A trajetória de sucesso de Emma Stone, a nova queridinha da América

"Chupei dedo até os 11 anos, mas nunca me senti uma idiota por isso", declarou.

Emma Stone interpretará a namorada do Homem-Aranha no novo filme da série
Emma Stone interpretará a namorada do Homem-Aranha no novo filme da série Foto: Divulgação

Aatriz Emma Stone firma-se de forma sólida, tranquila e serena em lugar de destaque na galeria das maiores estrelas de Hollywood. No próximo dia 6 de julho, estreia nos cinemas do mundo inteiro um dos blockbusters mais aguardados de 2012, O Espetacular Homem-Aranha. O filme traz Emma no papel de namorada do super-herói, coroando uma carreira meteórica em constante ascensão, livre de escândalos e sem nenhum passo fora do lugar.

Os homens suspiram por Emma, as mulheres copiam seu estilo, suas roupas, sua maquiagem, a cor do cabelo. Diretores assediam a atriz, fashionistas abençoam suas escolhas no tapete vermelho, editores das principais revistas de moda e entretenimento dedicam capa, páginas e mais páginas para tentar explicar o fenômeno ruivo que, aos 23 anos, tornou-se a nova queridinha de Hollywood.

Donna teve o privilégio de conhecer e conversar com ela em sua passagem pelo Brasil para divulgação do filme. Por trás do aspecto frágil e delicado de uma mulher com pele de porcelana e voz suave, está a determinação inerente a pessoas que perseguem um objetivo de forma incansável.

Emma Stone não se tornou estrela de primeira grandeza por sorte ou mero acaso. Sempre soube aonde queria chegar e, sobretudo, a capacidade que dispunha para realizar o sonho de se tornar uma superstar. Este desejo começou a ser desenhado quando ela completou 11 anos, tirou o aparelho dos dentes e parou de chupar dedo (“Sim, chupei dedo até os 11 anos, mas nunca me senti uma idiota por isso”).

Aos 14, após participar de uma peça de teatro e um programa de tevê, achou que tinha chegado a hora de alçar voo rumo à meca do cinema. Criou um Power Point intitulado Projeto Hollywood, incluindo projeção de salários, e apresentou aos pais.

– Montei esta apresentação no computador, convidei meus pais para ir ao meu quarto, ofereci pipoca e funcionou – diverte-se.

Com o consentimento deles, abandonou o colégio. Aos 15, sozinha, desembarcou em Los Angeles. Era uma garota ainda com os trejeitos desengonçados da adolescência e com longos cabelos loiros. Obedeceu à primeira providência exigida pelo agente que havia contratado: trocar a cor natural por castanho escuro. Uma semana depois, conseguiu o primeiro papel.

– Como as pessoas têm mente fechada, cara! Como uma diferente cor do cabelo muda tudo!

Foi com determinação semelhante que recuperou-se de uma doença que só agora, quando assume lugar de destaque diante dos holofotes do mundo, resolveu revelar:

– Fui vítima de ataques de pânico desde os oito anos. A doença me deixava imóvel, incapaz de interagir com outras pessoas. Não queria visitar a casa dos meus amigos ou sair, e as pessoas não conseguiam entender.

Recuperou-se tendo como foco o trabalho e o auxílio da terapia.

Nascida Emily Jean Stone em uma família de origem sueca, no Arizona, Emma usa a mesma obstinação com que rege a vida profissional para ajudar os pais nos problemas domésticos. Foi o porto-seguro da mãe, Krista, em uma vitoriosa batalha contra o câncer de mama. Não duvidou jamais da cura e, na tentativa de aliviar a dor psicológica da pessoa mais importante de sua vida, recorreu até aos dotes criativos de um ex-Beatle.

– A música favorita da minha mãe é Blackbird, de Paul McCartney, e é minha música favorita também. Escrevi uma carta para Paul perguntando se ele poderia desenhar dois pequenos pássaros pretos. Ele foi muito gentil e mandou os desenhos de umas patinhas de passarinho.

São essas patinhas que Emma Stone e a mãe levam, como um pacto de superação, tatuadas no pulso.

A outra namorada do Homem-Aranha

Por Roger lerina, enviado especial ao Rio de Janeiro

Branquíssima sob o sol carioca, ela usa um discreto vestido preto justo de gola assimétrica. Ao entrar no salão do hotel Copacabana Palace, comenta, simpática e extrovertida:

– Esse ar-condicionado está congelando!

Na entrevista de divulgação do filme O Espetacular Homem-Aranha, Emma Stone lembra muito a outra namorada do aracnídeo que o repórter entrevistou em Los Angeles em 2004, na época do lançamento de Homem-Aranha 2. Kirsten Dunst tinha então 22 anos, exalava igualmente jovialidade, também tinha uma pele de porcelana e namorava na vida real o ator que na época envergava o uniforme do super-herói no cinema, Tobey Maguire.

Mas Gwen Stacy (Emma Stone) é bem diferente de Mary Jane (Kirsten Dunst) – como a nova queridinha (ruivinha ou loirinha?) do cinema norte-americano faz questão de deixar claro.

Pergunta – Qual é a cor verdadeira do seu cabelo?

Emma Stone – Você está vendo essa parte escura aqui embaixo? Essa é a cor verdadeira do meu cabelo. É uma cor meio sombria… Todo mundo pensa que sou ruiva, né?

Pergunta – Seus personagens também têm sempre algo escondido. Como você escolhe seus papéis?

Emma Stone – O maior presente do mundo para um ator é ganhar um grande papel, mas o que me interessa mesmo é estar em um filme bacana, que as pessoas gostem. Neste papel, o que é maravilhoso e assustador para mim é aquela garota ser tão consciente da mortalidade. Ela é uma garota pura, na maior parte do tempo, sempre com o controle das coisas, mas sabe que está cercada pela morte e tenta entender como isso vai afetar sua vida tão tragicamente.

Pergunta – Qual é a diferença entre Gwen Stacy e Mary Jane, a outra namorada de Peter Parker?

Emma – Elas são literalmente o oposto uma da outra, não poderiam ser mais diferentes. Se Gwen veste branco, Mary veste vermelho. Gwen cresceu na parte rica da cidade, é filha do chefe de polícia, tem uma base familiar sólida, muito responsável. Já Mary tem um pai alcoólatra, muitas vezes ela não sabe o que está acontecendo, adora a instabilidade. Gwen se apaixona por Peter Parker, não pelo Homem-Aranha. Mary Jane precisa do herói, Gwen precisa cuidar de alguém. Em O Espetacular Homem-Aranha, Gwen é uma figura central nessa moderna mitologia do Homem-Aranha. O momento, neste filme, é decisivo para ela e para ele. O envolvimento dos dois a afeta moralmente. É realmente de cortar o coração: ela tenta desesperadamente mostrar-se forte para a família dela, o pai é o chefe de polícia, e o que acontece com ele depois… Essa garota está sempre sendo confrontada com a morte. É muito Romeu e Julieta.

Pergunta – Para você, é importante ter química com o parceiro de cena? Como foi isso com Andrew Garfield?

Emma – Química é absolutamente importante, mas às vezes não rola. É como você sair para jantar com amigos: com alguns você se diverte mais do que com outros. É muito legal quando você encontra isso no ator que vai fazer seu melhor amigo ou seu namorado. Você pensa: “Meu Deus, isso é ótimo, é tão vivo!”. Especialmente em histórias de amor.

Pergunta – Como você está lidando com a expectativas dos fãs da série?

Emma – As expectativas são legais porque realmente é uma ruptura na minha carreira. Eu acabei de sair de Histórias Cruzadas, que é um filme mais tranquilo. Aí vem esse filme, que me mobilizou completamente: eu me preparei mentalmente para fazer muitas cenas de ação. Mas chegava na hora e entrava a dublê (risos). Tive que aceitar que iria dar o melhor de mim, mas nunca seria igual à Gwen Stacy dos quadrinhos. É diferente dos outros filmes, porque nesse eu tinha um modelo que seguir.

Pergunta – Você está preparada para o assédio depois que o filme estrear?

Stone – Isso não é legal, as pessoas ficam loucas! Me lembro que no começo ficava preocupada com o que as pessoas iriam pensar, como eu deveria agir… “Você é uma babaca”, pensei então, as pessoas não ligam para mim, elas vão ao cinema para ver o Homem-Aranha, o que é muito legal. Querem saber dessa história do herói e sobre esse cara. O Homem-Aranha é muito maior do que qualquer coisa que eu já tenha feito. Ninguém irá ao cinema para me ver…

Pergunta – Não é verdade!

Stone – (Risos) Eu recém tinha filmado Histórias Cruzadas quando fui fazer o teste para O Espetacular Homem-Aranha. Sabia que estava fazendo algo ousado, totalmente diferente na minha vida. Poderia não dar certo, não rolar nada, sei lá. Mas nunca deixei de fazer algo por medo. Não sei o que vai acontecer depois, mas os fotógrafos definitivamente não serão bem-vindos na porta da minha casa.

Doce, tímida, elegante: uma beleza singular

Não há coração que não se renda quando a falsa ruivinha Emma Stone aparece em cena. A atriz está pronta para voar alto em sua curta e já exitosa carreira com a estreia de O Espetacular Homem-Aranha.

A estreia de Emily Jean Stone foi na comédia Superbad – É Hoje (2007), que definiu uma espécie de padrão de personagem que repetiria em A Casa das Coelhinhas (2008), Amizade Colorida (2011) e Amor a Toda Prova (2011): a garota bonita mas meio sem jeito, divertida e sorridente, que poderia ser sua vizinha de porta.

O primeiro trampolim para Emma (já havia uma Emily Stone quando ela foi se registrar no sindicato dos atores) foi a comédia A Mentira (2010), em que ela vive uma estudante que fica mal falada por acidente, e decide usar a má fama a seu favor. O filme não tem nada em especial à exceção da própria Emma, mas rendeu uma indicação ao Globo de Ouro.

Com o drama Histórias Cruzadas (2011), ela começou a explorar outras facetas. No papel da jovem que decide escrever as histórias das domésticas negras de sua cidadezinha no Sul dos Estados Unidos nos anos 1960, Emma ganhou diversos prêmios de atuação, divididos com as colegas de elenco.

Depois de O Espetacular Homem-Aranha, Emma voltará em outra aguardada produção: o policial Gangster Squad, com os veteranos Nick Nolte e Sean Penn, e Ryan Gosling, a nova sensação masculina de Hollywood e par romântico de Emma em Amor a Toda Prova. Questionada no talk show da comediante Ellen DeGeneres sobre quem beija melhor, Gosling ou o aranha Garfield – o intérprete do brasileiro Eduardo Saverin em A Rede Social (2010) e namorado da atriz também fora das telas -, Emma foi diplomática:

– Você sabe, são laranjas e maçãs…

– E você prefere laranjas ou maçãs? – insistiu a apresentadora.

– Eu amo todas as frutas.

Emma e Gosling são o sonho de consumo dos produtores para a adaptação do best seller (quase) erótico As Cinquenta Sombras de Grey, que chega ao Brasil pela editora Intrínseca, em agosto.

Desde que começou a frequentar os tapetes vermelhos do cinema, Emma Stone passou a chamar a atenção também do mundo da moda. O frescor de sua graça e a elegância sóbria ao vestir ganharam as capas das principais revistas fashion do mundo – Emma é a estrela da edição de julho da Vogue americana, clicada por Mario Testino com um modelo da grife Nina Ricci. Sobre beleza, aliás, tem um conceito singular:

– A confiança é a única chave. Eu conheço um monte de pessoas que não são tradicionalmente “belas”, não simétricas ou perfeitas de corpo ou de pele. Mas nada disso importa, porque tudo o que brilha é a sua confiança, humor e conforto com elas mesmas.

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna