mulheres?

– Minha família é de Passo Fundo, e eu aprendi a fazer churrasco com o meu pai. Sempre adorei preparar tudo e me incomodava um pouco essa coisa de que churrasco é coisa só de homem. Percebi que as mulheres também gostam deste universo e estão prontas para assumir mais este papel – explica Clarice.

Clarice Chwartzmann é A Churrasqueira. Ela dá cursos para mulheres que querem aprender a preparar a iguaria

Clarice Chwartzmann é A Churrasqueira. Ela dá cursos para mulheres que querem aprender a preparar a iguaria

Reduto dos homens da casa, a churrasqueira é uma espécie de ambiente masculino por excelência, do qual as mulheres sempre tomaram certa distância. O caso é que não precisa ser assim. Basta que a mulher se interesse por gastronomia para ganhar a licença de uso da churrasqueira. Com alguma técnica, manejar grelhas e espetos pode tornar-se mais uma habilidade feminina que proporciona grande prazer.

– Muitas das minhas alunas viam a churrasqueira como um local de luto, pois o homem que a utilizava não está mais em casa por algum motivo. Ou então as mulheres simplesmente não se aproximavam por acreditarem ser muito difícil. Mas depois dos cursos todas percebem que fazer um churrasco gostoso para reunir os amigos é, sim, possível para nós – conta.

:: Choripán com grife: conheça o sanduíche inspirado no pão com salsichão
:: As 5 Fast Food Gourmet de Porto Alegre que você precisa conhecer

Mergulhada na atividade há pouco mais de três meses, Clarice ainda calcula o alcance da sua decisão. Com o objetivo de mudar a sua própria vida, está também mudando a vida de muitas mulheres, que ganham autoconfiança ao se sentirem capazes de preparar um churrasco tão bom como qualquer homem – às vezes, modéstia à parte, até melhor, como atestou a própria reportagem de Donna no momento de fazer esta matéria.

Além dos cursos para mulheres, Clarice quer mostrar o quanto o universo do churrasco faz parte da nossa cultura, da nossa vida. Para tornar ainda mais interessantes as aulas e saboroso o resultado final, tem buscado carnes premium, oriundas dos rebanhos gaúchos, para valorizar um dos produtos mais emblemáticos do Rio Grande do Sul. Em seus cursos, no lugar da cerveja, a harmonização da refeição é feita com vinhos brasileiros.

– Criou-se a cultura de que churrasco tem que ser acompanhado de cerveja. Mas, na verdade, a carne harmoniza muito bem com o vinho. Além de ser uma combinação bem mais feminina e sofisticada, também valoriza o que é nosso – comenta.

Marca criada por Clarice, A Churrasqueira também tem se associado a outras para dar origem a iniciativas novas. Exemplo é o choripan criado por ela em parceria com a Barbarella Bakery. Durante uma tarde de sol, uma churrasqueira foi montada no bairro Moinhos de Vento para preparar o salsichão assado na brasa que recheou as baguetes da Barbarella. A invenção ganhou o nome de Sanduíche Valente.

Vai uma picanha com toque feminino?

Vai uma picanha com toque feminino?

Além de se divertir comandando a churrasqueira nos cursos, na rua ou em eventos fechados de clientes, Clarice conseguiu o que queria quando pensou em dar outro sentido à própria vida. Precisava mudar e, diante do futuro, via somente o vazio. Até que olhou para dentro de si, nas origens da sua família, e percebeu que outras mulheres poderiam ser mais felizes se ela compartilhasse o conhecimento que tinha sobre grelhas e espetos. Estava certa.

Confira as dicas de Clarice Chwartzmann

• O primeiro passo é o fogo. E, ao contrário do que todos pensam, ele é simples. Use a metade de um saco de carvão em um dos cantos da churrasqueira. Faça um morrinho e, com um acendedor automático, desses que a gente compra no supermercado, acenda o fogo e espere que as labaredas se transformem em brasas. Para saber se está no ponto, teste com a mão dentro da churrasqueira: se você conseguiu permanecer com a mão ali por cinco segundos está bom; se queimou antes disso, ainda está quente demais.

• Deixe sua faca bem afiada, para um bom manejo da carne. Utilize uma chaira, para não ter mistério. Basta passar o fio da faca pela chaira, nos dois lados. Além da faca, uma pinça grande para virar e pegar as carnes ajuda muito.

• Clarice não recomenda o uso de espetos, especialmente para mulheres. Além de furarem a carne, eles podem ser difíceis de manejar. Uma grelha resolve todo o problema e prepara todos os tipos de carne.

• O primeiro a ser colocado no fogo é o salsichão – que nunca deve ser furado, para que os líquidos não escorram deixando-o ressecado. Junto com o salsichão podem ser preparados corações de frango e carrés de cordeiro, temperados somente com sal. O preparo dessas carnes é bastante rápido e simples. Quando o salsichão estiver quase no ponto, coloque o pão de alho para dourar na mesma grelha.

churras11

• Para o preparo de carnes como entrecot e picanha, utilize uma altura intermediária da churrasqueira, onde o calor não é o máximo, mas também não é leve. Aplique sal grosso nas fatias de carne e coloque-as sobre a grelha, sem mexer. Quando o sangue subir à superfície da carne, é o sinal de que está na hora de virar. Mais um pouco e está pronto.

• Pedaços maiores, como a picanha inteira ou a costela, devem ficar na parte mais alta da churrasqueira, pois demoram mais para assar. A costela janela, por exemplo, pode demorar até quatro horas, dependendo do seu tamanho.

• Experimente harmonizar o seu churrasco com vinhos. Carnes mais gordas pedem vinhos mais encorpados. E, se estiver muito calor, um espumante sempre cai bem.

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna