A babá do seu filho: especialistas dão dicas para evitar problemas e agressões

Recomendação é deixar criança em casa para evitar infecções, mas ter cuidados ao contratar profissional

Se você se imaginar, em detalhes, comendo doces, a imagem terá o efeito oposto
Se você se imaginar, em detalhes, comendo doces, a imagem terá o efeito oposto Foto: Adriana Franciosi

Cada vez que uma mãe está prestes a encerrar a licença-maternidade e decide saber a opinião do pediatra sobre o destino da criança, os médicos tendem a ser unânimes: o ideal é deixar o bebê em casa. Na visão de especialistas, a justificativa é de que, longe das aglomerações, os pequenos evitam infecções, principalmente as respiratórias.

> O que você faria no caso da família de Caxias?

 Ouça o comentário do jornalista 
Paulo Sant’Ana sobre o assunto


Entretanto, as mães que não têm condições de ficar com os filhos encaram o dilema de escolher entre a creche e a babá.

Por meio de relatos ou até mesmo de câmeras instaladas nas escolas, é mais fácil descobrir agressões contra crianças em creches. Quando a decisão é pela babá, o desafio é escolher uma profissional para colocar dentro de casa.

Veja em vídeo as agressões: 

? A avaliação é fundamental. A candidata deve seguir as instruções dos pais para dar continuidade à educação que eles dão ao filho. Para a escolha ser acertada, é preciso diálogo e acompanhamento sempre ? explica a psicóloga Vanessa de Castilhos Susin, responsável por selecionar babás em Caxias do Sul.

Para o pediatra Danilo Blank, a contratação da funcionária não é garantia de bom serviço, o que exige que o acompanhamento do trabalho seja mantido.

? Depois que aparecer a primeira marquinha no corpo da criança, desconfie. Se ela chorar demais ou tiver alterações de sono ou de apetite, investigue ? alerta o pediatra.

>> Leia a reportagem completa na
edição de Zero Hora desta sexta-feira

Leia mais
Comente

Hot no Donna