A boca fala, o emprego paga

Veja casos famosos de declarações tortas que renderam demissões mundo afora

Famosos cometem deslizes publicamente e perdem seus empregos
Famosos cometem deslizes publicamente e perdem seus empregos Foto: Montagem sobre fotos de Michel Euler, AP; Divulgação; Guilherme Pinto, AG

O recente escândalo envolvendo o estilista britânico John Galliano, demitido da maison Christian Dior após declarações antissemitas, traz à memória outros casos semelhantes de pessoas famosas que cometeram deslizes publicamente e também perderam seus empregos.

De jornalistas a apresentadores de TV, passando por atores e cientistas, reunimos em uma lista de 10 histórias que deram o que falar na época em que aconteceram.

1. John Galliano

A sociedade Christian Dior Couture anunciou esta semana a demissão do estilista britânico John Galliano devido ao caráter “particularmente odioso” de seu comportamento e a declarações racistas contidas em um vídeo. A grife havia suspendido Galliano após acusações de racismo por insultos antissemitas que teria proferido a um casal no café La Perle. Foi neste mesmo café, no boêmio bairro do Marrais, em Paris, que um vídeo com o estilista declarando “eu amo Hitler” foi gravado, no fim de 2010.

2. Charlie Sheen

No fim de fevereiro, a produção da série Two and a Half Men, que já havia sido suspensa provisoriamente anteriormente por problemas pessoais de Charlie Sheen, foi cancelada pelo resto da atual temporada. Segundo a CBS e a Warner Bros. Television, a decisão foi tomada depois de o protagonista ter insultado o criador da série, Chuck Lorre, e o ameaçado durante uma briga. A emissora exigiu que Sheen se internasse na reabilitação para drogas e álcool. Ele esnobou o pedido. O astro ator teve ainda guarda dos dois filhos suspensa. A ex-mulher, Brooke Mueller, também ganhou uma ordem de restrição contra o ator, alegando que ele havia abusado verbalmente e fisicamente dela.

3. Andy Gray

O comentarista de futebol da série Fifa Andy Gray foi demitido do canal inglês Sky Sports após seu comentário sexista sobre uma bandeirinha do sexo feminino ter vazado em uma transmissão pré-jogo. Ele afirmou que, assim como outras mulheres, árbitras que trabalham como bandeirinhas “não conhecem a regra do impedimento”. A gafe ocorreu durante a transmissão da partida entre Wolverhampton e Liverpool, contra a árbitra auxiliar Sian Massey em janeiro deste ano.

4. James Watson


Prêmio Nobel de Medicina, o cientista James Watson, pioneiro do DNA, foi demitido do laboratório de pesquisa Cold Spring Harbor, em Nova York após declarações racistas. O biólogo americano de 79 anos disse em entrevista ao Sunday Times que os negros são menos inteligentes do que os ocidentais. Na entrevista, ele se disse “inerentemente deprimido com as perspectivas para a África”, porque “todas as nossas políticas sociais são baseadas no fato de que a inteligência deles é a mesma que a nossa ? enquanto todos os testes dizem que não é assim”.

5. Carmen Aristegui

A jornalista mexicana Carmen Aristegui foi demitida da empresa Multivisión Comunicaciones (MVS) por “transgressão do código de ética”. Uma das comunicadoras de rádio mais populares do México, ela foi afastada da emissora por um comentário feito após uma notícia que vinculava o presidente do país, Felipe Calderón, ao alcoolismo. A jornalista baseou seu comentário em um cartaz exibido pelo Partido do Trabalho na Câmara dos Deputados, que dizia “Você deixaria um bêbado dirigir seu carro? E por que o deixa dirigir o país?”.

6. Fernando Vanucci

Após 26 anos trabalhando na Rede Globo, o comentarista esportivo Fernando Vanucci teve sua vida transformada por conta de um biscoito comido ao vivo. Durante a apresentação do Globo Esporte, o apresentador entrou no ar com a boca cheia, mastigando, e acabou recebendo uma advertência. A emissora o tirou da programação. Ele afirma que foi intimado a pagar uma multa contratual por conta da infração. Pediu demissão por conta da “geladeira”. O incidente ocorreu em 1999.

7. Alex Glikas


O diretor da Locaweb, Alex Glikas, foi demitido após ironizar via Twitter o São Paulo Futebol Clube, time patrocinado pela empresa em que trabalhava. Corintiano declarado, o executivo deixou a companhia em situação delicada, já que a empresa havia firmado um contrato de aluguel por dois jogos com o clube. Entre as repetidas ofensas publicadas estavam frases como “Chupa, bambizada”.

8. Rick Sanchez

O âncora Rick Sanchez foi demitido pela rede de TV americana CNN em setembro do ano passado, apenas um dia depois de chamar o apresentador Jon Stewart, do programa “Daily Show”, de “intolerante” e de fazer comentários controversos sobre os judeus durante uma entrevista a um programa de rádio. Durante o programa, ele afirmou que Stewart –que costumava fazer piadas sobre Sanchez em seu programa– é “intolerante com todos que não se parecem com ele”. Na mesma entrevista, ele fez piada com o fato de os judeus serem descritos como uma “minoria oprimida”. Stewart é judeu.

9. Rubens Ricupero

“Eu não tenho escrúpulos: o que é bom a gente fatura, o que é ruim a gente esconde”. A declaração polêmica foi dada pelo então ministro da Fazenda, Rubens Ricupero. Enquanto se preparava para gravar uma entrevista para o Jornal da Globo, sem saber que a câmera estava ligada, ele acabou falando mais do que devia. Ricupero conversava com o jornalista Carlos Monforte, enquanto o som e as imagens eram transmitidas para as parabólicas através do canal 23. Três dias depois, o ministro pediu demissão.

10. Melanie Martinez

A apresentadora infantil americana Melanie Martinez foi demitida depois que a rede de televisão descobriu seu passado profissional. Ela gravara, há alguns anos, uma série de vídeos de humor aconselhando jovens mulheres sobre como manter a virgindade. Em comunicado, a rede de TV PBS informou ter determinado que o conteúdo do vídeo é inapropriado para seu papel como apresentadora do programa e pode prejudicar sua credibilidade. Martinez, que é mãe de uma criança, apresentava o programa educativo “The Good Night Show”.

Leia mais
Comente

Hot no Donna