A moda dos cupcakes: os bolinhos doces que fazem sucesso em eventos

Conheça histórias de quem passou a se dedicar somente à produção destas delícias

Confira a história do doce que faz sucesso atualmente no Brasil inteiro
Confira a história do doce que faz sucesso atualmente no Brasil inteiro Foto: Genaro Joner

Compartilhar

Uma nova geração de confeiteiros e consumidores vem promovendo importantes mudanças de comportamento no que diz respeito aos doces em festas e eventos. Considerados mais que simples sobremesas, eles estão se tornando elemento importante na decoração de casamentos, formaturas e aniversários, com roupagens modernas e sabores que seguem tendências internacionais de gastronomia. Mais leves e com textura e sabor diferenciados, os doces proporcionam a seus apreciadores uma verdadeira explosão sensorial, além de serem atração em eventos.
 
Antenados às novidades, muitos profissionais têm apostado na criação de produtos especiais para acompanhar o ritmo intenso de mudanças do mercado e satisfazer os novos consumidores. Dienefer Pucci e Sarah Alberti, da Baunilha Cupcakes, Cristina Hentschke e Marcela Jung, donas da Lady Cupcake, a doceira Jô Appel e Cassio e Vanessa Cevallos, casal responsável pela Madame Antonieta, fazem parte dessa nova geração de confeiteiros que abusa da criatividade para conquistar clientes cada vez mais exigentes.
 
Baunilha Cupcakes

Foi entre bolinhos deixados por Sarah nas mesas dos colegas de trabalho e a procura por novidades para a festa de casamento de Dienefer que a dupla de engenheiras de alimentos decidiu se inserir em um ramo até então pouco explorado em Porto Alegre: a produção de cupcakes. O gosto de Sarah Alberti por cozinhar e o espírito empreendedor de Dienefer Pucci deram origem à Baunilha Cupcakes, marca de doces criada pelas amigas no ano passado e prestes a ganhar uma loja especial para venda com pronta-entrega.
 
— Criei o hábito de procurar produtos diferentes para festas em sites e blogs e percebi que os cupcakes faziam muito sucesso em outras cidades. Quando me dei conta da tendência, procurei a Sarah e propus que experimentássemos a novidade — conta Dienefer.
 
Não demorou muito e as amigas se viram cheias de encomendas e negando pedidos, o que as levou a tomar sua primeira grande decisão como empresárias: se afastar do antigo emprego para se dedicar exclusivamente ao novo empreendimento. Nos meses seguintes, os pequenos bolinhos recheados e enfeitados com cremes, confeitos ou pasta americana conquistaram os gaúchos e surgiram como uma nova pedida para complementar mesas de doces em festas ou serem oferecidos como lembrancinha. As meninas produzem, em média, 1,2 mil cupcakes por mês, e explicam a razão para tanto fascínio pelos tradicionais bolinhos ingleses.
 
— Faz sucesso porque é muito bom! É gostoso e diferente. O melhor é que podemos fazer mil versões de cada bolinho. Assim, cada festa, cada empresa e cada cliente fica lembrado pelo seu próprio cupcake, super personalizado — afirma Sarah.
 
Lady Cupcake

Bonitos, gostosos e práticos. É assim que a publicitária Cristina Hentschke e a jornalista Marcela Jung definem os fofos bolinhos que produzem à frente da Lady Cupcake, ateliê de doces por encomenda. Acostumadas a trabalhar em agências e assessorias de imprensa, as amigas apostam em um canal de comunicação aberto com os clientes durante o processo de criação de seus cupcakes.
 
— É tudo feito com muita conversa. Junto com o cliente, construímos um conceito para a criação dos doces — explica Marcela.
 
O método de atendimento escolhido serve para que as confeiteiras explorem o maior diferencial dos cupcakes: a possibilidade de personalizar o bolinho como o cliente desejar.
 
— Com a prática, vamos abrindo nosso leque de criação. Por mais que se utilize a mesma técnica e ingredientes, nós trabalhamos estilos diferentes em cada produto — afirma Cris.
 
Satisfeitas com o novo trabalho, as amigas explicam por que o ateliê segue dando muitas alegrias, apesar dos desafios diários.
 
— É meio profissão, meio hobby. Nosso trabalho está sempre relacionado a bons momentos. Acreditamos que lidar com doces tem uma energia muito positiva.
 
Jô Appel

 Em meio a uma infinidade de novidades, os tradicionais docinhos de festa enrolados em granulado têm perdido seu lugar cativo nas festas de aniversário, casamentos e formaturas. Jô Appel, nutricionista por formação que abriu mão do trabalho no consultório para se dedicar ao seu ateliê de doces, percebeu essa tendência. Mesmo com os sabores clássicos — brigadeiro e branquinho — ainda serem os mais pedidos, a doceira está sempre atenta às novidades para criar opções variadas de sobremesas e satisfazer as expectativas dos clientes.
 
— A festa se tornou um grande mercado, e os doces passaram a ser uma atração nos eventos. Para alcançar esse público exigente, só oferecendo produtos especiais — explica.
 
A decoração diferenciada dos doces é a grande aposta de Jô. Atendendo encomendas que chegam aos 5 mil docinhos por semana, a confeiteira trabalha permanentemente na elaboração de novos produtos, sem abrir mão de um sabor de qualidade.
 
— O bom de lidar com alimentação é que podemos estar sempre inovando. O doce não é um produto rígido e, justamente por ser possível fazer coisas gostosas e bonitas, quero mais é oferecer novidades nesse segmento.
 
Madame Antonieta

Vem da cozinha francesa a inspiração de Cassio Cevallos para a criação dos doces da confeitaria Madame Antonieta. Ao lado da mulher Vanessa — responsável pela administração da empresa —, Cassio aposta mais do que nunca em novidades.
 
O gosto pela culinária se intensificou nos anos em que viveram em Londres, trabalhando em um restaurante. De volta ao Brasil, Cassio se formou confeiteiro, e a dupla decidiu investir em um empreendimento gastronômico diferenciado.
 
— Nossa ideia é transportar receitas clássicas para os eventos e introduzir uma cultura diferente em relação ao consumo dos doces — explica.
 
Os brownies, o tiramisu e os macarons são algumas das especialidades da Madame Antonieta. Além das receitas especiais, Cassio acredita que decoração é fundamental e inova o visual de seus produtos usando frutas, confeitos e flores.
 
— Não tenho um padrão de decoração. Costumamos trabalhar sem formas fixas, usando frutas e flores, jogando com as cores — conta Cassio.
 
A inauguração de um espaço para receber os clientes dá início a uma nova etapa na vida do casal. Empolgados com o contato com o público, Vanessa e Cassio se sentem realizando um sonho.
 
— O projeto tem se tornado cada vez mais gratificante. É um trabalho colorido, com cheiro de chocolate, massa assando e açúcar caramelizando.

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna