Adiamento da volta às aulas transforma a rotina de famílias gaúchas

Saiba como ocupar o tempo extra de descanso

Ampliação do recesso de meio de ano na escola obriga Leandra a passar os dias em casa, com a mãe
Ampliação do recesso de meio de ano na escola obriga Leandra a passar os dias em casa, com a mãe Foto: Adriana Franciosi

Leandra Hollerweger, quatro anos, trocou o convívio com os colegas do Jardim A2, no Colégio Coração de Maria, em Esteio, pelo computador na sala de casa, ontem à tarde.

Ela é um dos 610 alunos que ficaram sem aula porque a escola, cumprindo recomendação do município, prorrogou férias até a sexta-feira para reduzir riscos de contágio da gripe A. Escolas da Rede Bom Jesus também decidiram ampliar o recesso. A medida repercute na vida social de pais, alunos e familiares.

Desde segunda-feira, Leandra passa as tardes brincando com quebra-cabeças, jogando no computador ou vendo TV. Para matar as saudades, recebe colegas em casa.

– É uma pena, porque ela adora ir à escola – lamenta Andressa Fabiana Godoy Hollerweger, 33 anos, mãe de Leandra.

Para a professora, as férias indesejadas são uma forma de reduzir os riscos de contágio na escola, onde as crianças permanecem em salas de aula cheias e fechadas.

– Acho que foi necessário. Mas para as crianças é ruim, porque ficam muito tempo sem aula – diz Andressa.

O prolongamento das férias desagradou à secretária aposentada Sonia Longo. Mãe de Eduardo, aluno da 5ª série do Ensino Fundamental do Colégio Bom Jesus Sévigné, Sonia acredita que as crianças acabarão se expondo aos riscos de contágio de outra forma.

– Nós os levaremos ao shopping ou aos cinemas, que são ambientes fechados. Não tem como uma criança ficar fechada em casa. Adiar o início das aulas em função disso é errado. – diz.

Mãe de Renan, também aluno da 5ª série, a auditora Valquiria Alves precisou mobilizar parentes próximos:

– Hoje ele ficou na casa de uma tia – contouValquiria.

São Paulo anunciou ontem prorrogação das férias

Apuração parcial do Sindicato dos Estabelecimentos do Ensino Privado (Sinepe/RS) revela que 78 escolas já definiram que retornam às aulas no prazo. Um levantamento realizado pela Federação das Associações de Municípios (Famurs) constatou que pelo menos 25 municípios decidiram prorrogar as férias em escolas municipais.

Hoje, uma reunião dos secretários da Saúde, Osmar Terra, e da Educação, Mariza Abreu, deve decidir se as aulas na rede estadual serão retomadas no prazo ou se serão prorrogadas. A tendência é respeitar a data original. Em São Paulo, o reinício das aulas foi adiado ontem em duas semanas. A medida atinge 6,5 milhões de estudantes.

O que fazer

PAIS
– É importante conscientizar as crianças. Elas precisam saber por que estão em casa.
– Evite deixar seu filho muito tempo no computador ou na frente da TV.
– Deixe jogos educativos à vista e alugue filmes saudáveis.
– Nas férias, pais tendem a fazer concessões, como deixar os filhos dormir até tarde. Especialistas recomendam que a rotina seja como se as aulas já tivessem começado.

FILHOS
– Na medida do possível, brinque ao ar livre.
– Jogos de computador e desenhos animados são divertidos, mas experimente outras brincadeiras.
– Peça para os seus responsáveis o levarem a parques e a praças.
– Aproveite para revisar o conteúdo ensinado no primeiro semestre

Leia mais
Comente

Hot no Donna